W3vina.COM Free Wordpress Themes Joomla Templates Best Wordpress Themes Premium Wordpress Themes Top Best Wordpress Themes 2012

Norte: a fronteira que aproxima o futebol feminino da excelência

Iranduba-equipe-amazonia-divulgacao-cbf

Créditos da imagem: wespn

Há, também no futebol, a geografia que nos separa e massacra, promovendo uma espécie de apartheid, enquanto há aquela que nos aproxima e de certo modo nos unifica, como a que vem sendo experimentada no Amazonas, em sua capital Manaus. E o objeto dessa experiência que já se configura como mais um case de sucesso é o Iranduba, equipe de futebol feminino manauara, que incorporou a equipe catarinense do Kindermannn, mas que pode perfeitamente ampliar o espectro de seu sucesso às cercanias das bacias hídricas amazônicas.

Academia IrandubaO Secretário de Futebol Profissional em exercício do Ministério do Esporte, Romeu Castro, esteve em visita ao local, dizendo-se positivamente impressionado com o que viu. Visitou campo de treinamento e de jogos, academia, a casa das atletas, e teve a garantia de que ali o futebol feminino não só pode florescer como já floresce. Sem dúvida alguma, mais de três centenas de clubes brasileiros não possuem a estrutura ali presente. No entanto, frise-se desde já que nada parece megalomaníaco. É tudo pensado e realizado em bases reais e sob o vislumbre da autossustentabilidade. E o investimento, que parece tratar-se de origem mista – privado e público – poderá perfeita e verdadeiramente produzir um legado esportivo para parte da população daquele estado.

O futebol feminino do norte do nosso país agora tem um representante de peso e respeito, que esperamos não venha a sofrer de inanição, também não engrossando as fileiras da trágica mortalidade infantil do empreendedorismo nacional. Que o Iranduba, que renasceu da ‘transgenicidade’ e o do ‘transgerencial’ possa vencer a barreira da efemeridade, para transformar-se em agente propulsor do desenvolvimento do futebol feminino das regiões norte e nordeste. Mesmo que não haja uma relação osmótica entre essas regiões, mas há uma tendência quase que natural de certo mimetismo, para que a bola imite a vida, ou a vida de uns imite a de outros.

Ao acompanharmos o que se passa no Brasil e no mundo do futebol, percebemos que isso nos coloca diante da possibilidade do conhecimento, e este diminui as fronteiras e isso em certo grau nos emancipa, promovendo o processo de nossa inclusão ao conhecimento global. Do ponto de vista prático, podemos dizer que o norte e o nordeste brasileiros passam a integrar mais fortemente o processo de formação de atletas do futebol feminino, o que lhes permite participar da produção e renovação de valores, desse modo democratizando e legitimando a base feminina brasileira, que poderá contar com um número maior de núcleos formadores, e todos trabalhando de forma menos dissonante.

Corinthians precisa investir: Tite é um grande técnico, mas ainda não virou mágico
Paulo Bento e Cruzeiro, um casamento bom para os dois?

Escrito por:

- possui 4 artigos no No Ângulo.

Benê Lima é Radialista (apresentador, âncora, comentarista), Presidente da Liga Cearense de Futebol Feminino (LCFF), Coordenador do Futebol Feminino da FCF e Membro do Conselho do Desporto do Estado do Ceará.

Entre em contato com o Autor

Um comentário para “Norte: a fronteira que aproxima o futebol feminino da excelência”

  1. Ótimo notícia! Que dê certo e o futebol feminino se desenvolva também no Norte 😉


Deixe um comentário

Enquete

Qual o maior técnico brasileiro dos últimos tempos?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Colunistas

Fernando PradoFernando Prado

Natural de Brasília, mas residente em São Paulo desde que se conhece por gente, é um apaixonado por esportes e pela “sétima arte”. Jornalista e advogado, busca tratar o futebol com a descontração que lhe é peculiar, com o compromisso da boa informação e opinião consistente.

Gustavo FernandesGustavo Fernandes

Juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, não resiste a um bom debate sobre esportes, desde futebol até curling. São-paulino, é fundador e moderador do Fórum O Mais Querido (FOMQ). Não esperem ufanismos e clichês. Ele torce, mas não distorce.

Gabriel RosteyGabriel Rostey

Nascido dias após a seleção de Telê encantar o mundo e não levar o caneco na Copa da Espanha, esse paulistano atua e segue aprofundando estudos nas suas principais paixões: futebol e cidades. Especialista em gestão do esporte, como jornalista também encara o futebol como fenômeno cultural.

José Maria de AquinoJosé Maria de Aquino

Em seus mais de cinquenta anos de carreira, teve passagem marcante pelos principais veículos de comunicação do país, de todos os tipos de mídia, como Rede Globo, SporTV, Revista Placar, O Estado de São Paulo, Jornal da Tarde e Portal Terra. Além de um expoente do jornalismo esportivo brasileiro, também é advogado de formação.

Jorge FreitasJorge Freitas

“Prata da casa” oriundo da Coluna do Leitor, este internacionalista é tão louco por futebol que tratou do tema até em seu TCC. Mestrando em Análise e Planejamento em Políticas Públicas, neste espaço une o gosto por escrever com a paixão pelo esporte mais popular do mundo.

Emerson FigueiredoEmerson Figueiredo

Formado em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. Redator, repórter, pauteiro e editor-assistente da editoria de Esportes da Folha. Trabalhou também na Folha da Tarde, Agora São Paulo, BOL, AOL e UOL. Paulistano, acompanha de perto o futebol desde a época em que os camisas 10 dos grandes times paulistas eram Pelé, Rivellino, Gérson/Pedro Rocha, Ademir da Guia e Dicá.

Fernando GaviniFernando Gavini

Jornalista há 19 anos, já cobriu Copa do Mundo, NBA, Nascar, Pan, Mundial de vôlei, Copa do Mundo de ginástica, Libertadores e as principais competições do futebol nacional. Começou no A Gazeta Esportiva, passou pelo site do Milton Neves, Agência Estado, Agora São Paulo, Terra, ESPN e está na TV Gazeta. A trabalho, conheceu 8 países, 18 estados do Brasil e mais de 100 estádios.

Assinatura por e-mail

Arquivos

©2017 No Ângulo - Todos os direitos reservados