W3vina.COM Free Wordpress Themes Joomla Templates Best Wordpress Themes Premium Wordpress Themes Top Best Wordpress Themes 2012

O Barcelona “voltou”

Neymar_Messi_i_Luis_Su_rez.v1417453235 (1)

Créditos da imagem: fcbarcelona.com

Após a definição de uma das semifinais da edição da Uefa Champions League – entre Barcelona e Bayern – percebi uma predileção ao clube alemão nos prognósticos feitos tanto pelos palpiteiros de botequim como pelos mais gabaritados analistas esportivos.

Talvez, como reflexo da eliminação recente do Barcelona por esse mesmo Bayern, quando, na Champions de 2012/13, a equipe alemã massacrou a desfalcada equipe espanhola (inclusive com Messi fora de suas plenas condições) e fez um estrondoso 7 a 0 no placar agregado. Ou, ainda, pela virada marcante nas quartas-de-final dessa edição do torneio diante do Porto, quando a equipe de Munique jogou sob pressão para virar o placar adverso da primeira partida (1 x 3) e classificou-se com um sonoro 6 x 1. Sem falar nas goleadas em fases anteriores frente ao Shakhtar e Roma, de 7 a 0 e 7 a 1, respectivamente (ora, vai gostar de sete assim lá na Alemanha!).

De qualquer forma, mesmo assim me causava estranheza o entendimento da maioria. Afinal, como uma equipe, ainda que comandada por Pep Guardiola e com um verdadeiro esquadrão (costumo tratar o Bayern como a seleção alemã travestida em forma de clube, reforçada por jogadores não alemães do gabarito de Ribéry, Robben e Lewandowski) poderia ser tida como favorita contra o Barcelona do arrasador trio Messi, Suárez e Neymar, auxiliados pelo maestro Iniesta e um Daniel Alves novamente em altíssimo nível? E, como se não bastasse, com um funcionamento harmonioso entre todos os setores, o que tem permitido que seus astros maiores façam a diferença com o raro talento que possuem.

Entendo que o Bayern deveria sim ser respeitado – e ainda deve –, mas simplesmente não conseguia me convencer do seu favoritismo. Ainda mais desfalcado dos seus jogadores ofensivos mais “agudos” (Robben e Ribéry, contundidos, ficaram fora do confronto), o que, há de se reconhecer, desequilibrou e tirou um pouco o brilho do duelo.

Afora todo o exposto, penso que o “detalhe” Messi deve ter relevante peso nas avaliações de todos os confrontos nos quais ele estiver envolvido. O craque argentino é um extraterrestre, parece atuar em outra velocidade, e poder testemunhar as suas jogadas – como no golaço em que deixou Boateng espatifado no chão – é um verdadeiro deleite aos amantes do futebol.

Com Messi “voando”, o Barcelona fica quase imbatível, como nos tempos áureos da equipe então comandada pelo hoje rival Pep Guardiola (2009/2012), que colecionou todos os títulos imagináveis, desfilando o que de melhor o futebol pode oferecer: a competitividade aliada à arte.

Adaptado à ausência de Xavi (sem o mesmo fôlego de outrora e hoje na reserva), tendo reinventado a sua maneira de jogar e se reforçado com os poderosos atacantes sul-americanos Neymar e Suárez, que ajudaram a reacender o brilho do astro-maior Lionel Messi, o Barcelona “voltou”.

E parece ser o time a ser batido na Champions.

E segue o jogo.

Campeonato Brasileiro 2015: as chances de cada time
Todos os brasileiros saem vivos da amontoada quarta-feira de Libertadores

Escrito por:

- possui 244 artigos no No Ângulo.

Natural de Brasília, mas residente em São Paulo desde que se conhece por gente, é um apaixonado por esportes e pela “sétima arte”. Jornalista e advogado, busca tratar o futebol com a descontração que lhe é peculiar, com o compromisso da boa informação e opinião consistente.


