O técnico Felipão não é ninguém perto do avô Felipão

Créditos da imagem: UOL Esporte

A carga dos 7 a 1 ele vai carregar para sempre, não tem jeito. Mas ele já demonstrou que aguenta isso e muito mais.

Encontrou o Palmeiras cabisbaixo e, perante um torcedor ressabiado, mudou o time da água sanitária para o vinho tinto de primeira.

Nas mãos do Felipão, o Periquito reergueu a cabeça!

A defesa oscilava e ficou sólida. O meio era incerto e se acertou. O ataque não era e passou a ser.

E os frutos futebolísticos são apenas a parte visível do trabalho do profissional sábio… O medíocre talvez buscasse corrigir os erros de funcionamento-fununciamento de cada peça. O experiente tem uma visão mais ampla da realidade e reorganiza o plano para, indiretamente, todos produzirem mais e melhor.

A melhora no rendimento tem fator esportivo e humano. O modo de transmitir as lições, de enfatizar ideias, de amparar, de cobrar, de administrar os recursos humanos, afeta diretamente os resultados da empresa que aposta na efetividade do bom veterano.

Imoral da história: só mesmo um humorista desocupado e desatento para ter a petulância de dizer que um cara desses é “retranqueiro e ultrapassado”. Mas eu não fiz por mal.

Deixe sua opinião e colabore na discussão