Nilson, Ronaldo Mendes e o “Match Point” da vida

Créditos da imagem: Montagem/No Ângulo

“O homem que disse: ‘prefiro ter sorte a ser bom’, entendeu o significado da vida. As pessoas temem ver como grande parte da vida depende da sorte. É assustador pensar que boa parte dela foge do nosso controle”.

“Há momentos em que a bola bate no topo da rede e por um segundo ela pode vir para o outro lado ou voltar. Com sorte, ela cai do outro lado e você ganha. Ou talvez não e você perde”.

matchpoint

São com essas mensagens sobre a sorte que o genial Woody Allen inicia Match Point, longa estrelado pela bela Scarlett Johansson e por Jonathan Rhys Meyers, que, em apertado resumo, mostra a vida de Chris (Meyers), um ambicioso tenista que vê o seu destino sendo determinado por pequenos acontecimentos casuais, que acabam por conspirar a seu favor ou não, tal como quase tudo na vida.

Ou seja, para se ter sucesso, o filme defende que é preciso mais do que o esforço em si ou a simples iniciativa de tentar, já que as situações estariam fora de nosso alcance, além da força de vontade, esforços ou até da qualidade de cada um (e veja como isso faz sentido, apenas pense em quantas pessoas competentes você conhece e que estão desempregadas. Muitas delas até mais capacitadas do que outras bem colocadas profissionalmente).

Frente a esse raciocínio, o “fator sorte” assume forma e vira o protagonista dos acontecimentos, sejam eles para o bem ou para o mal.

Minha opinião? Acredito no trinômio “esforço”, “competência” e… “SORTE”. Ahhh, como esta também é importante…

Trazendo esse pensamento para o futebol, a razão de ser destas linhas, analisemos a trajetória de dois jogadores com histórias ligadas ao Santos: Nilson e Ronaldo Mendes.

nilsonNilson, que, segundo consta, é um bom centroavante, chegou à Vila Belmiro em 2015 avalizado por ninguém menos do que Serginho Chulapa. O jogador fez bons treinos pela equipe e foi sendo escalado aos poucos por Dorival Júnior. Eis que, ao final da temporada, Nilson protagonizou uma das cenas mais comentadas do futebol brasileiro no último ano: aquele gol perdido (imperdível) contra o Palmeiras no jogo de ida da final da Copa do Brasil, que custaria, na opinião de muitos, o título ao Santos (algo cruel, já que poucos comentam que Gabigol perdeu um pênalti no primeiro jogo e que Modesto Roma alterou as datas das finais no momento em que o Santos praticava o seu melhor futebol na temporada). Nilson não teve sorte. Estava no lugar errado e na hora errada. O que ficou ainda mais agravado pelo fato de o Santos não ter se classificado para a Libertadores via Brasileirão. Ele foi o bode expiatório do fracasso santista em um final de ano que prometia muito.

Já Ronaldo Mendes, aparentemente também um bom jogador (fez ótimo jogo contra o Santos-AP, pela Copa do Brasil, com direito a golaço), vem aparecendo na atual temporada e jogou as duas partidas finais do Campeonato Paulista (na primeira, marcou mais um belo gol, em um petardo de fora da área). Como é sabido, o Osasco Audax deu muito trabalho ao Santos e o título foi conquistado a duras penas pela equipe da Baixada. Quando o Santos vencia por 1×0 o jogo da volta (assim como vencia quando Nilson perdeu o tal gol imperdível contra o Palmeiras), Ronaldo Mendes perdeu um gol não menos inacreditável. A diferença? O Santos conquistou o título e aquele gol não fez falta. A situação acabou passando batida, com quase ninguém comentando. Tanto assim o é, que sequer consegui uma imagem na rede para postar o “feito” de Ronaldo Mendes, à-la Nilson. Para completar o ciclo de sorte do novo meia santista, se Ricardo Oliveira pouco largou o osso para Nilson em 2015, a contusão de Lucas Lima (e também a sua convocação para a Seleção Brasileira) abre espaço para que o sortudo Ronaldo Mendes brilhe pelo Santos nesse Brasileirão que se inicia.

No “match point da vida”, Ronaldo Mendes vem dando sorte.

Já Nilson, bem, que ele encontre o seu caminho e não sofra mais do que injustamente já sofreu.

Agora uma última reflexão: imagine o leitor se o agora treinador Deivid tivesse perdido um gol no início de sua carreira como aquele famoso que ele perdeu atuando pelo Flamengo, quando já era um jogador consagrado. Será que ele teria tido a mesma sequência profissional repleta de glórias e conquistas em clubes grandes que teve? Teria ele tido as mesmas chances?

E segue o jogo.

Leia também: 

“Ah, é Oliveira”

E há quem ainda critique Dorival Júnior no Santos?

