Futuro dos times paulistas, interinos do Flamengo, Botafogo, gaúchos e arbitragens

Créditos da imagem: Montagem / No Ângulo

Há alguns meses, eu escrevi neste espaço que Corinthians e São Paulo já haviam se despedido melancolicamente do ano de 2016. Houve reações de apoio e de crítica, como é de se esperar quando se faz afirmação tão audaciosa a muito tempo do final da temporada. Pois agora, vou ousar um pouco mais e me arriscar a ampliar as conclusões já tiradas neste ano. Para facilitar a redação e a leitura, vou dividir os temas por tópicos.

FUTURO DOS PAULISTAS

O PALMEIRAS tem tudo para levar o hepta do Brasileiro dos tempos modernos. Uma excelente notícia, pois o alviverde é parte viva de nosso futebol e não pode ficar de fora das brigas por títulos. Mesmo que uma grande conspiração do destino lhe tire o merecido título, foi plantada uma semente que dará muitos frutos no futuro.

O SANTOS precisa subir de patamar. Suas últimas conquistas importantes foram a Copa do Brasil de 2010 e a Libertadores de 2011. Fora isso, só Paulistas. Time grande vive de conquistas importantes, e não apenas de boas campanhas e elogios da mídia.

O CORINTHIANS retrocedeu. Parou de fazer times com a garimpagem de bons jogadores em times pequenos (Paulinho, Ralf, Elias, Luciano, Castán, Jucilei etc.) e ficou errático na contratação de técnicos e reforços. Está precisando de um técnico estrategista e estruturador (como foram Tite e Mano). Senão, ainda mais por causa dos encargos do estádio, corre o risco de perder as lições da recente fase vitoriosa.

O SÃO PAULO tem que aprender que a realidade é mais soberana do que os clichês. Um tratamento de sucesso começa com o diagnóstico certeiro. A atual diretoria não pode deixar a tradicional soberba se sobrepor à realidade.

INTERINOS DO FLAMENGO

Ao lado do Palmeiras, o FLAMENGO foi o time que mais evoluiu nos últimos tempos. Independentemente do desfecho do Brasileiro, já é vencedor na temporada. Formou um time de respeito e mais uma vez avançou com um interino. Aliás, esta é a marca do time que ganhou um Brasileiro e uma Copa do Brasil com as soluções caseiras Andrade e Jayme. Zé Ricardo é uma preciosidade que não pode ser descartada, como foram os outros.

BOTAFOGO

É a grande notícia do ano. Para quem tem mais idade e gosta de futebol, o ressurgimento do Fogão, com chances muito reais de ir à Libertadores, é uma das mais importantes surpresas de 2016.

GAÚCHOS

INTER e GRÊMIO podem até chegar à Libertadores pela Copa do Brasil ou o G6, mas estão longe de desempenhar seus papéis históricos. A principal preocupação do Colorado é escapar da Segundona. O Grêmio tem um time mediano que briga pelo espaço criado com o bônus das seis vagas do Brasileiro no Sul-Americano. Muito aquém do que se espera deles.

ARBITRAGENS

Não gosto desse negócio de só reclamar de juízes, mas é impossível não destacar os efeitos nocivos da arbitragem em 2016. Vários jogos foram motivos de reclamações das mais diversas equipes. É um problema recorrente nos Brasileiros dos últimos anos. Neste ano houve o agravante da suspensão (já cancelada) pelo STJD, do resultado de Flamengo x Fluminense. Sandro Meira Ricci transformou um impedimento comum em um dos marcos do Brasileiro-2016. Seu vaivém na anulação do gol que seria o empate do Fluminense, com sérios indícios de influência externa na decisão final, criou um caso que não se dissipará diante de qualquer desfecho. Flamenguistas, tricolores e palmeirenses, e outros interessados no G6, certamente levantarão dúvidas sobre a lisura do torneio. E novamente, como fez o presidente do Figueirense, será utilizada a máxima levirculpiana de “campeonato manchado”.

Sou contra punição à expressão de opiniões. Mas quando isso atenta contra a imagem do principal torneio do país, é preciso seriedade. Acusou e não comprovou, punição à altura do estrago: multas, suspensões, perda de pontos ou qualquer outra forma de se manter um mínimo de nível nas discussões. Profissionais do futebol não podem se comportar como torcedores de arquibancadas ou botecos.

2 comentários em: “Futuro dos times paulistas, interinos do Flamengo, Botafogo, gaúchos e arbitragens

  1. Concordo totalmente, Emerson Figueiredo! Especialmente sobre o Botafogo ser a grande notícia do ano (torço para que consiga se classificar para a Libertadores),

    Também não poderia concordar mais sobre profissionais merecerem punição quando falam em “campeonato manchado”. Boa parte dos torcedores são uns ignorantes, tem vários violentos, e aí uns profissionais ainda ficam falando isso. Acham que vai ter qual efeito? Que vai fazer o povo gostar e se interessar mais por futebol?

Deixe sua opinião e colabore na discussão