W3vina.COM Free Wordpress Themes Joomla Templates Best Wordpress Themes Premium Wordpress Themes Top Best Wordpress Themes 2012

E o Vasco volta a precisar de um milagre

Vasco-Chapecoense-Maracana-fotoPaulo-SergioLANCEPress_LANIMA20151015_0368_6

Créditos da imagem: Paulo Sergio/LANCE!Press

A missão do Vasco no segundo turno do Brasileirão era ingrata e com ares de milagre. O time estava fadado ao descenso desde aquele momento. Mas a vinda de jogadores como Nenê e Jorge Henrique, e do treinador Jorginho, fez o time adiar o rebaixamento, somar pontos e reanimar a torcida. A esperança voltava e o que era milagre já parecia completamente possível.

O jogo dessa quarta, contra a Chape, no Maracanã, era então a chance de ficar a meros três pontos de sair da zona de rebaixamento. Enfim, o Gigante da Colina poderia depender apenas de uma vitória para aliviar a tensão. Por fim, o cruzmaltino daria um grande passo depois de tanto sofrimento.

Mas a situação não está simples, o time ainda peca em muitos quesitos, e contra uma Chapecoense muito fechada, apresentou bastante dificuldades e ficou apenas no 1 a 1. Ressalva-se a interferência da arbitragem na partida: Rodrigo subiu nas costas do marcador no gol vascaíno; em contrapartida, a bola bateu na mão colada ao corpo do zagueiro, sem qualquer intenção sua, no pênalti que originou o empate; e ainda por cima, no final do jogo, Tiago Luís colocou a mão na bola dentro da área, também sem intenção, mas de maneira irresponsável. Na minha humilde opinião, os dois gols foram irregulares e o juiz deixou de marcar um pênalti para o Vasco.

Feita a ressalva, vamos ao campo e bola, mais campo do que bola: no primeiro tempo, o Vasco não achou espaço na retranca catarinense. O jogo ficou preso e não houve nada digno de registro, exceto um gol bem anulado da Chapeconese. A paciência da torcida vascaína já estava acabando no intervalo, e terminou de vez quando no segundo tempo a Chape voltou melhor e chegou a fazer outro gol, também bem anulado.

Pior em campo, o Vasco mudou pra frente, e a Chape para trás. Aquele velho sinal para os Deuses do Futebol entrarem em campo. Andrezinho quase abriu o marcador, e logo depois, os donos da casa se animaram e fizeram seu gol, com a bola punindo a covardia dos visitantes. O jogo caminhava para um 1 x 0 muquirana, já que os cariocas não queriam jogo e os catarinenses, não conseguiam. Até que Bruno Rangel fez de pênalti e deu números finais à partida, que seria insossa não fossem as polêmicas marcações do árbitro Ricardo Marques.

Fato é que com dois tropeços contra rivais diretos (Avaí e Chapecoense), o Vasco volta a ficar em situação difícil: são cinco pontos para sair da zona e com uma tabela ingrata, na qual enfrenta os quatro grandes paulistas – todos na parte de cima -, além do Grêmio e o clássico contra o Flu. Joinville e Coritiba, que devem ser disputas diretas, serão jogos fora de casa.

Ou seja, o Gigante da Colina, que reagiu tarde, mas encheu de esperanças a torcida, vai precisar se superar ainda mais para vencer adversários claramente melhores tanto tecnicamente, quanto na tabela. Matematicamente, a coisa não é tão difícil quanto antes, mas a missão deve ser mais ingrata. O tempo é inimigo e o Vasco volta a precisar de um milagre.

Palpites da 31ª rodada do Brasileirão 2015
Libertadores e Flamengo - Ela disse adeus?

Escrito por:

- possui 71 artigos no No Ângulo.

Carioca, graduado em Direito e universitário de Jornalismo. Mas antes de tudo, um opinólogo profissional, cronista do cotidiano, comentarista do dia a dia e palpiteiro da rotina.

Entre em contato com o Autor

3 respostas para “E o Vasco volta a precisar de um milagre”

  1. Verdade! Mas tb é verdade que o Vasco tem jogado bem e merecido vencer a maioria dos seus últimos jogos. Se conseguir manter o alto rendimento e não sentir o baque desse último empate (em casa), penso que ainda poderá tentar o milagre de se salvar, o que, dadas as circunstâncias, seria um grande feito.


Deixe um comentário

Enquete

Qual o maior técnico brasileiro dos últimos tempos?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Colunistas

Fernando PradoFernando Prado

Natural de Brasília, mas residente em São Paulo desde que se conhece por gente, é um apaixonado por esportes e pela “sétima arte”. Jornalista e advogado, busca tratar o futebol com a descontração que lhe é peculiar, com o compromisso da boa informação e opinião consistente.

Gustavo FernandesGustavo Fernandes

Juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, não resiste a um bom debate sobre esportes, desde futebol até curling. São-paulino, é fundador e moderador do Fórum O Mais Querido (FOMQ). Não esperem ufanismos e clichês. Ele torce, mas não distorce.

Gabriel RosteyGabriel Rostey

Nascido dias após a seleção de Telê encantar o mundo e não levar o caneco na Copa da Espanha, esse paulistano atua e segue aprofundando estudos nas suas principais paixões: futebol e cidades. Especialista em gestão do esporte, como jornalista também encara o futebol como fenômeno cultural.

José Maria de AquinoJosé Maria de Aquino

Em seus mais de cinquenta anos de carreira, teve passagem marcante pelos principais veículos de comunicação do país, de todos os tipos de mídia, como Rede Globo, SporTV, Revista Placar, O Estado de São Paulo, Jornal da Tarde e Portal Terra. Além de um expoente do jornalismo esportivo brasileiro, também é advogado de formação.

Jorge FreitasJorge Freitas

“Prata da casa” oriundo da Coluna do Leitor, este internacionalista é tão louco por futebol que tratou do tema até em seu TCC. Mestrando em Análise e Planejamento em Políticas Públicas, neste espaço une o gosto por escrever com a paixão pelo esporte mais popular do mundo.

Emerson FigueiredoEmerson Figueiredo

Formado em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. Redator, repórter, pauteiro e editor-assistente da editoria de Esportes da Folha. Trabalhou também na Folha da Tarde, Agora São Paulo, BOL, AOL e UOL. Paulistano, acompanha de perto o futebol desde a época em que os camisas 10 dos grandes times paulistas eram Pelé, Rivellino, Gérson/Pedro Rocha, Ademir da Guia e Dicá.

Fernando GaviniFernando Gavini

Jornalista há 19 anos, já cobriu Copa do Mundo, NBA, Nascar, Pan, Mundial de vôlei, Copa do Mundo de ginástica, Libertadores e as principais competições do futebol nacional. Começou no A Gazeta Esportiva, passou pelo site do Milton Neves, Agência Estado, Agora São Paulo, Terra, ESPN e está na TV Gazeta. A trabalho, conheceu 8 países, 18 estados do Brasil e mais de 100 estádios.

Assinatura por e-mail

Arquivos

©2017 No Ângulo - Todos os direitos reservados