W3vina.COM Free Wordpress Themes Joomla Templates Best Wordpress Themes Premium Wordpress Themes Top Best Wordpress Themes 2012

Célio Silva, o canhão do Parque São Jorge e do Gigante da Beira-Rio

o-zagueiro-celio-silva-foi-titular-e-jogou-todos-os-minutos-do-torneio-da-franca-em-1997-mas-acabaria-fora-da-selecao-que-disputou-a-copa-do-mundo-em-1998-1363790962768_615x470

Créditos da imagem: UOL

Vagno Célio do Nascimento Silva (Miracema, RJ, 20/05/1968) – Zagueiro de ótima impulsão, boa colocação e força física. Possuía um chute muito potente e marcou muitos gols de falta aproveitando esse canhão que o acompanhou ao longo de sua carreira. Foi dele o gol do título da Copa do Brasil de 1992, pelo Internacional, de pênalti, já no final da partida contra o Fluminense.

Desde os tempos que jogava aqui em Miracema, onde tive o prazer de atuar ao seu lado e de seus outros quatro irmãos, já demonstrava a sua versatilidade de atuar em mais de uma posição e uma liderança que o fez um jogador respeitado e adorado por onde passou.

Outro fator importante foi a persistência por não ter desistido da carreira logo na primeira adversidade que encontrou em Campos, depois de sair de uma cidade pequena do interior e ir morar longe da família.  Comprovei pessoalmente o quanto era difícil a sua luta para seguir adiante e concretizar o sonho de vencer no futebol. Poucos sabem das dificuldades pelas quais passou até chegar o momento de desfrutar da fama e da condição de ídolo de duas grandes e apaixonadas torcidas – Internacional e Corinthians – onde conquistou títulos importantes e deixou o seu nome marcado na história dos respectivos clubes.  Até hoje é reverenciado e convidado frequentemente a participar de diversas festividades que envolvem as duas agremiações.

Não posso deixar de citar duas pessoas que foram muito importantes no apoio, em todos os sentidos, para que o Celinho, assim o chamávamos, tivesse a mínima condição de suportar os obstáculos e a saudade de casa: José Maria, seu irmão mais velho, e o nosso amigo e conterrâneo Adilson Dutra, jornalista, que em Campos já residia e deu um apoio total e irrestrito ao garoto.

Célio saiu de Miracema para o time de juniores do Americano em 26 de fevereiro de 1986. Logo foi alçado para o time principal e em pouco tempo virou titular da zaga do time campista.  As convocações para a Seleção Brasileira de base virou rotina em 1987, onde participou do tradicional Torneio de Toulon, na França, e fez parte do grupo no Mundial de Juniores, no Chile.

As boas atuações despertaram o interesse de outros clubes, mas o Vasco foi mais rápido e o contratou junto ao Americano. Teve bons momentos no time carioca, mas o clube não teve a devida paciência de segurá-lo por mais tempo, já que o mesmo ainda era muito jovem.  Pelo Vasco foram 133 jogos e 3 gols (campeão carioca em 1988 e do brasileiro em 1989), Internacional (campeão gaúcho em 1991 e 92 e da Copa do Brasil em 1992), Caen/França, Corinthians – 157 jogos e 19 gols (campeão paulista em 1995 e 97 e da Copa do Brasil em 1995), Goiás, Flamengo – 19 jogos (campeão carioca e da Copa Mercosul em 1999), Atlético (campeão mineiro em 2000), Universidad Católica/Chile (campeão do Apertura 2002) e retornando ao Americano para encerrar a carreira, em 2003.

Na Seleção Brasileira foram 9 jogos, todos oficiais, entre os anos de 1992 e 1997. Fez parte do elenco que conquistou a Copa América de 1997. Por muito pouco não disputou a Copa do Mundo de 1998, na França. Os sérios problemas no joelho abreviaram a trajetória de Célio Silva no futebol.

Após encerrar a carreira fez cursos e se preparou para ser técnico de futebol, chegando a comandar alguns times. No entanto, o lado social falou mais alto e até recentemente foi um dos comandantes do projeto Esperança Esporte Clube, projeto esse direcionado para crianças carentes, que procuram no esporte a “esperança” de um futuro melhor, não necessariamente em ser um jogador de futebol, mas, preferencialmente, um homem de bem e digno com a profissão que abraçar.

Choque de realidade na Libertadores: teremos três brasileiros eliminados na primeira fase?
Ricardo Oliveira e Vasconcelos, nada a ver. Tudo a ver

Escrito por:

- possui 23 artigos no No Ângulo.

