W3vina.COM Free Wordpress Themes Joomla Templates Best Wordpress Themes Premium Wordpress Themes Top Best Wordpress Themes 2012

Eliminar o novo freguês, o “último desejo” que pode salvar o Vasco

rafael_silva2

Créditos da imagem: globoesporte.com

Surpreendentemente, os vascaínos compareceram em pouca quantidade ao jogo decisivo contra o Flamengo, em um Maracanã majoritariamente rubro-negro, pelas oitavas da Copa do Brasil. Por pior que fosse a situação do time, a presença de público – exatamente no clássico em que vem levando vantagem – deveria ter sido maior.

O confronto era a confirmação que faltava para encher a boca e chamar o rival de freguês. Não falta mais. Os que não acreditavam (ou fingiram não acreditar) perderam o que os quase dez mil torcedores que compareceram viram de camarote: o último desejo do cruzmaltino foi atendido com sucesso.

Se para os “especialistas” e parte da torcida a queda para a Série B parece inevitável, o Vasco queria ao menos morrer atirando. E para isso, eliminou o arquirrival com um gol no fim, marcado por Rafael Silva (foto), que parece predestinado a decidir.

Mostrando uma consistência defensiva que só havia aparecido no Campeonato Carioca (e contra times cariocas), o time hoje comandado por Jorginho rechaçou as ofensivas pouco produtivas de um Flamengo prejudicado pelas lesões de Guerrero (aos 15 minutos de jogo, quando o time rubro-negro pressionava e já havia feito um gol) e Ederson, talvez as duas principais referências técnicas da equipe.

Com as mudanças do lado rival, o Gigante da Colina equilibrou a partida, assustou e, mostrando raça, malandragem (destaque para Rodrigo, que “apita” o jogo inteiro, ditando o ritmo da partida como poucos) e seriedade, tentava chegar ao gol que evitaria os pênaltis e traria o respeito de volta.

Conseguiu na sua especialidade – a bola aérea -, que por coincidência é a maior fragilidade do adversário. A bonita e solitária cabeçada de Rafael Silva, após boa cobrança de falta de Nenê, guardou no ângulo o gol que matou o Flamengo na Copa do Brasil.

O vascaíno saiu do Maracanã de alma lavada. Se o time parece zumbi no Brasileirão, está vivo na Copa do Brasil, o que acaba renovando as esperanças. Tirou um caminhão de suas costas, já que o que restava – aparentemente e na teoria – era exatamente o sucesso no clássico.

O decorrer da temporada para o Cruzmaltino tem ares de “o que vier é lucro”. E com o último desejo devidamente atendido, o vascaíno agora tenta um “pedido-bônus” para se manter na primeira divisão, o que transformaria um ano caótico em um ano sem caô, com pelo menos parte do respeito de volta e transformando o seu maior rival em freguês.

Ponto.

Palpites da 21ª rodada do Brasileirão 2015
Duelos de mata-mata e clássicos viram "karma" para o Corinthians em Itaquera

Escrito por:

- possui 71 artigos no No Ângulo.

Carioca, graduado em Direito e universitário de Jornalismo. Mas antes de tudo, um opinólogo profissional, cronista do cotidiano, comentarista do dia a dia e palpiteiro da rotina.


Entre em contato com o Autor

2 respostas para “Eliminar o novo freguês, o “último desejo” que pode salvar o Vasco”

  1. Diego Lopes disse:

    rebaixado esse daí


Deixe um comentário

Enquete

Qual o maior técnico brasileiro dos últimos tempos?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Colunistas

Gustavo FernandesGustavo Fernandes

Juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, não resiste a um bom debate sobre esportes, desde futebol até curling. São-paulino, é fundador e moderador do Fórum O Mais Querido (FOMQ). Não esperem ufanismos e clichês. Ele torce, mas não distorce.

Emerson FigueiredoEmerson Figueiredo

Formado em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. Redator, repórter, pauteiro e editor-assistente da editoria de Esportes da Folha. Trabalhou também na Folha da Tarde, Agora São Paulo, BOL, AOL e UOL. Paulistano, acompanha de perto o futebol desde a época em que os camisas 10 dos grandes times paulistas eram Pelé, Rivellino, Gérson/Pedro Rocha, Ademir da Guia e Dicá.

Jorge FreitasJorge Freitas

“Prata da casa” oriundo da Coluna do Leitor, este internacionalista é tão louco por futebol que tratou do tema até em seu TCC. Mestrando em Análise e Planejamento em Políticas Públicas, neste espaço une o gosto por escrever com a paixão pelo esporte mais popular do mundo.

Fernando PradoFernando Prado

Natural de Brasília, mas residente em São Paulo desde que se conhece por gente, é um apaixonado por esportes e pela “sétima arte”. Jornalista e advogado, busca tratar o futebol com a descontração que lhe é peculiar, com o compromisso da boa informação e opinião consistente.

José Maria de AquinoJosé Maria de Aquino

Em seus mais de cinquenta anos de carreira, teve passagem marcante pelos principais veículos de comunicação do país, de todos os tipos de mídia, como Rede Globo, SporTV, Revista Placar, O Estado de São Paulo, Jornal da Tarde e Portal Terra. Além de um expoente do jornalismo esportivo brasileiro, também é advogado de formação.

Gabriel RosteyGabriel Rostey

Nascido dias após a seleção de Telê encantar o mundo e não levar o caneco na Copa da Espanha, esse paulistano é especialista em política urbana. Com formação em gestão do esporte, também encara apaixonadamente o futebol como fenômeno cultural.

Fernando GaviniFernando Gavini

Jornalista há 19 anos, já cobriu Copa do Mundo, NBA, Nascar, Pan, Mundial de vôlei, Copa do Mundo de ginástica, Libertadores e as principais competições do futebol nacional. Começou no A Gazeta Esportiva, passou pelo site do Milton Neves, Agência Estado, Agora São Paulo, Terra, ESPN e está na TV Gazeta. A trabalho, conheceu 8 países, 18 estados do Brasil e mais de 100 estádios.

Assinatura por e-mail

Arquivos

©2017 No Ângulo - Todos os direitos reservados