W3vina.COM Free Wordpress Themes Joomla Templates Best Wordpress Themes Premium Wordpress Themes Top Best Wordpress Themes 2012

Como estão hoje os onze titulares da Seleção Brasileira no 7 x 1?

Hulk-Bernard_w484

Créditos da imagem: Gallery 4 Share

A maior vergonha do futebol brasileiro? Provável que sim. E como fica um profissional após passar por isso?

Na semana em que o histórico 7 x 1 sofrido pela Seleção Brasileira contra a Alemanha completou um ano, veja como estão hoje os onze titulares do Brasil que entraram em campo no Mineirão naquele fatídico dia. Alguns continuam com um certo prestígio na equipe hoje comandada por Dunga. Outros, porém, nunca mais foram convocados:

Júlio César – O homem de confiança de Felipão. Ficou marcado por levar dez gols em dois jogos (além dos sete da Alemanha, o Brasil perdeu de 3 x 0 para a Holanda na disputa do terceiro lugar). Apesar disso, não teve problemas para arrumar um novo clube. Foi jogar no Benfica. Lá, ganhou o Campeonato Português e a Taça da Liga. Não voltou mais para a Seleção e nem deve voltar.

Maicon – Continuou jogando pela Roma depois da Copa. Mas não é titular absoluto do time italiano, jogou pouco na temporada e, às vezes, fica no banco. O destino de Maicon na Seleção parece ser o mesmo de Júlio Cesar: não ser mais convocado.

David Luiz – Assim como todo o resto do time, teve uma atuação desastrosa na goleada. Mas, apesar de tudo, David Luiz foi um dos poucos jogadores poupados pelo técnico Dunga, que assumiu a equipe depois da Copa. Jogou bem no PSG, tem um carinho especial dos torcedores brasileiros e hoje é um dos líderes da Seleção dentro de campo.

Dante – Foi o substituto de Thiago Silva, que estava suspenso. Uma péssima partida do zagueiro baiano, que esteve perdido em campo e não conseguiu fazer a marcação correta nos companheiros de Bayern de Munique. Depois da Copa, acabou até perdendo espaço no time alemão. Não voltou mais para a Seleção.

Marcelo – Um dos jogadores menos afetados pelo 7 x 1. É um bom lateral e continuou jogando muito bem pelo Real Madrid, tanto que voltou a ser convocado para a Seleção. Só não jogou a Copa América porque estava machucado.

Luiz Gustavo – Não ficou tão marcado como um dos principais responsáveis pelo 7 x 1 e voltou a jogar pelo Brasil após a Copa. Pelo Wolfsburg, fez uma ótima temporada, sendo vice-campeão alemão e ganhando a Copa da Alemanha. É difícil apontar algum jogador como o grande responsável pela derrota para a Alemanha. O time todo foi mal, mas claro que a defesa vai ser mais castigada pelo fato de tomar 7 gols.

Fernandinho – Antes da Copa, fez uma excelente temporada pelo Manchester City e era apontado como um dos grandes destaques do meio-campo do Brasil. Depois do Mundial, caiu muito de rendimento. Jogou a Copa América, mas entendo que o Brasil possui jogadores mais qualificados do que ele para a posição.

Bernard – Entrou com a tarefa mais difícil do que a de qualquer outro: substituir Neymar. Não creio que era o momento para ser escalado, num jogo de tamanha importância e da forma com que tudo aconteceu, tanto que sentiu a pressão e não jogou bem. Hoje, Bernard é reserva no Shakhtar e não voltou mais para a Seleção. Apesar de tudo, acho que ele pode vir a merecer uma nova chance no time do Brasil.

Oscar – Fez o gol de honra contra a Alemanha e o último do Brasil na Copa. O meia teve muitas oscilações no Chelsea e em muitos jogos, não conseguiu mostrar o bom futebol que o levou a ser uma das grandes esperanças do Brasil, ao lado de Neymar. Foi convocado por Dunga depois do desastre, e só não jogou a Copa América porque estava machucado.. Ainda é muto jovem e merece outras chances na Seleção.

Hulk – No Zenit, foi artilheiro e campeão russo. Mas há de ressalvar que os campeonatos de lá não são dos melhores e não servem de parâmetro para o futebol mundial. Hulk tem qualidade e joga bem, mas precisa mostrar seu jogo nos grandes palcos do futebol. Não voltou mais para a Seleção.

Fred –  Foi considerado um dos principais culpados pela campanha do Brasil na Copa. Só fez um gol no Mundial, aguentou críticas, vaias e foi alvo de várias piadas na internet. Depois da Copa, o atacante do Fluminense foi apoiado pela torcida tricolor, terminou como artilheiro do Brasileirão 2014 com 18 gols e é a referência do time dentro e fora de campo. Não jogou mais pela Seleção.

