O 7 x 1 que ameaça derrubar Dunga

Créditos da imagem: Lucas Figueiredo/MoWA Press

A crise atual da Seleção Brasileira, que pode causar a queda do técnico Dunga, não é fruto do acaso, ou apenas de resultados desastrosos. É algo que há tempos vem sendo alimentado de forma lenta e persistente. Dunga tem cometido uma sequência de erros, apesar de ser fato também que herdou alguns problemas que já existiam antes de sua chegada. Mesmo assim, colaborou com o agravamento da situação.

Pode ser que ele ainda consiga virar o jogo, mas já dá para dizer que o atual treinador da Seleção está vivendo o drama do seu próprio 7 x 1. Acredito que todos devem ter suas próprias contagens. A minha segue abaixo:

1 x 0 – Dunga tem o cartão de visitas de ter sido capitão campeão do mundo pela seleção. Algo que remete a casos simbólicos como o de Franz Beckenbauer. Mas ele próprio parece não ter tido a dimensão que isso poderia ter. Manteve uma visão pequena do futebol, uma postura rabugenta, desconfiada, colocando-se na posição de quem estava sempre sendo perseguido. De quem não confia em sugestões, mesmo as aparentemente positivas, com medo de que existiria algo por trás que o ameaçasse.

2 x 0 – Para complicar, Dunga não traz nenhuma inovação à Seleção. Não há nada em sua passagem pelo time que possa ser considerada uma grande sacada da era Dunga. É um arroz e feijão limitado, que estabelece papéis pré-concebidos aos jogadores, sem criatividade para propor algo novo ao nosso futebol. Comparar as atuações do Brasil com times de ponta europeus é desesperador, tamanho nosso atraso. A torcida esperava muito mais do substituto de Felipão. Dunga é mais do mesmo.

3 x 0 – Por conta de seu temperamento desconfiado e rude, Dunga vê a pressão da imprensa por explicações para os maus resultados como uma declaração de guerra. Isso ocorre desde sua primeira passagem pelo time. Vai para o embate. Atitude nada inteligente para quem ocupa cargo tão visado.

4 x 0 – A relação com os jogadores parece formal, mas é de impressionar o número dos pedidos de dispensa ocorridos na preparação da Copa América. Luiz Gustavo, Ricardo Oliveira, Douglas Costa, Rafinha, Ederson e Kaká devem ter formado um recorde na história do time. Ok, é final de temporada na Europa, muitos jogadores cansados, lesionados. Mas o estranho é que ninguém lamenta, vai embora como quem terminou um dia burocrático de trabalho. Passa a sensação de que algo não vai bem no elenco.

5 x 0 – Dunga tem os olhos voltados para o exterior. Apesar de ter mudado um pouco nos últimos tempos, suas convocações mostram uma atenta observação aos brasileiros de outros países, e menos aos que atuam aqui. Resultado: um time de desconhecidos, que saíram garotos do país, e uma total falta de identidade do convocado com o time e da torcida com os convocados.

6 x 0 – Sua postura ufanista, aquele blábláblá zagalliano, também é meio anacrônica. A torcida não entra nessa. Se o Brasil jogar bem, empolgar, eles torcem. Caso contrário, mudam o canal e vão ver quem joga bem, podendo ser na Eurocopa, na Champions ou em qualquer outro lugar onde exista futebol de boa qualidade. Essa história de “sou Amarelinha até morrer” não resiste ao paupérrimo futebol jogado atualmente.

7 x 0 – Ninguém vive sem resultados. Dunga perdeu duas Copas Américas, está mal nas Eliminatórias e só venceu adversários medíocres nos jogos oficiais. Ninguém tem medo de sua seleção. Ninguém confia nela, a começar dos torcedores brasileiros. Assim, fica difícil.

7 x 1 – Apesar de todos os problemas, temos que reconhecer que Dunga é trabalhador, tenta acertar, tem amor pela Seleção. Mas talvez tenha começado em um cargo muito superior ao seu atual estágio na carreira. Quem sabe uma dose de humildade possa fazê-lo aprimorar seus conhecimentos com estágios e cursos. Afinal, é jovem, tem experiência como jogador e história de sucesso para mostrar.

3 comentários em: “O 7 x 1 que ameaça derrubar Dunga

  1. No segundo jogo do Brasil na copa América eu falei algumas coisas que você falou! Não se pode dá uma seleção Brasileira no comando de Dunga ele não mostra essa capacidade foi um capitão onde muito outros poderia ter sido não vir ele jogar na seleção a ponto de Tomar comando da seleção Brasileira por Duas sem sucesso!

Deixe sua opinião e colabore na discussão