Até quando a incompetência e o egoísmo de uns falarão mais alto que a paixão dos verdadeiros torcedores?

Créditos da imagem: Montagem / No Ângulo

O futebol brasileiro está podre. Não falo do que ocorre dentro das quatro linhas, mas fora delas, mais precisamente atrás das mesas da presidência, com a caneta na mão.

  • O Corinthians faz pífia temporada, de desmanche.
  • O Inter briga para não cair.
  • O Bahia já foi à Serie C.
  • O Vasco quase não volta – sem falar nos três rebaixamentos.
  • O Guarani quase acabou.
  • A Lusa não ficou no quase.
  • O São Paulo está em crise sem precedentes.
  • O Palmeiras foi rebaixado duas vezes e ficou a década sem títulos.
  • O Botafogo quis se apequenar.
  • O Santos já perdeu milhões de cifras.
  • O Grêmio bateu seu recorde de jejum de títulos.
  • Isso sem falar em todos os rebaixamentos de Galo, Fluminense,  Corinthians, Botafogo e Grêmio.

E o que tudo isso tem em comum? A incompetência e o egoísmo dos cartolas.

Incompetência porque não são preparados para gerir um produto de massa, com altas cifras e movido pela paixão. Acham que será como administrar uma loja de carros de luxo ou de charutos cubanos. Egoísmo porque acreditam que podem fazer o que quiserem, sem perguntarem a opinião de quem realmente apoia o time, os torcedores!

Findado o mandato, eles voltam para seus lares, impunes, ilesos, livres, muitas vezes de bolso gordo, enquanto a história do clube se mancha para sempre e a ferida do torcedor se torna incicatrizável.

Milhões não podem pagar pelo erro de um gato pingado que se considere o manda-chuva acima do bem e do mal.

Os clubes precisam passar por uma reforma de gestão, para que os responsáveis paguem de alguma maneira pelos seus erros. Na verdade, as equipes deveriam ser patrimônio público, cujos prejuízos deveriam se reverter àqueles que o mal governaram.

A temporada se perde, o clube fali, o dinheiro some e tudo fica na mesma para quem administrou.

Chega, torcedores. Chega!

6 comentários em: “Até quando a incompetência e o egoísmo de uns falarão mais alto que a paixão dos verdadeiros torcedores?

  1. Jorge Freitas, concordo que é inaceitável que os dirigentes possam fazer qualquer coisa e não responder por nenhum absurdo.

    Por outro lado, discordo quando diz em “ouvir mais os torcedores”, porque, em geral, acho que o nível da discussão futebolística com torcedores é péssimo aqui no Brasil. É uma pena, mas se for ouvir torcedor, vai sair tudo errado 😀

    1. Não sei exatamente qual a melhor solução Gabriel Rostey, mas definitivamente desse jeito está errado. Hoje Eurico demitiu Jorginho. Jorginho vai, Eurico fica. O problema continua.

Deixe sua opinião e colabore na discussão