A emoção de rever G10VANNI em campo nos 100 anos da Vila Belmiro

Créditos da imagem: UOL

Sobre a emoção de poder rever G10vanni em campo na festa de comemoração dos 100 anos da Vila, a homenagem que demonstro a seguir, feita pela Comunidade do Orkut (!) “Santos Futebol Clube”, em 27/11/2005 (com direito a entrega de placa e confecção de bandeirão), com texto de minha autoria, é autoexplicativa:

homenag_g10-1

´Ele apareceu nacionalmente marcando um golaço contra o Guarani, em 1994.

Ele conduziu o Santos na inesquecível campanha do Campeonato Brasileiro de 1995.

Ele deixou pais malucos com seus filhos querendo pintar o cabelo de vermelho.

Ele fez toda uma geração passar a ter orgulho de torcer para o Santos.

Ele emocionou até os santistas mais velhos, saudosos de Pelé.

Ele foi, atuando na meia, o artilheiro do Paulista de 96.

Ele, chorando, saiu do Santos prometendo retornar.

Ele mostrou que o Santos estava vivo.

Ele, no Barcelona, foi à Copa do Mundo de 1998.

Ele, na Grécia, virou ídolo e conquistou diversos títulos.

Ele recusou inúmeras propostas para retornar ao Brasil, sempre afirmando:

“Só volto se for para o meu Santos”.

Ele, resistindo à pressão de seus fãs gregos, voltou para sua casa: o Santos F.C.

Ele mostrou que ainda há amor e palavra no futebol.

Ele é G10vanni, o Messias’.

Processed with Moldiv

Vila Belmiro, 27/11/2005, com o então presidente do Santos, Marcelo Teixeira

18 comentários em: “A emoção de rever G10VANNI em campo nos 100 anos da Vila Belmiro

  1. Esse é um craque que, infelizmente, não tem no futebol brasileiro o espaço que poderia ter! Só para que a gente tenha uma ideia do quão bom ele era, antes de irem para a Espanha, ninguém tinha dúvidas de que ele era melhor do que o Rivaldo (eleito melhor do mundo pela FIFA em 1999 e destaque e campeão da Copa de 2002), por exemplo.

    Jogando pelo Santos (ele parecia ser desses jogadores que precisava se sentir querido para render bem), foi um dos meias mais clássicos e decisivos que já vi.

  2. Foi o melhor 10 que eu vi com a camisa do Santos, levou o Santos para final do brasileiro de 1995, e passamos por um jogo que todos dariam como perdido contra o fluminense já que perdemos de goleada lá no mando deles, e na volta ele comandou o Santos rumo a final.
    Pena que fomos roubados no jogo da final, onde para mim fomos campeão moral contra o botafogo.

    1. Sinto pelo Geovanni o que senti por craques igual o Pelé, deviam ser proibidos de parar de jogar antes dos 70 anos. Emoção tomou conta quando o Messias entrou em campo.

  3. , jogador clássico, de criatividade, elegância ímpar e toques refinados. Craque. jogava de terno e cabeça erguida . fez toda uma geração passar a ter orgulho de torcer para o Santos. Monstro. G10 ditou moda. Deixou pais malucos com seus filhos querendo raspar a cabeça e pintar o cabelo de vermelho berrante.
    Aquele dia 10 de dezembro de 1995 era preciso ter muita fé. Nosso time só se classificaria com um resultado muito difícil, três gols de diferença. Diferença que durante todo aquele ano , o Fluminense não havia experimentado. Depois de ter perdido por 4 a 1 o jogo de ida, no Rio de Janeiro só mesmo um milagre . só mesmo o Messias poderia realizar. Com os cabelos cor de fogo, Giovanni teve uma atuação digna da camisa 10 que vestia, da lenda Pelé. Comandou o Santos em uma improvável virada e classificou o time para a final do Brasileirão. Inesquecível. A maior partida que presenciei. Que jogo! Teve Giovanni “endiabrado”, como relatou Narciso, no intervalo em campo, e magia, como lembra bem Cabralzinho, então técnico do Santos.
    Um dos momentos mais marcantes da virada do Peixe aconteceu no intervalo da partida no Pacaembu, quando os jogadores e a comissão técnica decidiram não descer para o vestiário e permaneceram no gramado, aproveitando o calor passado pela torcida nas arquibancadas, que ao notar que ali permaneceriam, inevitavelmente cantavam repetidamente. Cabralzinho diz que não foi algo premeditado. Eu digo que sim, Deus já havia escrito e selecionado os personagens e testemunhas que jamais esqueceriam este 10 de dezembro de 1995…….

  4. Estive na Vila e vi que se ele se preparar fisicamente ainda joga muito e coloca o Lucas Lima e qualquer outro no bolso, a única sacanagem foi o Copete querer fazer ele correr kkkk, se fosse depois de uma preparação física decente com certeza ele pegaria aquela bola. Volte Messias, ainda precisamos de você

Deixe sua opinião e colabore na discussão