Entre em contato com o Autor

9 respostas para “O Barcelona “voltou””

  1. Caio Bellandi disse:

    Vou falar o que meu pai fala sobre o Pelé: um time tem Messi e o outro não tem. Acho que isso resume tudo.

    Apostei em chumbo-trocado mas não achava que teria uma goleada. O Barça encaminhou a classificação e o Bayern, sem Robben, tá abaixo dos catalães mesmo.

    E ainda tem o Messi…o que ele fez ontem, não vou esquecer. Tô embasbacado até agora.

  2. Golaço do Messi e ainda deu o gol Neymar #humildade e #amizade resume o BARÇA

  3. Calma, futebol é imprevisível, semana q vem o Barcelona pode voltar pra casa eliminado e ai???

  4. E Messi? Pelo menos ganhou alguma copa? Pelo menos já fez gol em final? Pelo menos já fez 1281 gols na carreira? Pelo menos ganhou 3 copas do mundo? Messj não é melhor nem que Maradona, vai ser melhor que Pelé. Sai fora baba ovo de estrangeiro

  5. Matheus Silva disse:

    Se for assim, Howeds é bem melhor que Thiago silva

  6. Pra mim futebol bonito com a bola no pe abilidade igual a ronaldinho gaucho nao teve ja efisiencia pra fazer gol o messi melhor que ja vi !

  7. fora do normal, joga dimais.


Deixe um comentário

Enquete

Qual o maior técnico brasileiro dos últimos tempos?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Colunistas

Emerson FigueiredoEmerson Figueiredo

Formado em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. Redator, repórter, pauteiro e editor-assistente da editoria de Esportes da Folha. Trabalhou também na Folha da Tarde, Agora São Paulo, BOL, AOL e UOL. Paulistano, acompanha de perto o futebol desde a época em que os camisas 10 dos grandes times paulistas eram Pelé, Rivellino, Gérson/Pedro Rocha, Ademir da Guia e Dicá.

Gustavo FernandesGustavo Fernandes

Juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, não resiste a um bom debate sobre esportes, desde futebol até curling. São-paulino, é fundador e moderador do Fórum O Mais Querido (FOMQ). Não esperem ufanismos e clichês. Ele torce, mas não distorce.

Jorge FreitasJorge Freitas

“Prata da casa” oriundo da Coluna do Leitor, este internacionalista é tão louco por futebol que tratou do tema até em seu TCC. Mestrando em Análise e Planejamento em Políticas Públicas, neste espaço une o gosto por escrever com a paixão pelo esporte mais popular do mundo.

Fernando PradoFernando Prado

Natural de Brasília, mas residente em São Paulo desde que se conhece por gente, é um apaixonado por esportes e pela “sétima arte”. Jornalista e advogado, busca tratar o futebol com a descontração que lhe é peculiar, com o compromisso da boa informação e opinião consistente.

José Maria de AquinoJosé Maria de Aquino

Em seus mais de cinquenta anos de carreira, teve passagem marcante pelos principais veículos de comunicação do país, de todos os tipos de mídia, como Rede Globo, SporTV, Revista Placar, O Estado de São Paulo, Jornal da Tarde e Portal Terra. Além de um expoente do jornalismo esportivo brasileiro, também é advogado de formação.

Gabriel RosteyGabriel Rostey

Nascido dias após a seleção de Telê encantar o mundo e não levar o caneco na Copa da Espanha, esse paulistano é especialista em política urbana. Com formação em gestão do esporte, também encara apaixonadamente o futebol como fenômeno cultural.

Fernando GaviniFernando Gavini

Jornalista há 19 anos, já cobriu Copa do Mundo, NBA, Nascar, Pan, Mundial de vôlei, Copa do Mundo de ginástica, Libertadores e as principais competições do futebol nacional. Começou no A Gazeta Esportiva, passou pelo site do Milton Neves, Agência Estado, Agora São Paulo, Terra, ESPN e está na TV Gazeta. A trabalho, conheceu 8 países, 18 estados do Brasil e mais de 100 estádios.

Assinatura por e-mail

Arquivos

©2017 No Ângulo - Todos os direitos reservados