W3vina.COM Free Wordpress Themes Joomla Templates Best Wordpress Themes Premium Wordpress Themes Top Best Wordpress Themes 2012

Ao barrar Cássio, Tite envia sinal à equipe

22set2013---tite-e-cassio-conversam-durante-a-partida-entre-corinthians-e-cruzeiro-1379880717786_1920x1080

Créditos da imagem: UOL

A barração de Cássio no gol do Corinthians me faz pensar no nível de profissionalismo em vigor no Brasil. Cássio pediu (e conseguiu) licença para acompanhar o enterro da avó e faltou ao jogo contra o Grêmio.

Em 2003, a mãe de Michael e Ralf Schumacher morreu num sábado, véspera do GP de Mônaco. Eles arranjaram um modo de conciliar a vida pessoal e profissional. Foram ao seu velório e no mesmo dia voltaram para correr. Michael venceu e ficou em silêncio no pódio.
E era a mãe, não a avó.

O Corinthians vive um momento muito delicado, após eliminações inesperadas no Paulista e na Libertadores e uma perspectiva incerta no Brasileiro. Isso certamente impactou Tite – que não cansa de repetir que Cristiano Ronaldo era o jogador que mais treinava no Real Madrid, quando esteve lá. Além de compromisso, acho que Tite esperava desejo da parte de Cássio de estar naquele jogo.

Mas a questão me parece maior. Envolve a maneira como nós brasileiros vemos o trabalho. Questões pessoais são muito importantes, mas as profissionais não são menos.

Neymar deveria sair do Barcelona
Como joga o Fluminense de Levir Culpi

Escrito por:

- possui 4 artigos no No Ângulo.

Marcelo Damato, 55, é jornalista licenciado e consultor em comunicação esportiva.

Entre em contato com o Autor

18 respostas para “Ao barrar Cássio, Tite envia sinal à equipe”

  1. Vicente Prado (Coluna do Leitor) Vicente disse:

    BACANA ESSA ÓTICA DO COLUNISTA, REALMENTE ÀS VEZES PECAMOS NESSE LADO PROFISSIONAL…

    MAS ACHO QUE O CÁSSIO FOI BARRADO MESMO PORQUE TEM MÃOS DE MADEIRA! ELE REBATE TODAS!

    OU SEJA, TITE UNIU O ÚTIL AO AGRADÁVEL COM ESSA DECISÃO…

  2. Muito interessante, Marcelo Damato. Acho que você trouxe à baila uma reflexão importante (para o nosso futebol e até para a nossa sociedade, num contexto mais amplo). Só temo que o Tite utilize como “bode expiatório” um jogador que talvez seja o mais identificado do elenco com a torcida. Será que Cássio não merecia mais “carinho”? Ou, dentro da sua linha de raciocínio, até pelo fato de o Cássio ter toda essa representatividade, não seria razoável partir dele o interesse de ser um líder e fazer questão de atuar naquela partida? Confesso que ainda estou refletindo a respeito do tema… De qualquer forma, muito obrigado pela contribuição do mais alto nível, como de costume. 😉

  3. Romeu Biasan disse:

    Sinal de que é um trouxa TEIMOSO
    barra o último grande expoente de uma equipe campeã mundial com identificação c o clube (recusou proposta pra ficar) e banca o André lixo na frente encostando Romero, o mesmo pra Rodriguinho ao invés de Marlone
    acho q ele quer vê até onde vai a moral dele c a torcida pq não é possível
    Cada vez mais DECEPCIONANTE

  4. Carllos Csr disse:

    Pronto, nunca vi rebater a bola pra frente da propia area,, falta fazer o mesmo com andre e guilerme . Deveria muda tam bém esse esquema tatico

  5. Qd começa esse tipo de situação..é o começo do fim,acabou a lua de mel…

  6. A tese me parece boa, até porque, o substituto é de bom nível. Quando entra, dá conta da tarefa. Mas vejo, também, que o Cássio passa por fase ruim. Tem falhado de forma comprometedora…

  7. Tiago Legaro disse:

    Ele foi barrado mais logo ele ta d volta e n sei pq o tite fez isso mais talvez isso melhore as atuaçôes dele nos proximos jogos e sobre o andre talves o tite queira fazerigual o vagner love sò n sei se isso vai da certo né

  8. barrou o Cássio que joga de amarelo mas os outros 3 de amarelo são “imexiveis”,

  9. Muito bem observado, Marcelo Damato! É muita coincidência que o Cássio saia justamente depois disso.

    Mas, embora ele seja um ídolo histórico do clube, acho que também não é para tanto drama. O Walter parece ser um grande goleiro, e o Cássio não foi afastado de treinamento, nada, simplesmente foi para o banco. Acho que essa grande repercussão também denota como não lidamos naturalmente com briga por titularidade.