Felipão – Após o fracasso na Copa, Felipão voltou às origens e assumiu o comando do Grêmio para a disputa do Brasileirão. O time ficou no meio da tabela e não conseguiu uma vaga na Libertadores. Para piorar, o tricolor gaúcho perdeu a final do campeonato estadual para o rival Internacional. Qual a consequência disso tudo? Felipão pediu demissão. Hoje, ele é treinador do Guangzhou Evergrande, da China.

 

No ciclo rubro-negro, Cristóvão Borges é o atual zumbi
Palpites da 13ª rodada do Brasileirão 2015

Escrito por:

- possui 1 artigos no No Ângulo.

O paulistano, Vinicius Dotti é um jornalista apaixonado por futebol.
Atuou como produtor e editor de texto e vídeo no Canal Terraviva, e hoje é fotógrafo e analista de mídias sociais da Fundação iFHC.


Entre em contato com o Autor

13 respostas para “Como estão hoje os onze titulares da Seleção Brasileira no 7 x 1?”

  1. HULK é bom e devia ter vindo pra essa copa america

  2. Dinheiros ate d mais o nois aqui preoculpados cm isso.

  3. Bem ganhando bastante dinheiro $$

  4. Luiz Eduardo disse:

    tao jogando e ganhando milhoes e eu n estou neem ai pra eles pq eu tenho q trabalhar!!!

  5. Jabson Gave disse:

    Destroido como sempre

  6. Alex Pires disse:

    ALÔ TORCIDA DO FLAMENGO!!! ( AQUELE ABRAÇO)

  7. Jamerson Leal disse:

    Todos mais ricos e com contratos milionários.

  8. Tao tudo dando a bunda kkkkkkk bando de desgraçados


Deixe um comentário

Enquete

Qual o maior técnico brasileiro dos últimos tempos?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Colunistas

Emerson FigueiredoEmerson Figueiredo

Formado em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. Redator, repórter, pauteiro e editor-assistente da editoria de Esportes da Folha. Trabalhou também na Folha da Tarde, Agora São Paulo, BOL, AOL e UOL. Paulistano, acompanha de perto o futebol desde a época em que os camisas 10 dos grandes times paulistas eram Pelé, Rivellino, Gérson/Pedro Rocha, Ademir da Guia e Dicá.

Gustavo FernandesGustavo Fernandes

Juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, não resiste a um bom debate sobre esportes, desde futebol até curling. São-paulino, é fundador e moderador do Fórum O Mais Querido (FOMQ). Não esperem ufanismos e clichês. Ele torce, mas não distorce.

Jorge FreitasJorge Freitas

“Prata da casa” oriundo da Coluna do Leitor, este internacionalista é tão louco por futebol que tratou do tema até em seu TCC. Mestrando em Análise e Planejamento em Políticas Públicas, neste espaço une o gosto por escrever com a paixão pelo esporte mais popular do mundo.

Fernando PradoFernando Prado

Natural de Brasília, mas residente em São Paulo desde que se conhece por gente, é um apaixonado por esportes e pela “sétima arte”. Jornalista e advogado, busca tratar o futebol com a descontração que lhe é peculiar, com o compromisso da boa informação e opinião consistente.

José Maria de AquinoJosé Maria de Aquino

Em seus mais de cinquenta anos de carreira, teve passagem marcante pelos principais veículos de comunicação do país, de todos os tipos de mídia, como Rede Globo, SporTV, Revista Placar, O Estado de São Paulo, Jornal da Tarde e Portal Terra. Além de um expoente do jornalismo esportivo brasileiro, também é advogado de formação.

Gabriel RosteyGabriel Rostey

Nascido dias após a seleção de Telê encantar o mundo e não levar o caneco na Copa da Espanha, esse paulistano é especialista em política urbana. Com formação em gestão do esporte, também encara apaixonadamente o futebol como fenômeno cultural.

Fernando GaviniFernando Gavini

Jornalista há 19 anos, já cobriu Copa do Mundo, NBA, Nascar, Pan, Mundial de vôlei, Copa do Mundo de ginástica, Libertadores e as principais competições do futebol nacional. Começou no A Gazeta Esportiva, passou pelo site do Milton Neves, Agência Estado, Agora São Paulo, Terra, ESPN e está na TV Gazeta. A trabalho, conheceu 8 países, 18 estados do Brasil e mais de 100 estádios.

Assinatura por e-mail

Arquivos

©2017 No Ângulo - Todos os direitos reservados