W3vina.COM Free Wordpress Themes Joomla Templates Best Wordpress Themes Premium Wordpress Themes Top Best Wordpress Themes 2012

Em caso de derrota na Bolívia, a frigideira já está pronta no Morumbi

622_47552c37-0e8e-3843-8fa3-2e1059783acd

Créditos da imagem: UOL

Não é novidade que a campanha do São Paulo no Campeonato Paulista foi fraca. Foram apenas 6 vitórias em 16 partidas disputadas, com nenhum triunfo fora de casa e desempenho ruim contra os demais grandes do estado (derrotas para Corinthians e Palmeiras e empate contra um desfigurado Santos).

Na Libertadores, depois de uma derrota na estreia para o The Strongest, no Pacaembu, o São Paulo reagiu, venceu o River Plate atuando no Morumbi (e como foi importante voltar a atuar em casa) e agora depende só de si para avançar na competição da qual é tricampeão.

Para tanto, joga pelo empate contra os bolivianos, algozes da primeira rodada. O problema? A temida altitude de quase 4 mil metros de La Paz, que pode equilibrar a partida e ameaçar a classificação dos comandados de Bauza.

Aliás, você consegue prever o que deve acontecer caso o São Paulo seja eliminado? Não está tão difícil de imaginar, não é mesmo?

Se no começo do ano os “eleitos” da torcida, os maiores alvos de protesto, eram, de maneira absurda, Paulo Henrique Ganso (a quem Calleri se referiu como “o melhor jogador do time e que pode atuar em qualquer clube do mundo”) e Michel Bastos (outro competente jogador, bem acima da média no nosso futebol), os “vilões da vez” parecem ser Denis, o goleiro que enfrenta sim uma certa dificuldade nas saídas de bola, mas que já demonstrou em outras oportunidades ter qualidade e bom temperamento para se firmar como o dono da meta são-paulina (tarefa que seria árdua para qualquer um, vez que a figura de Rogério Ceni é praticamente insubstituível) e, pasmem, Lugano, o ídolo que aceitou o desafio de tentar resgatar o brio dos são-paulinos, tão carentes do estilo vencedor que o zagueiro uruguaio empregou naquele time campeão de 2005, mas que pouco atuou no ano, vez que antes mesmo de sua chegada já havia sido decretado por boa parte da imprensa que ele já não servia mais, depois de algumas passagens frustradas pela Europa, tendo sido convenientemente desconsiderada a informação de que o seu último clube – o Cerro Porteño, do Paraguai – lutou, em vão, pela sua permanência.

Desse modo, com toda essa desconfiança e sem o respaldo de seus comandantes, por mais personalidade que Denis e Lugano tenham, fica deveras complicado para a “dupla perseguida da vez” demonstrar um bom futebol para uma torcida que compreensivelmente anda tão ressabiada com seu clube pelo fraco desempenho nos últimos anos.

O caso do zagueiro é ainda pior, pois ele acabou sendo preterido nos grandes jogos e ficou com as sobras, tendo que atuar em times mistos no entediante estadual, e dessa maneira nunca adquiriu um efetivo ritmo de jogo, algo tão importante especialmente para um jogador de 35 anos. Uma frustração que o xerife uruguaio definitivamente não merecia.

E a saída simples para a diretoria – e ela dá todos os sinais de que vai atuar nesse sentido – será culpar Michel Bastos (o “desagregador” que estaria a caminho do Santos, a pedido de Dorival Júnior), Denis (o “inexperiente goleiro”) e Lugano (o “ex-jogador em atividade”). Sem falar no técnico Bauza…

Em tempo: acredito que o São Paulo se classifica mesmo atuando na altitude e o processo de fritura (infelizmente) continuará oportunamente.

Uma pena para um clube que até outro dia era tido como um modelo administrativo (algo com o qual nunca concordei, mas isso é papo para outro dia) e hoje se mostra incapaz de blindar os seus empregados.

E segue o jogo.

Leia também: São Paulo? Fernando Diniz e o poder de um trabalho bem feito

Fluminense é campeão da Primeira Liga. E Levir Culpi sai como o grande vencedor
A esperança do Imortal na Libertadores

Escrito por:

- possui 223 artigos no No Ângulo.

Natural de Brasília, mas residente em São Paulo desde que se conhece por gente, é um apaixonado por esportes e pela “sétima arte”. Jornalista e advogado, busca tratar o futebol com a descontração que lhe é peculiar, com o compromisso da boa informação e opinião consistente.

Entre em contato com o Autor

22 respostas para “Em caso de derrota na Bolívia, a frigideira já está pronta no Morumbi”

  1. Gilberto Maluf (Coluna do Leitor) gilberto maluf disse:

    O Lugano foi contratado para, guardadas as devidas proporções, ser o líder do time. O Michel Bastos joga em qualquer time do Brasil. Apenas estão num momento ruim do clube, principalmente na direção.

  2. Muito oportuno o texto, o terreno está mesmo todo preparado para isso!

    Sei que esse Strongest x São Paulo é uma partida que me deixa bem curioso! Realmente não tenho ideia do que vai acontecer. Acho dos jogos mais interessantes, até para “jurisprudência” (num país assim tão judicializado, rs) de como devemos encarar futuros confrontos decisivos na altitude 😉

  3. Flavio Desouza disse:

    Todo mundo perde em La Paz, portanto…

  4. Vicente Prado (Coluna do Leitor) Vicente disse:

    O São Paulo tem um elenco muito limitado e a bronca da torcida acaba direcionada para alguns “bodes expiatórios”, no caso, Denis e Lugano.