43 comentários em: “Nilson, Ronaldo Mendes e o “Match Point” da vida

    1. Guilherme, sem demagogia, você não imagina como é bom ler isso. Em nome de toda a equipe do No Ângulo, eu te agradeço. Gabriel Rostey, José Aquino, Emerson Figueiredo, Fernando Gavini de Freitas e tantos outros colaboradores/leitores que temos. Um abraço e segue o jogo! 😉

    2. Adriano Motta André Mosca Caio Bellandi Fabio Palmieri Guilherme Boeira Lena Annes Ademir Tadeu Gilberto Maluf Juliano Ravanelli Wladimir Mattos Bruna Horstmann Sarah Tonon Benê Lima Marcelo L. Arruda Dassler Marques Marcelo Damato Rodrigo BSz Paulo Tohmé Ciro Lima Filho Vicente Prado Luciane Lauffer Paulo Roberto Jamelli Junior Miguel Medeiros Luis Borgia Júnior Soares Ricardo Sales Rodrigo Souza

    3. Vdd. Gosto de ler o no ângulo…..não são clubistas, mostram a veracidade do futebol, só não são tão famosos, pq não fica puxando saco de um só clube….e nem fica pagando pau pra imprensa podre , principalmente da globo e uol

    4. Aproveitando o espaço, gostaria de saber pq temos gente do bem como vocês que elaboram textos fantásticos, com análises e críticas sempre muito bem fundamentadas e por outro lado temos colunistas como o SR. SAMIR CARVALHO DO UOL ESPORTE, que é apenas um oportunista que só fala mal do time que ele cobre, é incrível a falta de ética desse cidadão, eu elogiei a página pq vocês merecem muito ainda mais porque não estão agindo da maneira que esse cidadão sempre se comporta.

  1. Desculpe não dá para comparar o Nilson com Ronaldo Mendes, pois o Nilson já não era bom jogador antes de vir e o Ronaldo Mendes é melhor porém nada de excepcional. Só para deixar mesmo que marcasse o gol o Nilson continuaria a ser um jogar fraco e não mereceria vestir a camisa do Santos

  2. Fernando, belo texto e bela sacada. Mas o Ronaldo Mendes tem mais do que sorte. Antes de perder esse gol feito, ele marcou outros dois decisivos, em belos chutes de fora da área. De qualquer forma, é bom ler um texto em que se percebe o uso da inteligência por trás das palavras. Abraço e sucesso com o site No Ângulo. Estar em companhia do José Maria de Aquino é sempre estimulante.

    1. Odir Cunha, que alegria e satisfação “vê-lo” por aqui! Já valeu ter escrito essa coluna. Que seja a primeira de muitas outras visitas. 😉 Quanto ao José Aquino, eu já nem tenho mais palavras para falar a respeito desse jovem senhor, que eu adoro! Hehehe. Um abraço e obrigado pelos elogios. Mesmo!

  3. Ronaldo Mendes joga muito,não era para Paulinho pra entra primeiro era éle. Só tem de aprender chutar com o pé direito o resto ele sabe.Ele e o cara certo pra ficar no lugar do Lucas Lima.

  4. Concordo com quase tudo, exceto pelo fato que o Ronaldo Mendes vem se tornando importante e fazendo gols significativos. Por esse mesmo motivo, Gabriel foi “absolvido” pelo pênalti que perdeu na Copa BR.
    O Nilson vinha de participações discretas e teve sua condição de jogador do Santos sacramentada por aquele erro, foi quase um conjunto da obra…
    De qualquer maneira, a análise é interessante e me deu uma boa dica de filme!

  5. Deu o titulo ao santos .. Ronaldo Mendes fez o gol d empate no primeiro jogo onde o santos fazia uma pessima partido , e vc midia curitiana vai ter que engolir , esta vindo ai um novo craque …..

  6. Achei injusto você dizer que Ronaldo Mendes estar no time por sorte. Nilsson realmente errou, como todos poderiam errar, mas o fato de ele sair do time não é má sorte. O Santos não tinha melhores reservas na posição, só tinha o Nilsson de melhor, por isso o Santos resolveu melhorar. Se ele fosse bom iria ficar no time, o Gabriel errou e saiu do time? O Ronaldo Mendes poderia sair se fosse ele na final da copa do Brasil? Se tivesse outro melhor pra contratar, sim. Para isso que serve um time de futebol. Mas Ronaldo Mendes bem melhor que Nilsson

  7. Fernando Prado O Ronaldo Mendes é bem melhor do que o Nilson né o Ronaldo pode ter errado o gol mais ele já salvou o Santos eo nilson nunca ajudo o Santos só atrapalho então vcs não tem oque ficar falando mau do Ronaldo mendes….

  8. Belo texto. Mas, na minha modesta opinião, se o sr. Juiz e o sr. Bandeirinha tivessem sido imparciais, como deveriam ser, o jogo já estaria 2×0 para o Santos (gol mais do que legítimo, sem dúvida por parte do apitador e auxiliar). Torçamos para que o sempre que o Ronaldo Mendes não acertar, o gol perdido não faça falta para o Santos. Quanto a qualidade técnica de ambos, não dá para comparar o Nilson com o Ronaldo Mendes.

Deixe sua opinião e colabore na discussão