É impossível não sentir a falta da Azurra na Copa do Mundo

Créditos da imagem: Unknown

O futebol é ingrato e injusto.

Não há outros adjetivos que possam ser usados às vésperas da Copa do Mundo quando percebemos que a segunda seleção mais vitoriosa da história está fora da disputa deste ano.

Ingrato e injusto, pois fosse ele um esporte justo, a Itália jamais ficaria de fora de uma Copa do Mundo.

Fosse grato, receberia a Azurra de braços abertos após ser recebida carinhosamente tantas vezes pela seleção em Copas do Mundo e em Eurocopas.

Tudo bem que a Itália vive uma de suas piores fases da história, mas quem somos nós para recusá-la num Mundial?

Quem recusaria um evento com Michael Jordan novamente em quadra ou com Phelps nas piscinas?

Não há ganhos com estas ausências.

Aos mais novos, era a última chance de ver a magia do maior goleiro da história, Buffon. Aos mais velhos, a estranha sensação de ter uma camisa azul a menos em campo, de peso, presente no topo do pódio em quatro mundiais, além de mais outras duas finais.

E tudo isso por uma Suécia limitada, capaz de não vencer o Peru dentro de casa, sem a estrela de Zlatan Ibrahimovic, e que deverá ficar pelo caminho já na primeira fase.

Os deuses do futebol certamente dormiam enquanto ambas as seleções disputavam a última vaga pela repescagem, no ano passado.

Aliás, o Imponderável deveria abrir uma exceção e dar sempre preferência a quem já foi campeão mundial. Vaga cativa a quem está sempre presente para abrilhantar o maior espetáculo da Terra.

Imaginar que Buffon verá a Copa pela TV é de cortar o coração. Supergigi, o monstro campeão de 2006 e que jurou proteger as traves durante sua carreira – e cumpriu -, não poderá fazê-lo pela última vez sob os holofotes do maior evento do planeta.

Enfim, não há mais o que se fazer a não ser lamentar.

Estamos à mercê do Sobrenatural de Almeida, personagem criado por Nelson Rodrigues, responsável pelas zebras históricas do futebol.

5 comentários em: “É impossível não sentir a falta da Azurra na Copa do Mundo

  1. Ok, realmente bacana o texto e a foto que o ilustrou. Mas Buffon melhor da história??????????????

  2. Sinceramente, não acho que este futebol italiano tem feito falta. Também tenho receio de que pessoas mal intencionadas pequem este sentimento de ausência e promovam meios de facilitar a vida de quem não tem competência. A Copa de 48 seleções, defendida pelo italiano presidente da FIFA, já é um exemplo disso. No Brasil, vimos até o escritor LF Veríssimo (que adora defender certos fazedores de marmelada) falando a favor de vagas cativas para times grandes na primeira divisão. O futebol não foi injusto com a Itália. A Itália é que não fez jus a tudo o que construiu em seu passado.

  3. Sentir saudades da seleção da Itália na Copa do Mundo é uma coisa agora falar que futebol é injusto, injusto nada a Itália teve a mesma chance das outras seleções de se classificar, futebol é momento, história conta tbm porém história não pode resolver os resultados atuais do time, se não teríamos uma Champions sempre com Milan, Ajax e Nottingham Forrest, enquanto Psg, City e outros times não campeões ficariam de fora. Uma pena a Azurra não estar na Copa porém é muito justo

Deixe sua opinião e colabore na discussão