Depois de 11 rodadas, três líderes e muito equilíbrio no Brasileirão

Créditos da imagem: Montagem de NO ÂNGULO

Passadas onze rodadas do Brasileirão 2015, já podemos afirmar que este deverá ser um dos campeonatos mais disputados da “Era” dos pontos corridos.

Apenas cinco pontos separam o oitavo colocado São Paulo (18) do líder Atlético Mineiro (23).  Os três primeiros estão empatados com o mesmo número de pontos, diferenciando-se apenas pelo número de vitórias e saldo de gols.

No pelotão de frente, Atlético Mineiro, Corinthians, Palmeiras e São Paulo, começaram como favoritos à conquista do “caneco” e consolidam essa condição com uma boa pontuação, enquanto Sport, Grêmio, Fluminense e Atlético-PR estão surpreendendo e sendo adversários bastante indigestos.

Entre os mais cotados, o Atlético-MG parece ser um candidato fortíssimo ao título, tanto pelo grande técnico que possui e capacidade de seu elenco, quanto pelo espírito solidário incorporado pelos comandados de Levir Culpi. Explico: o Atlético joga com a bola e mais ainda sem ela. É um time moderno e difícil de ser batido. A única derrota até agora foi para o arquirrival Cruzeiro, em um clássico com todas as nuances que esse tipo de jogo costuma proporcionar.

Como surpresa negativa podemos listar o Santos (campeão estadual e dono de um dos melhores ataques do país, com jogadores como Lucas Lima, Geuvânio e Ricardo Oliveira), o Internacional (único representante brasileiro nas finais da Copa Libertadores) e o Cruzeiro (atual bicampeão da competição). Por razões distintas – o Santos sem dinheiro, sem Robinho e sem técnico efetivo; o Internacional sem foco e motivação para o campeonato nacional, e o Cruzeiro desmontado e sem o seu grande técnico – Marcelo Oliveira -, estão todos muito aquém de sua capacidade.

Voltando aos favoritos, arriscaria em três: Atlético-MG, Corinthians – que parece estar retomando a confiança e conjunto após a perda de peças importantes – e Palmeiras, que com um elenco numeroso e qualificado nas mãos do especialista em pontos corridos Marcelo Oliveira, tem tudo pra dar certo.

Ainda entre as equipes da metade de cima da tabela, acredito que Sport e Atlético Paranaense continuarão sendo muito fortes jogando em seus domínios, porém imagino que não conseguirão manter a mesma regularidade fora, o que comprometerá a campanha de ambos. Já Fluminense e Grêmio vivem ótimo momento após a troca no comando (Enderson e Roger deram outra cara às respectivas equipes), mas deverão sofrer com a limitação de seus elencos. O São Paulo, por sua vez, está perdendo forças e não deverá ir longe na competição, muito em razão de sua atual confusa gestão administrativa. Com problemas financeiros e políticos, muito dificilmente time e diretoria conseguirão manter a concentração no campeonato, que é longo.

Na “zona da bagunça”, a disputa deverá ser bastante sofrida. A equipe do Joinville parece não ter forças para se recuperar. O JEC deve ser o primeiro a cair, voltando para a Segunda Divisão. Outros fortes candidatos ao descenso são o Coritiba, o Vasco e o Goiás, todos limitadíssimos e sem grandes perspectivas de boas contratações. Pra ser justo, Coritiba e Vasco ainda trouxeram algumas peças, porém nada que possa resolver todos os problemas.

Por fim, vale ligar o sinal de alerta para o Santos, um dos poucos clubes que jamais caiu para a Segundona. A equipe da Baixada está na zona da degola e preocupa. No entanto, acredito que tenha total potencial para sair tranquilamente dessa situação, desde que não demore (ainda mais) para contratar um treinador gabaritado e reponha com qualidade a saída de Robinho.

É isso! Se o nível não está lá essas coisas, o equilíbrio do Campeonato Brasileiro acaba sempre sendo um atrativo.

Que comece a 12ª rodada!

6 comentários em: “Depois de 11 rodadas, três líderes e muito equilíbrio no Brasileirão

  1. O Atlético-MG é o time a ser batido.

    Logo atrás, imagino que seja o Palmeiras de Marcelo Oliveira.

    E ainda não descartaria o Sport, que esse ano tem sim muitos jogadores rodados e é muito forte jogando no Recife.

Deixe sua opinião e colabore na discussão