Comparações inevitáveis: enquanto o Botafogo sobra, o Flamengo soçobra

Créditos da imagem: Montagem / No Ângulo

Quase final do primeiro semestre de futebol brasileiro e as comparações surgem como inevitáveis. Por méritos e deméritos, sucessos e fracassos, alguns times se evidenciam em distinção a outros. A surpresa, no entanto, é que neste ano os resultados parecem às avessas daqueles esperados quando, em janeiro, foi dado o pontapé inicial.

Se em São Paulo o Corinthians foi taxado com quarta força e tem jogado o futebol mais consistente do estado – senão do Brasil –, ultrapassando os 70 dias invictos, no Rio, uma dupla que iniciou o ano com objetivos parecidos chega a junho com conquistas distintas e uma inversão de papeis que pareceria surreal se dita logo no início da temporada.

Fadado a dois duelos sacrificantes já no início da temporada por conta da Pré-Libertadores, o Botafogo parecia que não iria tão longe e que seria presa fácil em um grupo formado pelo atual campeão continental e por times com maior tradição internacional do que ele próprio. Engana-se. O Fogão não deu bola para seus adversários, classificou-se em todas as fases, inclusive como primeiro do grupo e chega firme, com um time sólido e consciente às oitavas de final da Liberta. Além disso, tem um ótimo início de Brasileiro e parece que será um time difícil de ser batido nesta temporada.

Enfim, o Botafogo sobra.

Já seu rival, o Flamengo, iniciou com pompa e circunstância a temporada, com contratações renomadas e um time estelar, com a cara de que brigaria por tudo e estilhaçaria qualquer adversário que encontrasse pela frente. Até ganhou o Carioca invicto, é verdade, mas fracassou miseravelmente no principal objetivo do ano com a proeza de, pela terceira vez seguida, não passar sequer da fase de grupos da Libertadores. No Brasileiro, por enquanto ganhou uma, apenas do lanterna – que quase o eliminou também da Copa do Brasil -, e mostra um time inseguro, sem um padrão tático muito bem estabelecido, exatamente ao contrário do Fogão.

O Flamengo soçobra.

O Botafogo dá um show no rival neste início de temporada e enche os olhos daqueles que querem ver o Glorioso voltar ao lugar do qual nunca devia ter saído, entre os melhores times do Brasil e da América.

Findo maio e a impressão já está clara: para o Botafogo, muita coisa já foi ganha; para o Flamengo, muita já foi perdida.

Comparações inevitáveis no nosso futebol brasileiro.

9 comentários em: “Comparações inevitáveis: enquanto o Botafogo sobra, o Flamengo soçobra

  1. Hummm… concordo com a sua avaliação, mas acho que ainda é tudo meio provisório. Acho o Flamengo bem superestimado e que o Botafogo ainda é subestimado, sempre visto como surpresa quando já não é mais.

    Mas, ainda assim, acho que bastariam poucos resultados para mudar tudo isso. E para o Botafogo é melhor que continue esse “descrédito” 😉

    1. Sim, Gabriel Rostey, é provisório. Fiz uma análise do começo do ano até aqui, sem levar em conta o que há de vir. Fato é que, se olharmos apenas o intervalo destes meses, o Botafogo mesmo tendo perdido o Estadual muito já ganhou, e o Flamengo mesmo tenho ganho o Estadual muito já perdeu.

Deixe sua opinião e colabore na discussão