Apesar da vitória corintiana, o Majestoso acabou bom pra todo mundo

Créditos da imagem: Miguel Schincariol/LANCE!Press

Em uma partida disputada e esquisita, o Corinthians mais uma vez bateu o São Paulo na Arena, desta vez por 2 x 0. Claro que ninguém quer perder, mas o são-paulino deve sair com boa impressão do desempenho da equipe tricolor, que teve o resultado comprometido por uma bizarra falha individual. Ao mesmo tempo, o corintiano teve tudo do que mais precisa agora: outro bom resultado que ajudará a dar confiança a este grupo totalmente novo e com poucas referências.

Enquanto a equipe do Morumbi tem uma base do ano passado e agora precisa é ser maturada sob o comando do competente e discreto Bauza (reparem como, tirando erros individuais, o sistema defensivo do time esteve bem postado no clássico), o alvinegro precisa de bons resultados para não se abater e passar a ser tratado como um “catadão pós-desmanche”.

Apesar de ter sido bem travado e cheio de briguinhas e reclamações (aliás, sou bem favorável à tal da “tolerância zero com reclamações” praticada em boa parte do Brasileirão passado, e ainda apoiaria algo do tipo para desentendimentos entre rivais), quase sem oportunidades de gol, gostei do que vejo na mentalidade das equipes. Ambas com zagueiros jovens e velozes, centroavantes participativos, movimentação e toques curtos, etc.

Pelo lado do Corinthians, penso que ainda não se pode cobrar boas atuações. Ninguém tem a menor ideia de qual será o quarteto de ataque titular, por exemplo. Apesar disso, há razões para muito otimismo: Tite está um mago para os padrões brasileiros (hoje o considero um dos melhores treinadores do mundo), fazendo juniores e jogadores sem nenhum cartaz jogarem bem, o elenco está muito equilibrado e farto de opções, vejo os jogadores de frente com mais poder de fogo do que os do ano passado, e por aí vai. Em algumas jogadas do primeiro tempo, foi possível ver a envolvente troca de passes que ocorria no excelente time do ano passado, ou seja, algo que parece ser produto concreto da sistemática de Seu Adenor.

A propósito, no último ano essa capacidade de fazer jogadores desconhecidos como Felipe, Yago e Rodriguinho (este cada vez melhor), além de juniores como Guilherme Arana, Malcom, Marciel, Maycon (desenvolto na partida) está me impressionando em Tite. Constantemente ele recebe críticas por não dar espaço para juniores, mas não acho que essa crítica seja merecida.

O São Paulo tem alguns motivos muito claros para melhorar logo. Um deles é a saída de Centurión (acho ele bom, mas não deu liga, deveria virar moeda de troca) para a provável entrada de Alan Kardec, ou mesmo Rogério – que sempre tem entrado bem -, além da contratação de um zagueiro e a volta de Lugano. Destaco a boa partida de Michel Bastos, e a atitude de Calleri – ele é um inferno para a defesa adversária, sempre incomoda e leva perigo, além de contagiar o resto do time.

De resto, sempre acharei uma violência ver juiz se metendo em faixas de protesto que não são contra a humanidade, por mais que regulamentos estúpidos, formulados por entidades igualmente estúpidas, determinem.

20 comentários em: “Apesar da vitória corintiana, o Majestoso acabou bom pra todo mundo

    1. 1940 o tricolor meteu 9 a 2 isso se não mostra um time da segunda divisão não lembro nome mais meteu mais de 10 gols a 0 no curynchas kkkkkkkkk isso se tambem não mostra o curychas ficou 11 anos perdendo pro santos de pelé kkkkk isso se não mostra fora outros chocolates nervosos nem vou zua kkkkkkkkkkk só o rai machucava bonito o curynchas 5 canecos pa nois kkkk

  1. Muito bom! O Corinthians jogou com a defesa toda caseira! Sim, inclusive o Fágner é cria de Itaquera (além de Felipe, Yago e Arana, este que tem jogado mais do que Uendel). Sem falar no Maycon, no Malcom (já vendido)… Seriam os “Meninos do Parque São Jorge”? =D

  2. Quanto ao São Paulo, gosto do que vejo. O Bauza é competente e já arrumou MUITO a casa. A atitude já é outra. Bem como o futebol praticado (muito mais organizado). Com as saídas de Lucão e Centurión, mais o entrosamento do time que só tende a aumentar, pode dar samba. E o Calleri impressiona, parece um tanque. 😉

Deixe sua opinião e colabore na discussão