Mundial ou Intercontinental, o problema é muito maior

Créditos da imagem: www.goal.com

A eterna polêmica sobre Mundiais de Clube ganhou mais um capítulo na semana retrasada. A Fifa se manifestou desconsiderando qualquer competição interclubes anterior a 2000, bem como aquelas disputadas entre dezembro do mesmo ano até o final de 2004.

Sabemos bem que o mundo do futebol não precisa da Fifa para respirar e que, na verdade, ela mais atrapalha do que ajuda, mas fato é que muitos times brasileiros viram seus “Mundiais” descaracterizados, como se isso rebaixasse seus títulos, coisa que particularmente desconsidero. Se hoje o título mundial é o auge para uma equipe sul-americana, o mesmo valia para os Intercontinentais até o final de 2004. Ou seja, é claro que ambos se equivalem.

Mas, polêmicas à parte, não é por isso que escrevo. Há algo diferente que tem me chamado a atenção, um problema muito maior: o equilíbrio entre sul-americanos e europeus. Se durante as Copas Intercontinentais a América do Sul batia de frente com a Europa, tanto em número de conquistas quanto em nível de atuação, após a criação pela Fifa do Mundial de Clubes esse equilíbrio pareceu ruir.

De início, parecia até que ruiria pro lado de lá, já que em suas três primeiras edições os vencedores estavam aqui, mais especificamente no Brasil – Corinthians (2000), São Paulo (2005) e Internacional (2006).

Parecia.

De 2007 até aqui, a Europa esmaga! Em dez edições, apenas em 2012 um time sul-americano conseguiu o tão sonhado título mundial, novamente o Brasil, novamente o Corinthians. Nas outras nove, a Europa sobra. E o desequilíbrio fica ainda mais gritante quando percebemos que, dos nove títulos, três foram contra times de outro continente que não a América do Sul – África (2010 e 2013) e Ásia (2016). Isso é, nosso futebol se equivaleu a centros menores e se distanciou dos grandes clubes europeus.

Uma lástima.

Mas o cenário fica ainda pior quando pensamos que essa distância só aumenta. Por mais que montemos bons times, é difícil de imaginar que destronaremos a Europa em alguns dos próximos anos, principalmente porque, diferente do que é espalhado por aí, os clubes europeus têm dado cada vez mais valor à competição – vide a agonia e o posterior alívio do Real Madrid após o sofrido título contra o Kashima Antlers no ano passado e o choro de Pep Guardiola após seu primeiro mundial em 2008 com o Barcelona.

Já escrevi aqui, em outra oportunidade, sobre vexames brasileiros. Mas até mesmo o melhor e mais simpático time do continente, o Atlético Nacional, não foi páreo para os japoneses. Sim, os japoneses. 3 a 0! Sem choro nem vela.

Enfim, deixemos de lado a discussão sobre nomenclaturas. Isso é desimportante. Voltemos a pensar no nível do nosso futebol.

9 comentários em: “Mundial ou Intercontinental, o problema é muito maior

  1. Concordo, Jorge Freitas! E a meu ver ainda estamos dando azar, que nossas equipes mais bem estruturadas dos últimos anos (Cruzeiro 2013/2014 e Corinthians 2015) fracassaram na Libertadores.

    Espero que agora que o campeão da Libertadores vai jogar o Mundial logo em seguida a coisa melhore para o nosso lado!

    1. Gabriel Rostey, sinto muita pena por esses times não terem chegado ao mundial. O Corinthians de 2015 era coisa de outro mundo.
      Mas espero que o Palmeiras dispute esse ano 😀

  2. A FIFA Q vá p pqp,
    Tira dois Mundial do Brasil então, q volta a ser Tri, pois na época de 58 e 62 a Copa Do Mundo não tinha Seleções de todos os Continentes.
    Bando de lixo incoerentes.

  3. A FIFA é só uma entidade privada só isso, foda se a FIFA, não sou obrigado a concordar com ela.
    Tira lá dois Mundial do Brasil, cara essa FIFA é uma piada em meio a Corrupção.
    Não tinha capacidade de organizar um Mundial, agora q rebaixar o brilho de quem atingiu o máximo na época.
    Chora de quem nunca atingiu o topo.

  4. Rapa, duas coisas: 1) existe algum organismo mundial que tenha mais legitimidade do que a FIFA para estabelecer normas e regras no futebol? Eu desconheço! 2) como posso chamar de mundial algo que não tem representantes do mundo todo, não é nem campeonato nem torneio, é apenas um jogo. É muita forçacao de barra chamar isso de mundial!!!

Deixe sua opinião e colabore na discussão