    O uruguaio deve estar magoado com essa situação, mas ele gosta tanto do clube que está guardando tudo para ele, absorvendo as pancadas como um verdadeiro líder que é (assim imagino)…

  5. Vsxa esses dois .. Esse time.do São paulo.esta piorando a kada dia . mal.contrações.. Esse time.nao.tem.nem.cara de soberano

  6. LUGANO DIÓS disse:

    YO AMO SÃO PAULO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  7. Emerson disse:

    O colunista foi cirúrgico. Lugano não joga jogo grande e Denis falhou menos do que o corintiano Cassio no ano, por exemplo.

  8. Acho que tudo vai dar certo ! A altitude é difícil para o São Paulo !

  9. José Aquino disse:

    O São Paulo paga hoje pelos desmandos que o antigo presidente – não o que saiu pela porta do fundo, mas o anterior, que mandou por quase dez anos, rasgando os estatutos do clube, praticou. E o atual, cria dele, não pode abrir o jogo. Esses “craques” que jogariam em qualquer time do mundo – mas que nenhum os quer – são heranças deixadas por ele. São craques tipo 29 de fevereiro.

  10. Renildo Silva disse:

    Para vcs jogadores ganha hoje do stroguests tem que sai na frentr abrindo o placar de 1×0 ou 2×0 pq vcs so vão guenta os primeiros 45 minutos então vamo parti pra cima pra faze os gols pra fica tramquilo pra sai com a vaga de la paz coméçem jogando igual vcs jogaram contra o river tem como faze os gols vamo parti pra cima esquece altitude no primeiro tempo

  11. Para o bem do São Paulo, a derrota vai ser bem vinda. Principalmente se ocorrer falha do Dênis para ele sair logo do gol. Jogadores para sair do elenco (urgente): Wesley, Centurion, Bruno, Hudson, Daniel, Lucao.

  12. Strongest 6 bambi 0

  13. Que os deuses do futebol nos proteja hoje Amem

  14. Paulo Bertoni disse:

    Querem saber? Se o SP não se classificar, a diretoria vai ficar com a bunda no sofá e não vai fazer nada. E a torcida vai continuar a só se estribuchar nas redes sociais e também não vão fazer nada. Porque é tudo bunda mole. Diretoria e torcida !!!

  15. Brunno Fehn disse:

    Não sei qual piada é mais engraçada o Denis titular ou ele ser Titular e Capitão

  1. […] o Tricolor Paulista não tenha se mostrado uma equipe confiável ao longo da temporada, penso que a classificação penosa obtida em La Paz contra o The Strongest, mais o fato de jogar em casa e Ganso em excelente fase, poderão fazer com que o São Paulo […]

  2. […] por um lado o São Paulo vem conseguindo salvar um ano que até pouco tempo parecia comprometido, do outro, o Atlético vem de uma inesperada derrota na final do estadual (para o valente […]

  3. […] A fim de demonstrar a efervescência pela qual atravessa o São Paulo já há algum tempo, escrevi por ocasião da véspera da última partida decisiva do Tricolor na fase de grupos que: “em caso de derrota na Bolívia, a frigideira já está (estava) pronta no Morumbi”. […]


Deixe um comentário

Enquete

Qual o maior técnico brasileiro dos últimos tempos?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Colunistas

Fernando PradoFernando Prado

Natural de Brasília, mas residente em São Paulo desde que se conhece por gente, é um apaixonado por esportes e pela “sétima arte”. Jornalista e advogado, busca tratar o futebol com a descontração que lhe é peculiar, com o compromisso da boa informação e opinião consistente.

Gustavo FernandesGustavo Fernandes

Juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, não resiste a um bom debate sobre esportes, desde futebol até curling. São-paulino, é fundador e moderador do Fórum O Mais Querido (FOMQ). Não esperem ufanismos e clichês. Ele torce, mas não distorce.

Emerson FigueiredoEmerson Figueiredo

Formado em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. Redator, repórter, pauteiro e editor-assistente da editoria de Esportes da Folha. Trabalhou também na Folha da Tarde, Agora São Paulo, BOL, AOL e UOL. Paulistano, acompanha de perto o futebol desde a época em que os camisas 10 dos grandes times paulistas eram Pelé, Rivellino, Gérson/Pedro Rocha, Ademir da Guia e Dicá.

Jorge FreitasJorge Freitas

“Prata da casa” oriundo da Coluna do Leitor, este internacionalista é tão louco por futebol que tratou do tema até em seu TCC. Mestrando em Análise e Planejamento em Políticas Públicas, neste espaço une o gosto por escrever com a paixão pelo esporte mais popular do mundo.

Gabriel RosteyGabriel Rostey

Nascido dias após a seleção de Telê encantar o mundo e não levar o caneco na Copa da Espanha, esse paulistano atua e segue aprofundando estudos nas suas principais paixões: futebol e cidades. Especialista em gestão do esporte, como jornalista também encara o futebol como fenômeno cultural.

José Maria de AquinoJosé Maria de Aquino

Em seus mais de cinquenta anos de carreira, teve passagem marcante pelos principais veículos de comunicação do país, de todos os tipos de mídia, como Rede Globo, SporTV, Revista Placar, O Estado de São Paulo, Jornal da Tarde e Portal Terra. Além de um expoente do jornalismo esportivo brasileiro, também é advogado de formação.

Fernando GaviniFernando Gavini

Jornalista há 19 anos, já cobriu Copa do Mundo, NBA, Nascar, Pan, Mundial de vôlei, Copa do Mundo de ginástica, Libertadores e as principais competições do futebol nacional. Começou no A Gazeta Esportiva, passou pelo site do Milton Neves, Agência Estado, Agora São Paulo, Terra, ESPN e está na TV Gazeta. A trabalho, conheceu 8 países, 18 estados do Brasil e mais de 100 estádios.

Assinatura por e-mail

Arquivos

©2017 No Ângulo - Todos os direitos reservados