O Flamengo na intertemporada das incógnitas

Créditos da imagem: www.flamengo.com.br

De ressaca pela eliminação no Carioca, o Flamengo fez o básico e cumpriu a obrigação de despachar o Salgueiro pela Copa do Brasil, vencendo por 2 a 0 e dispensando o jogo de volta. Dessa forma, o time de Luxemburgo terá dezoito dias apenas para treinar, colocar a cabeça no lugar e tomar um rumo para o restante do ano, que promete ser duro.

A intertemporada de treinos deverá ser utilizada para achar uma forma de jogo e aprimorar alguns fundamentos. Por enquanto, o time de Luxemburgo ainda é um mar de incógnitas. A primeira começando pelo próprio treinador, que parece estar com extrema vontade de realizar seu sonho de treinar o São Paulo, mesmo com o clube paulista rechaçando a possibilidade.

Ficando na Gávea, Luxa terá que encontrar uma escalação ideal com o elenco que montou. Vai ser difícil. Sem um meia de ligação e com volantes e laterais pouco criativos, a aposta do treinador para a parte ofensiva deverá ser mesmo a velocidade nos pés de Paulinho, Éverton, Cirino e Gabriel para as conclusões de Alecsandro e Eduardo. Não é só o que o Flamengo tem de melhor, mas também a única opção de jogo.

O que se viu até agora foi exatamente isso. Quando encontrou um rival que deu poucos espaços para essas arrancadas em velocidade, o rubro-negro virou um time inofensivo, distribuindo chutões e pensando pouco com a bola. Como foi contra o Vasco.

Com a volta de Arthur Maia e a contratação de Almir, ambos terão a incumbência de pensar o jogo, auxiliados por Canteros. Com todos os nomes à disposição, o Flamengo ganha opção mas ainda insuficiente para voos maiores no Brasileirão. A defesa, se não é das piores, também não inspira confiança. O promissor Samir não consegue uma sequência de jogos e Bressan passa instabilidade até para o quase sempre estável Wallace.

É, então, visível necessidade de reforços, o que deverá fazer com que o Fla vá atrás de alguns jogadores, mesmo com toda restrição orçamentária. A imprensa já não perde tempo. Ganso e Pato foram algumas das especulações/aberrações criadas pelos jornalistas cariocas, que nesses períodos sem jogos se mostram bastante criativos. Aposto também que surgirá em algum momento o nome de Robinho, o que mostra que a criatividade dos especuladores está acabando.

Em linhas gerais, o elenco atual é grande. As contratações devem ser pensando no time titular. Armero é boa oportunidade mas não deverá resolver grandes problemas, ainda que seja melhor opção que Pico. Com os pés no chão, seria necessário ao menos um zagueiro e um volante-passador para o time subir de patamar. Obviamente, o tal “camisa 10” também é um alvo. Mas nesse caso específico, são caras e raras as opções.

Por fim, ficando no Flamengo, restará a Vanderlei Luxemburgo entrosar o time, aplicar um padrão de jogo e treinar à exaustão passes e chutes. Vai ter que usar sua capacidade, tão mostrada em tempos idos mas questionada atualmente, e escolher as melhores opções para começar a parte do ano que interessa: o Brasileirão. Exatamente contra o São Paulo.

14 comentários em: “O Flamengo na intertemporada das incógnitas

  1. Bem-vindo, Caio! Tenho certeza que vai ser um sucesso 😉

    E o site acaba falando mais de São Paulo porque nasceu com pessoas daqui, mas a intenção não é essa e a gente já vai dar uma equilibrada boa! Fica o convite pro pessoal conhecer 😉

Deixe sua opinião e colabore na discussão