É melhor “Jair” se acostumando com Ventura

Créditos da imagem: Rodrigo Gazzanel / Agência Corinthians

Jair Ventura surgiu no ano passado como um dos técnicos mais promissores do cenário nacional.

No comando de um Botafogo bastante limitado, alcançou as quartas de fiinal da Libertadores da América e caiu nas graças da torcida, que viu no treinador a oportunidade de se manter com um time competitivo e alcançar glórias que neste século ainda não viu.

Mas se Ventura esteve por cima no ano passado, dificilmente imaginava que tão breve estaria por baixo, como acontece em 2018.

Assumiu o Santos no começo do ano, fez a pré-temporada como qualquer outra equipe brasileira e, apenas sete meses depois, foi demitido do clube com um aproveitamento pífio de 44,4%. No Peixe, Jair acumulou mais derrotas do que vitórias (15 a 14) e deixou o time próximo da zona do rebaixamento do Brasileirão.

Com pouco tempo para pensar em seus erros, foi convidado por Andrés Sanches para conduzir o projeto de equipe que o presidente corintiano fantasiou existir.

Em 13 jogos no Timão, Ventura tem apenas três vitórias e acumula o péssimo aproveitamento de 33,3%. Com a derrota para o Botafogo, chegou à sua sexta desde que assumiu o time.

Além disso, taxado de bom defensor, só não levou gol em dois jogos e jamais conseguiu uma vitória fora de casa.

Ao analisarmos as trajetórias tanto de Santos quanto de Corinthians, fica nítida a diferença de desempenho de ambos os times com e sem Jair Ventura. Com ele, somados, foram apenas 24 pontos conquistados em 21 jogos.

Enquanto o alvinegro praiano disparou e agora já briga por uma vaga na Libertadores, o da capital entrou em queda livre e vê o fantasma do rebaixamento cada vez mais assustador.

Se Jair Ventura fosse um time, teria o mesmo aproveitamento, por exemplo, do Ceará, que só conseguiu sair da zona do rebaixamento na rodada passada.

O pior de tudo é que o vice da Copa do Brasil só serviu para enganar um trabalho péssimo, que criou um time inofensivo e sem segurança defensiva.

É claro que é cedo para cravar que Jair não é um bom treinador, assim como demonstrou ser cedo demais quando cravamos o contrário.

No entanto, para quem esperava mais, talvez seja melhor já ir se acostumando com um treinador de baixo repertório e acostumado a times que não briguem anualmente pelos maiores títulos da temporada.

Se foi uma das grandes surpresas no ano passado, Ventura é uma das grandes decepções desta temporada.

Um comentário em: “É melhor “Jair” se acostumando com Ventura

Deixe sua opinião e colabore na discussão