Entre o “não pedagógico” e o “ponto de partida das mudanças”, que Tite opte por representar a segunda opção

Créditos da imagem: Reuters

Li muito por aí que a melhor maneira de Tite colaborar com o futebol brasileiro seria dizer “não” ao convite da CBF.

Ah, com a devida vênia, como eu discordo disso!

Não que Marco Polo Del Nero não mereça a negativa do melhor treinador brasileiro da atualidade, mas o que questiono é até que ponto isso afetaria e impactaria no comando do nosso futebol.

Ora, é só a gente puxar na memória o “não” do Muricy a Ricardo Teixeira, em 2010, que de nada adiantou.

Será que Tite, reconhecidamente um gestor de pessoas, com alto poder de argumentação e de convencimento, com conhecimento técnico e, até que se prove o contrário, sujeito ético e correto, não poderia ser “um dos elementos indutores do início das mudanças”, como bem escreveu o amigo Benê Lima em sua conta no twitter?

O leitor mais cético pode alegar: “Ah, mas o que um treinador pode fazer, ele não teria poder algum para introduzir e realizar efetivas transformações na CBF”?

Hum, será que a forma com a qual Tite está conduzindo a negociação (segundo consta, o ainda técnico corintiano está exigindo um contrato muito bem amarrado, com autonomia plena nas convocações e garantias de que poderá ser, de fato, o “dono” do time, sem estar sujeito às vontades dos patrocinadores etc) já não é uma pequena amostra de como ele pode ser útil para o futebol brasileiro?

Sejamos céticos, mas não pessimistas. Tite no comando técnico da Seleção Brasileira pode sim ser o pontapé inicial de transformações mais relevantes, estruturais mesmo.

A melhor maneira de não mudar é pensar que tudo é impossível. Como bem demonstra a atual situação política do País, não é.

E segue o jogo.

14 comentários em: “Entre o “não pedagógico” e o “ponto de partida das mudanças”, que Tite opte por representar a segunda opção

    1. Disponha, amigo Fernando.

      Há décadas a gente escuta falar em CPIs e em palavras de ordem. O que isso mudou? Já começo a achar que somos tremendamente incompetentes para negociar. Se não podemos destituir esse povo que nos juntemos a eles na tentativa de fazê-los mudar. Já estamos desperdiçando o Comitê de Reformas e todo o seu potencial de mudanças. A parte golpista da imprensa não quer que Tite nem Leonardo assumam. Ela quer que as coisas se deem mediante o roteiro que sequer souberam estabelecer. Quem de fato quer as mudanças porque está convencido de sua importância e necessidade, aceita conquistá-las nem que seja homeopaticamente.

      Os pseudos revolucionários não nos tem levado a lugar nenhum. Fracassam em seu histerismo e radicalização e também nos fazem fracassar. Sem um plano de médio prazo e sem estratégias inteligentes para alcançar as metas propostas não iremos a lugar nenhum.

      Já querem cobrar coerência de Tite por ter assinado um documento que também assinei: o #Ocupa CBF. Este documento é um movimento da sociedade civil que se organiza para lutar por mais democracia, transparência e compromissos com o futebol por parte da CBF. Portanto, não vejo problema algum que o Tite ou mesmo o Leonardo aceitem o desafio que é de todos os desportistas brasileiros. Ao contrário, se assim o fizerem, contarão com meu apoio e com minha torcida, bem como da maioria das pessoas de bem que verdadeiramente querem o melhor para o nosso futebol.

      (Benê Lima)

    2. Tite fez o que queríamos: aceitou o desafio. Acertou. O que ele vai conseguir de mudanças, não se sabe.

  1. “Ponto de partida para mudanças”???Vcs acham mesmo temos paciência para isso??creio q não,alias é o maior dos entraves é esse,relutamos em reconhecer q não somos mais nem sombras do passado,infelizmente

  2. Discordo. Tite vai arcar com ônus pesado se aceitar o cargo agora pois assinou o manifesto pedindo a saída de Del Nero há menos de um ano. Se ele recusar o cargo e firmar posição na coerência, pedindo a reformulação da CBF, a pressão contra essa corja vai aumentar. Tite tem a faca e o queijo na mão. Se técnicos e atletas se recusarem a vestir a camisa da Seleção enquanto a CBF não for reformulada, as mudanças vão efetivamente acontecer.

  3. Caros amigos, não vejo pecado nem erro em crermos em mudanças a partir da atual estrutura de gestão do futebol brasileiro. Não vejo problema algum que façamos um esforço para, caso tenhamos oportunidade, de participarmos de alguma forma dessas mudanças no campo das ideias. Há várias maneiras desse processo se dar, e sabemos que o da retroalimentação das ideias e atitudes de gestão não é a mais rápida e a mais eficaz. Todavia, há que se ter um começo, e esse começo se não pode ser pela mudança radical que esperamos, pode se dar pelo processo de aporte de novas práticas e conceitos na CBF. Mas os que lá estão não farão isso, por razões óbvias. No entanto, se tivermos uma representação arejada e competente do que seja a gestão intra e extracampo, quem sabe poderíamos ir aos poucos alterando a lógica de velhas cabeças.

    Transferir todo esse ônus a Tite reconheço ser temerário. Mas nossa ideia não foi exatamente essa. Pensamos em um treinador forte que fosse além de uma relação trabalhista convencional. Imaginamos um coordenador com elevado suporte da gestão do campo e do esporte, como Leonardo. Vislumbramos toda uma equipe que conquistasse certa autonomia para implantar as primeiras mudanças estruturais. Quisemos apenas exercitar a arte do possível, porque precisamos, mais do que prender e arrebentar, encontrarmos uma maneira de iniciar um processo mudancista em nosso futebol, mesmo que para isso tenhamos que fazer o sacrifício de nos unir sem nos misturar.

    (Benê Lima, cronista esportivo, coordenador do futebol feminino da FCF e da LCFF, membro do Conselho do Desporto do Estado do Ceará)

  4. Concordo totalmente, Fernando Prado!

    Além de que o Brasil corro reais riscos de ficar de fora da próxima Copa do Mundo, o que seria terrível. Não imagino que algum brasileiro possa achar positivo ficarmos fora de um Mundial. Diante disso, acho que é hora de cada um fazer sua parte e, no banco de reservas, nenhum brasileiro pode colaborar mais do que o Tite 😉

  5. Boa sorte tite vc é o melhor técnico no Brasil hoje…espero que não vá pela cabeça dos outros …( cbf …patrocinadores…TV..) tem tudo pra fazer um excelente trabalho nessa falida seleção de futebol …!!!!

Deixe sua opinião e colabore na discussão