Colômbia e torcida são os desafios do Brasil

Créditos da imagem: Alexandre Schneider / Getty Images

O jogo deste sábado contra a Colômbia, pelas quartas de final do Torneio Olímpico de Futebol, será mais um teste para a seleção brasileira masculina e também para o comportamento dos torcedores. Os empates em 0 x 0 nas duas primeiras atuações (África do Sul e Iraque) dominaram os debates nas mídias sociais.

Os memes focaram principalmente a comparação entre Neymar e Marta e retrataram o “pé atrás” de setores da torcida em relação a qualquer equipe brasileira que se forme nos tempos atuais. Fruto da falta de grandes títulos há 14 anos e da recordação do desastre do 7 x 1.

Tudo mudou com a vitória sobre a Dinamarca, em Salvador. Para parte da torcida brasileira, bastam alguns tropeços para que um time seja considerado um enorme fiasco. Mas uma ou duas jogadas de talento, que conduzam o time à vitória, servem para que esta torcida seja revertida e retome a fé.

O trio-ternura Neymar, Gabriel Jesus e Gabigol virou, após dois empates, o trio-fracasso. Mas os 4 x 0 na Dinamarca abriram o sorriso dos torcedores. E nem precisava de tanto. Se for mais ou menos, tá valendo.

Esta parte da torcida gosta de quem ganha, nem precisa atuar tão bem assim. Afinal, quem atua bem mas não ganha também não tem atenuantes: vai direto para o fosso dos fracassados. Lembram-se de 82?

Claro que também são feitas críticas que merecem respeito. Análises que encontram sustentação em bons argumentos e observações corretas. Devemos respeitá-las.

O time brasileiro é de bom nível. Tem atacantes de qualidade. O meio de campo une talento e a experiência de Renato Augusto (vaiado na segunda partida e aplaudido contra os dinamarqueses). O que ainda não sabemos é o quanto podemos confiar no técnico Micale. Na última partida, parece que houve um providencial aconselhamento com Tite.

O jogo contra a Colômbia é o mais desafiador até agora porque trata-se de um futebol que tem evoluído muito nas últimas décadas, é uma partida eliminatória e será disputada em São Paulo. O público paulista não tem a mesma paciência com a seleção brasileira que outros Estados demonstram. A esperança é o fato de a Seleção ter Zeca, Rodrigo Caio, Marquinhos, Renato Augusto, Neymar, Gabigol e Gabriel Jesus, xodós das quatro principais torcidas do estado.

Parte dos torcedores estão aí para aplaudir e condenar com o mesmo entusiasmo. Prever o comportamento deles diante de eventuais dificuldades será tão desafiador quanto a sempre difícil Colômbia.

3 comentários em: “Colômbia e torcida são os desafios do Brasil

  1. Eu tenho a impressão que este é o jogo-chave para o Brasil neste torneio! Acho que é o jogo que combina adversário perigoso com um momento em que ainda não sabemos como o Brasil vai se comportar (venceu bem contra a fraca Dinamarca, mas ainda não tem uma confiança adquirida em alguns jogos),

    Se passarmos hoje, vejo boas chances de ouro 😉

Deixe sua opinião e colabore na discussão