Eu sei o que Levir Culpi fez na primavera passada

Créditos da imagem: Marcos Ribolli / GloboEsporte.com

No Campeonato Brasileiro de 2015, o Corinthians de Tite sobrou em boa parte da competição, dando a impressão de que não tivera nenhum grande concorrente pelo caminho. Nada mais falso. O Atlético Mineiro do bom Levir Culpi, precocemente eliminado da Libertadores, jogou um futebol vistoso boa parte do ano, que lhe rendeu inclusive a liderança por um período significativo do primeiro turno. Com o crescimento do Timão na competição, entretanto, pipocaram acusações de “campeonato manchado”, de predisposição dos árbitros em prol da equipe paulista, entre outras queixas, que se mostraram sem sentido com a hegemonia que o Corinthians acabou por demonstrar.

Um ano depois, contudo, o próprio Levir novamente teve o Corinthians como algoz, fez reclamações, apontou problemas em tudo e em todos, e disse mais uma vez que há corrupção no mundo do futebol – nada a respeito de um mau desempenho da sua equipe. O presidente Peter Siemsen deu uma entrevista no mínimo lamentável, dizendo que há um esquema para beneficiar os grandes paulistas.

Não vou nem entrar no mérito da vergonha jurídica e institucional que foi o rebaixamento da Lusa em 2013 (como lembramos à exaustão desde a tragédia que foi a ida da Portuguesa para a série D, que se consumou no domingo passado). Falemos francamente: só há corrupção quando o time do coração perde? Ou alguém duvida que se um dos gols, para mim, bem anulados (o que no fim acaba não importando) fosse validado, não haveria reclamação por parte dos cariocas? Difícil não ver oportunismo nas atitudes dos nossos dirigentes. Só se lembram de brigar por profissionalismo e seriedade no modo como se organiza a arbitragem brasileira quando se veem em situações desfavoráveis. Difícil não ver má-fé.

A verdade é que enquanto os clubes brasileiros se comportarem dessa forma, não haverá nenhuma mudança concreta que melhore o nosso futebol. Ninguém aguenta mais ver, a cada derrota, os famigerados “esquemas” serem usados como escudo para a incompetência, seja ela da arbitragem, ou dos clubes que, em plena primavera, ainda não conseguem um time que apresente futebol suficiente para vencer um Corinthians em crise. Eu sei o que você fez na primavera passada, Levir… reclamou do mesmo Corinthians.

2 comentários em: “Eu sei o que Levir Culpi fez na primavera passada

  1. Gosto muito do Levir, mas também ando farto dessa mania de esconder os problemas jogando tudo nas costas da arbitragem. E fazer isso contra o Corinthians parece agora ser o caminho mais fácil ora desviar o foco…

Deixe sua opinião e colabore na discussão