Natural de Miracema, terra do mestre José Maria de Aquino, Ademir Tadeu é um colecionador de coisas sobre futebol, além de se considerar um saudosista, um genuíno amante da bola.


Entre em contato com o Autor

15 respostas para “Célio Silva, o canhão do Parque São Jorge e do Gigante da Beira-Rio”

  1. Esse tinha uma verdadeira BOMBA no pé, Ademir Tadeu! De furar as redes! hehehe

  2. Marcelo Bispo disse:

    1995 zaga Célio Silva e Henrique e Ronaldo giovanelli no gol aiiii chega …o mercenário ….técnico Wanderlei Luxemburgo e manda os …3 embora……..

  3. Marcelo Bispo disse:

    Célio Silva o canhão do parque são Jorge….

  4. José Maria de Aquino Jose Aquino disse:

    Um exemplo para os que pensam seguir a carreira de jogador, achando que é f[acil, basta ter um empresário amigo de dirigentes. Não é bem assim…E belo texto de quem o conhece de perto.

  5. Caio Angelis esse é monstro

  6. Foi uns dos melhores zagueiros do Corinthians. Assino em baixo Nego Gelo

  7. Gilberto Maluf (Coluna do Leitor) gilberto maluf disse:

    E ainda teve que jogar por dois na zaga do Corinthians. Explico, o técnico escalava ao seu lado o Alexandre Lopes, uma avenida.

  8. Zagueiro zagueiro, sem atividades midiáticas. Tive o prazer de conhecer em Campos dos Goytacazes.

  9. Era realmente muito bom zagueiro! Penso que por alguns anos merecia fazer parte do grupo da Seleção.


Deixe um comentário

Enquete

Qual o maior técnico brasileiro dos últimos tempos?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Colunistas

Emerson FigueiredoEmerson Figueiredo

Formado em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. Redator, repórter, pauteiro e editor-assistente da editoria de Esportes da Folha. Trabalhou também na Folha da Tarde, Agora São Paulo, BOL, AOL e UOL. Paulistano, acompanha de perto o futebol desde a época em que os camisas 10 dos grandes times paulistas eram Pelé, Rivellino, Gérson/Pedro Rocha, Ademir da Guia e Dicá.

Gustavo FernandesGustavo Fernandes

Juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, não resiste a um bom debate sobre esportes, desde futebol até curling. São-paulino, é fundador e moderador do Fórum O Mais Querido (FOMQ). Não esperem ufanismos e clichês. Ele torce, mas não distorce.

Jorge FreitasJorge Freitas

“Prata da casa” oriundo da Coluna do Leitor, este internacionalista é tão louco por futebol que tratou do tema até em seu TCC. Mestrando em Análise e Planejamento em Políticas Públicas, neste espaço une o gosto por escrever com a paixão pelo esporte mais popular do mundo.

Fernando PradoFernando Prado

Natural de Brasília, mas residente em São Paulo desde que se conhece por gente, é um apaixonado por esportes e pela “sétima arte”. Jornalista e advogado, busca tratar o futebol com a descontração que lhe é peculiar, com o compromisso da boa informação e opinião consistente.

José Maria de AquinoJosé Maria de Aquino

Em seus mais de cinquenta anos de carreira, teve passagem marcante pelos principais veículos de comunicação do país, de todos os tipos de mídia, como Rede Globo, SporTV, Revista Placar, O Estado de São Paulo, Jornal da Tarde e Portal Terra. Além de um expoente do jornalismo esportivo brasileiro, também é advogado de formação.

Gabriel RosteyGabriel Rostey

Nascido dias após a seleção de Telê encantar o mundo e não levar o caneco na Copa da Espanha, esse paulistano é especialista em política urbana. Com formação em gestão do esporte, também encara apaixonadamente o futebol como fenômeno cultural.

Fernando GaviniFernando Gavini

Jornalista há 19 anos, já cobriu Copa do Mundo, NBA, Nascar, Pan, Mundial de vôlei, Copa do Mundo de ginástica, Libertadores e as principais competições do futebol nacional. Começou no A Gazeta Esportiva, passou pelo site do Milton Neves, Agência Estado, Agora São Paulo, Terra, ESPN e está na TV Gazeta. A trabalho, conheceu 8 países, 18 estados do Brasil e mais de 100 estádios.

Assinatura por e-mail

Arquivos

©2017 No Ângulo - Todos os direitos reservados