    Para finalizar, na minha visão, é justificável o Cássio não ter atuado pela morte do avô. Se fosse uma partida decisiva, poderia ser diferente, mas não era o caso. Acho uma decisão muito pessoal e que não revela de modo algum o real comprometimento profissional de alguém.

  10. Cássio mãos de pau!

  11. Escalei ele no cartola mas depois tirei uffa

  12. Adriano disse:

    É o seguinte: Em primeiro lugar, acho o Walter muito mais goleiro do que o Cassio. Pra mim, já deveria ser titular a muito tempo. Porém, se o motivo pra preterir o Cassio em favor do Walter foi esse, é muita filhadaputagem do Tite ou de quem quer que tenha partido a ordem. Ninguém, a não ser a própria pessoa que a sente, pode dimensionar o tamanho da dor do outro.

  13. Não sei qual a intenção de Tite , algum tempo atrás Walter merecia a titularidade , hoje não vejo desta maneira. Provavélmente deve ser para mexer com o elenco . Porém há coisas mais importantes a fazer nesse time, uma delas é encaixar esse meio campo. Abrir mão de volante de contenção que não serve pra nada , colocar dois meias de habilidade neste setor , para que a bola não queime nos pés . Coloque o menino Maicom com Elias de maneira paralela , Marlone e Gionavio Augusto , com Marquinhos Gabriel e André, num 4 4 2 , dúvido que este time não de resultado. Outra coisa libertadores não é liga dos campeões , aqui o couro come , o Titte tem que esquecer o politicamente correto neste torneio , não se ganha dando o outro lado da cara pra bater.

  14. Gilberto Maluf (Coluna do Leitor) gilberto maluf disse:

    Cassio estava merecendo uma dessa. É grande goleiro, vai se cuidar mais e voltará melhor.


Deixe um comentário

Enquete

Qual o maior técnico brasileiro dos últimos tempos?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Colunistas

Gabriel RosteyGabriel Rostey

Nascido dias após a seleção de Telê encantar o mundo e não levar o caneco na Copa da Espanha, esse paulistano atua e segue aprofundando estudos nas suas principais paixões: futebol e cidades. Especialista em gestão do esporte, como jornalista também encara o futebol como fenômeno cultural.

Emerson FigueiredoEmerson Figueiredo

Formado em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. Redator, repórter, pauteiro e editor-assistente da editoria de Esportes da Folha. Trabalhou também na Folha da Tarde, Agora São Paulo, BOL, AOL e UOL. Paulistano, acompanha de perto o futebol desde a época em que os camisas 10 dos grandes times paulistas eram Pelé, Rivellino, Gérson/Pedro Rocha, Ademir da Guia e Dicá.

José Maria de AquinoJosé Maria de Aquino

Em seus mais de cinquenta anos de carreira, teve passagem marcante pelos principais veículos de comunicação do país, de todos os tipos de mídia, como Rede Globo, SporTV, Revista Placar, O Estado de São Paulo, Jornal da Tarde e Portal Terra. Além de um expoente do jornalismo esportivo brasileiro, também é advogado de formação.

Gustavo FernandesGustavo Fernandes

Juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, não resiste a um bom debate sobre esportes, desde futebol até curling. São-paulino, é fundador e moderador do Fórum O Mais Querido (FOMQ). Não esperem ufanismos e clichês. Ele torce, mas não distorce.

Jorge FreitasJorge Freitas

“Prata da casa” oriundo da Coluna do Leitor, este internacionalista é tão louco por futebol que tratou do tema até em seu TCC. Mestrando em Análise e Planejamento em Políticas Públicas, neste espaço une o gosto por escrever com a paixão pelo esporte mais popular do mundo.

Fernando PradoFernando Prado

Natural de Brasília, mas residente em São Paulo desde que se conhece por gente, é um apaixonado por esportes e pela “sétima arte”. Jornalista e advogado, busca tratar o futebol com a descontração que lhe é peculiar, com o compromisso da boa informação e opinião consistente.

Fernando GaviniFernando Gavini

Jornalista há 19 anos, já cobriu Copa do Mundo, NBA, Nascar, Pan, Mundial de vôlei, Copa do Mundo de ginástica, Libertadores e as principais competições do futebol nacional. Começou no A Gazeta Esportiva, passou pelo site do Milton Neves, Agência Estado, Agora São Paulo, Terra, ESPN e está na TV Gazeta. A trabalho, conheceu 8 países, 18 estados do Brasil e mais de 100 estádios.

Assinatura por e-mail

Arquivos

©2017 No Ângulo - Todos os direitos reservados