W3vina.COM Free Wordpress Themes Joomla Templates Best Wordpress Themes Premium Wordpress Themes Top Best Wordpress Themes 2012

Jogo 10 da noite, não!

Editorial06

Créditos da imagem: violencianoesporte.blogspot.com.br

Campanha do "Futebol, Mídia e Democracia"

Campanha do “Futebol, Mídia e Democracia”

Tem tomado cada vez mais corpo uma ideia que é quase consenso entre os torcedores de futebol do nosso país: a campanha “Jogo 10 da noite, não!”, que simboliza a luta contra as partidas neste horário, que desrespeitam os frequentadores das praças esportivas brasileiras.

Os questionamentos e reclamações a respeito do tema são muitos e beiram o óbvio: a impossibilidade de utilização do transporte público por conta do horário do término das partidas, o “dia seguinte” dos trabalhadores e estudantes, a violência urbana, entre outros.

A “imposição” deste horário perverso aos torcedores, atletas e jornalistas vem da emissora  de televisão que detém os direitos de transmissão dos maiores campeonatos do país (e que por isso paga muito bem) e que privilegia as suas novelas (outra paixão nacional) em detrimento do futebol.

Torcedoras participando da campanha no Ceará

Torcedoras participando da campanha no Ceará

Pensando nisso que o grupo “Futebol, Mídia e Democracia” lançou recentemente a campanha “Jogo 10 da noite, não!”, que teve adesão imediata de vários segmentos relacionados ao futebol brasileiro. Os torcedores de todos os cantos do país têm realizado espontaneamente manifestações de apoio como cartazes nas partidas e até bandeiras e faixas.

Importante ressaltar que a campanha não é contra a emissora de televisão, mas sim com o que ela tem feito com o “produto futebol”.

Ora, é dever da detentora dos direitos de transmissão do futebol nacional tentar encontrar um equilíbrio entre o seu lado comercial (algo também importante, claro) e o lado do torcedor, este que deveria sempre ser a prioridade na hora de uma tomada de decisão, vez que representa a razão de ser do esporte. Mas, infelizmente, não é o que se vê por aqui.

Torcida santista apoiando a campanha no Morumbi

Torcida santista apoiando a campanha no Morumbi

Recentemente, a Anatorg (Associação Nacional das Torcidas Organizadas) aderiu à campanha, fortalecendo ainda mais essa luta que deve ser de todos que querem ver os torcedores respeitados e os estádios cada vez mais frequentados e vibrantes.

Na  última semana, pelas semifinais da Copa do Brasil, os torcedores de Santos e São Paulo deram seus recados contra as partidas “da madrugada”.

Na capital paulista, depois de uma queda de energia que durou mais de 20 minutos, o jogo terminaria tão somente à MEIA NOITE E VINTE!

E aí, anima de ir assistir um joguinho no meio da semana que vem? Pois é…

Para que não continuemos matando o futebol brasileiro, “Jogo 10 da noite, não!”.

Após derrota para o Sport, Palmeiras vira um barril de pólvora
Carta ao Rei Pelé – Mensagem de Feliz Aniversário

Escrito por:

- possui 2 artigos no No Ângulo.

Renato Ramos é Andreense de alma, coração e nascimento, fundador da torcida "Fúria Andreense", e atualmente Presidente da "Associação Sou Andreense", além de Diretor Cultural da UESA (União das Escolas de Samba de Santo André) e Vice-Presidente da Associação Esportiva Araguaia.

Entre em contato com o Autor

2 respostas para “Jogo 10 da noite, não!”

  1. Fabio Palmieri (Coluna do Leitor) Fabio Palmieri disse:

    Ótimo tema e abordagem. Realmente jogo as 22 horas é bem complicado por conta dos problemas descritos acima.

    Porém, nos grandes centros como São Paulo, Rio de Janeiro etc, fica inviável também jogo as 19H30h. Acho que entre 20h30h e 21h00h, seria perfeito. Quem sabe o bom senso prevaleça enfim, pensando no torcedor.

    Abraços.

  2. Rodrigo Souza (Coluna do Leitor) Rodrigo Otavio Torres de Souza disse:

    Eu acho que deveria ser feito uma pesquisa séria sobre o tema. Pra mim que trabalha até tarde o jogo às 22 horas é o ideal. Concordo com o comentário feito acima, de que jogo 19:30 é inviável. Eu acho que as pessoas em regra gostam de dormir tarde, nos centros urbanos aonde se tem metrô, o mesmo sempre “estica” o horário. A questão da violência é uma bobagem, pautado em quê, 22 horas é mais perigoso que 21 horas?


Deixe um comentário

Enquete

Qual o maior técnico brasileiro dos últimos tempos?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Colunistas

Gabriel RosteyGabriel Rostey

Nascido dias após a seleção de Telê encantar o mundo e não levar o caneco na Copa da Espanha, esse paulistano atua e segue aprofundando estudos nas suas principais paixões: futebol e cidades. Especialista em gestão do esporte, como jornalista também encara o futebol como fenômeno cultural.

Emerson FigueiredoEmerson Figueiredo

Formado em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. Redator, repórter, pauteiro e editor-assistente da editoria de Esportes da Folha. Trabalhou também na Folha da Tarde, Agora São Paulo, BOL, AOL e UOL. Paulistano, acompanha de perto o futebol desde a época em que os camisas 10 dos grandes times paulistas eram Pelé, Rivellino, Gérson/Pedro Rocha, Ademir da Guia e Dicá.

José Maria de AquinoJosé Maria de Aquino

Em seus mais de cinquenta anos de carreira, teve passagem marcante pelos principais veículos de comunicação do país, de todos os tipos de mídia, como Rede Globo, SporTV, Revista Placar, O Estado de São Paulo, Jornal da Tarde e Portal Terra. Além de um expoente do jornalismo esportivo brasileiro, também é advogado de formação.

Gustavo FernandesGustavo Fernandes

Juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, não resiste a um bom debate sobre esportes, desde futebol até curling. São-paulino, é fundador e moderador do Fórum O Mais Querido (FOMQ). Não esperem ufanismos e clichês. Ele torce, mas não distorce.

Jorge FreitasJorge Freitas

“Prata da casa” oriundo da Coluna do Leitor, este internacionalista é tão louco por futebol que tratou do tema até em seu TCC. Mestrando em Análise e Planejamento em Políticas Públicas, neste espaço une o gosto por escrever com a paixão pelo esporte mais popular do mundo.

Fernando PradoFernando Prado

Natural de Brasília, mas residente em São Paulo desde que se conhece por gente, é um apaixonado por esportes e pela “sétima arte”. Jornalista e advogado, busca tratar o futebol com a descontração que lhe é peculiar, com o compromisso da boa informação e opinião consistente.

Fernando GaviniFernando Gavini

Jornalista há 19 anos, já cobriu Copa do Mundo, NBA, Nascar, Pan, Mundial de vôlei, Copa do Mundo de ginástica, Libertadores e as principais competições do futebol nacional. Começou no A Gazeta Esportiva, passou pelo site do Milton Neves, Agência Estado, Agora São Paulo, Terra, ESPN e está na TV Gazeta. A trabalho, conheceu 8 países, 18 estados do Brasil e mais de 100 estádios.

Assinatura por e-mail

Arquivos

©2017 No Ângulo - Todos os direitos reservados