Diretoria incompetente pode fazer Carille passar de boa solução para fim da picada

Créditos da imagem: Diego Ribeiro (GloboEsporte.com)

Não quero posar de guru dos deuses, mas desde o final do ano passado, quando parecia evidente a saída de Tite para a Seleção ou o exterior, dizia aos amigos que o Corinthians tinha que procurar uma solução caseira para o comando do time. Tite não foi apenas o maior técnico da história do clube. Ele implantou uma nova filosofia – já iniciada por Mano Menezes, para fazer justiça. O Corinthians ganhou, desde 2008, uma “cara única”, um estilo próprio e super vencedor.

Trocar por outro que não tivesse linha de trabalho semelhante, convivido no mesmo ambiente e fosse conhecedor dos jogadores e da estrutura, seria um risco grande. Mas o que se viu foi um total despreparo diante de um fato cantado e decantado. E quando se efetivou a saída de Tite, começou a sequência de erros

Primeiro, a genial diretoria achou que Cristóvão Borges faria omelete com os ovos já mexidos e temperados por Tite -lembrando que o time já estava sendo mais uma vez desmontado. Deu no que deu.

A ideia maravilhosa seguinte foi efetivar Fábio Carille, sob as ameaças e cobranças da torcida e sem nenhum diretor de peso para fazer o anteparo diante da mídia e da opinião pública. Não lhe deram tempo e queimaram uma saída que poderia ter sido bem trabalhada.

O golpe de mestre da genial direção corintiana foi chamar o moderno e revolucionário Oswaldo. O resultado só poderia ser a humilhante não classificação para a Libertadores. Para piorar, bancaram que Oswaldo seria o técnico para 2017. Choveram críticas de tudo que era lado e o demitiram por telefone, além dizer que foi um erro contratá-lo. Papelão!

Na sequência, acenaram com um técnico estrangeiro – experiência que há décadas não dá certo no Brasil. Enquanto isso, levaram foras de Dorival Júnior, Jair Ventura, Guto Ferreira e do pretendido colombiano. Antes, já tinham sido esnobados por Roger, Sylvinho, Eduardo Baptista, entre outros.

Foi-se o tempo que excelentes técnicos se ofereciam para treinar o Corinthians. Já é difícil assumir a missão de substituir Tite. Imagine ainda com uma diretoria como essa na retaguarda.

A confirmação de Carille foi o fim da picada. Jogaram novamente o profissional no caldeirão.

Mas há um jeito de Roberto Andrade & cia tentarem dar um bom seguimento à situação. Para isso, precisarão da honestidade, coragem e humildade necessárias para virem a público e dar os seguintes recados aos torcedores:

1)            Erramos ao não prever que Tite e parte da comissão técnica poderiam sair a qualquer momento e não preparar um plano B que mantivesse a estrutura de trabalho que tem dado certo desde 2008;

2)            Erramos ao apostar em nomes que não estavam sintonizados com o momento do clube;

3)            Erramos ao não dar respaldo a nenhum dos profissionais que colocamos como técnicos, inclusive o Carille;

4)            Enfatizamos que o clube está em uma fase de entressafra, sem dinheiro e com um elenco muito ruim;

5)            Não temos recursos para montar uma grande equipe. Por isso, usaremos os conhecimentos de Carille e de seu assistente Osmar Loss, treinador do sub-20, para buscar nas categorias de baixo soluções para as carências do time, já que não há opções no mercado nem dinheiro em caixa;

6)            Não cobrem títulos em 2017! Faremos um trabalho de montagem de uma estrutura que tenha um futuro promissor e dentro das condições do clube. Se vier algum título, os méritos são da comissão técnica e dos jogadores;

7)            Daremos todo o respaldo que a nova comissão técnica precisar. Inclusive, vindo a público com frequência para prestar contas sobre o que está sendo feito.

Será que essa turma tem disposição de assumir efetivamente os cargos que ocupam e tomar essas medidas imediatamente? Hoje, o presidente nem deu as caras na coletiva do anúncio de Carlille…

3 comentários em: “Diretoria incompetente pode fazer Carille passar de boa solução para fim da picada

  1. Esta diretoria do Corinthians está uma coisa assustadora. Não sei se é birra minha, mas só de ver esta foto, Emerson Figueiredo, acho que já fica claro o amadorismo: esse banner mequetrefe com os patrocinadores, ninguém uniformizado, ausência do presidente… simplesmente não consigo entender o que esperam.

Deixe sua opinião e colabore na discussão