Guia para NÃO ENCHER O SACO na Copinha

Lá vem mais uma Copa SP sub-20 cheia de promessas. Incluindo a promessa de muita chatice por parte dos torcedores que, tradicionalmente, atribuirão olhos clínicos a si mesmos e decretarão, por meia dúzia de lances, se determinado garoto não só tem futuro, como está pronto para jogar no time principal. Se muitos brasileiros adoram desfilar expertise sobre o que desconhecem, imaginem quanto ao esporte mais praticado. Já que não posso vencê-los, junto-me a eles com uma série de dicas a fim de que, mais adiante, sintam-se menos frustrados. Prontos?

1 – normalmente, menos de 10 % do elenco de um time (ou seja, uns vinte e cinco) da Copinha conseguirão se tornar jogadores profissionais. Seja por falta de técnica, seja por não terem físico para alcançar o ritmo dos profissionais. Então devagar com o entusiasmo.

2 – graças ao inchaço da competição (estranhamente tolerado até pela mídia supostamente crítica), a primeira fase costuma trazer um desnível que distorce análises de desempenho dos atletas. Por isso, salvo atuações desastrosas até contra estes times, melhor descartar análises individuais nestes jogos. Relaxe e simplesmente assista.

3 – também por causa do excesso de clubes e partidas, a Copa SP favorece os elencos mais próximos de estourar a idade, ou mesmo jogadores mais novos com força e resistência maiores. Só que, quando – e se – estes passarem aos times principais, não terão a vantagem que os beneficiou. Portanto, tome isso em consideração. Inclusive para pegar leve com atletas mais novos e menos fortes, que certamente sentirão a sequência absurda de partidas.

4 – embora seja a maior vitrine para empresários e público, a Copinha não é necessariamente o torneio mais relevante na formação dos jogadores. Existem outros de nível técnico até maior, incluindo os campeonatos nacionais e Copas do Brasil. Ou seja: se você realmente quer bancar o descobridor de talentos, é bom que tenha assistido ao menos a parte destas outras competições.

5 – com a crescente proximidade entre a base e a comissão técnica do time principal, não raro os melhores expoentes não estarão na Copinha, porque já foram promovidos. Por este motivo, é comum que os times cheguem em processo de reformulação, contra outros já entrosados. Procure se informar sobre estas possíveis ausências, antes de julgar o trabalho de base do seu clube pelo que apresentou na Copinha.

Se seguir estas sugestões básicas, você não apenas tenderá a ser mais preciso, como poupará a paciência de quem estiver ao lado. Se quem estiver ao lado também for um dos chatos, aproveite para lhe repassar este texto. Fecho com uma dica óbvia: mesmo que tudo dê certo, provavelmente o garoto será vendido antes mesmo de se tornar ídolo. Então pra que perder tempo esquentando a cabeça? Torça e deixe rolar. Às vezes pode ganhar um presente na final – no caso do colunista, de aniversário. Às vezes, não. Depois terá o ano todo pra quebrar a cara. Melhor dosar as energias…

8 comentários em: “Guia para NÃO ENCHER O SACO na Copinha

  1. Kkkkkkk, mto bom!!!!!!!

    Aliás, qual foi o último grande talento revelado na Copinha? Tem esses assim assim que aparecem de vez enquando, tipo o Maycon do Corinthians, mas qual o último craque mesmo que jogou a Copinha???????????

    1. Nisso entra também o que o Gustavo Fernandes apontou no item 5, que também tem muito jogador que sobe sem nem disputar a Copinha!

      Já teve até jogar que foi propositadamente “escondido” não disputando a Copa São Paulo, não é?

  2. Esta copinha só serve para um timinho se vangloriar de ser o maior campeão e o menor revelador de jogadores, todos que foram campeões por este timinho viraram um nada kkkkkkkkkkkk

Deixe sua opinião e colabore na discussão