Falamos tanto da independência de Neymar. Mas e a de Benzema?

Créditos da imagem: Marca.com

É comum nos dias de hoje vermos bandeiras levantadas contra a “subordinação” de Neymar a Messi com a camisa do Barcelona. Atuando sempre abaixo do argentino, o brasileiro se faz refém de suas próprias declarações – “estou aqui para ajudar o Messi” – e se enrosca na teia formada pela idolatria suprema a Léo.

Mas não é somente pelos lados da Catalunha que esta situação acontece. Na capital espanhola, Karin Benzema me levanta a mesma impressão que tenho sobre Neymar no Barça: um craque eclipsado por uma estrela maior.

É fora do comum o que o francês tem jogado há algumas temporadas. Na Copa do Mundo, fez chover com a seleção francesa, marcando golaços até mesmo depois do apito final do juiz – lembra daquele lance genial em que o juiz apitou o término com a bola no ar? Na final do Mundial de Clubes, Benzema ensinou espanhol para japonês! Foi o craque do jogo, mas não conseguiu competir com o brilho de Cristiano Ronaldo, que parece estar sempre na hora certa, no lugar certo, e que, mesmo que não estivesse, seria considerado o melhor do jogo.

Isso sem falar dos jogos do Campeonato Espanhol e da Liga dos Campeões, nos quais hora ou outra o francês acaba decidindo.

Mas, assim como Neymar – que ao contrário do francês, não vive boa fase -, o camisa 9 merengue jamais alcançará um reconhecimento do tamanho de seu futebol, pois faça o que fizer, os méritos e as glórias serão sempre dadas a Ronaldo.

Falam tanto da necessidade de independência de Neymar, mas tão pouco sobre Benzema. Assim como para o brasileiro, talvez fosse ótimo para o francês estar no comando de outro gigante europeu, ser o brilho maior do esquadrão.

Quem sabe um dia. Seria bom demais ver a Europa despolarizada novamente, sem o domínio colossal da “dupla espanhola”.

29 comentários em: “Falamos tanto da independência de Neymar. Mas e a de Benzema?

  1. Assino embaixo, Jorge Freitas, muito interessante a visão! Realmente, eu acho o Benzema um dos grandes centroavantes dos últimos anos: além de goleador, é rápido, forte, muito técnico, finaliza absurdamente bem e ainda é classudo!

    Eu, pessoalmente, prefiro ele ao Ibrahimovic, por exemplo.

  2. Ele joga ao lado do cr7
    I mesmo sem tanta fama ele decide jogos
    I sem fala qi serve Ronaldo muito bem
    Invés dele procura fazer mais gal i ganhar mais fama simplesmente ele serve Ronaldo i quando ele servido ele coloca a bola dentro da rede

Deixe sua opinião e colabore na discussão