“Novo” Vasco bate o Flu em um verdadeiro Clássico

Créditos da imagem: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br

Dois rivais, muitas provocações, estádio cheio, viradas no placar, lances bonitos, jogo disputado, craque barrado decidindo no último minuto. Um resumo em 140 caracteres (talvez um pouco mais) do que foi a vitória do Vasco sobre o Fluminense, 3 a 2, neste sábado, em São Januário, pela 3ª rodada do Brasileirão.

De manhã, a programação exaltava as finais de Copas Europeias, mas logo o noticiário informou que havia um clássico aqui pertinho: a torcida do Vasco pintou e colou cartazes na rua de acesso ao estádio de São Januário por onde entraria a torcida do Fluminense. Em que pese o tom homofóbico, aquilo deu um clima real de rivalidade sadia e do que viria a seguir.

O jogo de provocações parecia virar para o Fluminense. Afinal, o ônibus vascaíno enguiçou e os jogadores precisaram ir ao estádio de táxi. Gozações pipocaram na Internet.

E assim que a partida começou, São Januário lotado, o Vasco revirou na provocação: um drone com uma bandeira escrito “C”, em alusão ao rebaixamento do Tricolor na década de 90, sobrevoou o estádio. O jogo, que era muito pegado, teve o placar aberto com gol de Luis Fabiano, aos 26 minutos. Muito aguerrido, o novo Vasco de Milton Mendes não dava espaço ao rival. Graças à barração de Nenê, que deu poder de marcação e fez crescer o futebol do Fabuloso. O Flu ainda colocou uma bola na trave no primeiro tempo, mas os times desceram para o vestiário com um resultado justo na conta.

Mas o melhor estava por vir.

Mais ousado, o time de Abel arriscava mais, principalmente em chutes de fora da área. Mesmo sem grandes perigos, o Flu achou dois pênaltis aos 14 e aos 20, que Henrique Dourado, para variar, converteu com facilidade. O resultado era injusto, mas o Vasco não desistia. “Estilo Robinho”, Manga Escobar pedalou na área e bateu no cantinho, empatando o jogo aos 29. O 2 a 2 parecia mais sincero pela movimentação dos dois times, que ainda buscavam a vitória.

E como com craque não se brinca, o veterano Nenê saiu do banco para fazer o gol da vitória vascaína aos 47, explodindo a Colina Histórica, em nova jogada de Manga.

Talvez a derrota pareça dura ao Flu, mas o ‘Novo Vasco’ de Milton Mendes, um time que já se arruma taticamente, mereceu ganhar em um jogo que foi um verdadeiro Clássico, com C maiúsculo, mas não o do drone.

Para o futuro, o Vasco precisa manter o equilíbrio tático, a vontade e a casa cheia. Se assim seguir, não passará perto da zona de rebaixamento. Já o Fluminense amarga a primeira derrota, mas não abrindo mão da vocação ofensiva, deverá lutar pelas primeiras posições do campeonato.

3 comentários em: ““Novo” Vasco bate o Flu em um verdadeiro Clássico

  1. Concordo totalmente, Caio Bellandi! Assim o Vasco não passa nem sufoco, e São Januário deve ser um aliado fundamental!

    E o Vasco tem bons jogadores. O Flu tampouco é um timaço individualmente. Acho que no Brasil qualquer um pode ganhar do outro, tem muito do momento e da confiança de cada time. Fora que boto fé no trabalho do Milton Mendes!

  2. se o vasco conseguir fazer de sao janu a sua fortaleza, ja eh o suficiente para ficar na primeirona com sobras

  3. Já estavam superestimando esse Fluminense. Se todo mundo diz que só Palmeiras, Flamengo e Atlético têm time para serem campeões, não ia ser esse Fluminense que ia conseguir alguma coisa diferente.

Deixe sua opinião e colabore na discussão