Onde está o torcedor santista?

Créditos da imagem: espn.uol.com.br

Primeiro gostaria de me apresentar: meu nome é Carlos Rigueiral, sou torcedor do Santos talvez desde antes de nascer, sou de uma família de santistas (pai, mãe, irmão, avós), frequento a Vila Belmiro desde que tenho 3 anos de idade, ou seja, antes de aprender a falar direito, eu já sabia cantar o hino do Santos.

No Santos fui mascote, fui torcedor organizado, fui conselheiro, conheci 11 estados brasileiros para assistir o time jogar e vi o Santos jogar em 6 países diferentes. Logo, posso dizer que conheço “um pouco” de Santos Futebol Clube.

Mas se tem uma coisa que eu não sei explicar é o porquê de o Santos ter uma média de público tão baixa e/ou o porquê de o seu torcedor não comparecer aos jogos, especialmente na Vila Belmiro.

Na vitória sobre o Sport (a terceira seguida no Brasileirão), pouco menos de 5 mil pagantes estiveram no estádio. E já havia sido assim contra o Internacional, na derrota por 1×0, quando a invencibilidade que já perdurava quase 1 ano caiu. E até mesmo na estreia em casa, contra o Coritiba, apenas 7 mil pessoas estiveram na Vila Belmiro.

Veja, juntando os públicos das três partidas (pouco menos de 17 mil pessoas), dá quase o mesmo que em um domingo de manhã esteve no Pacaembu, na vitória por 3×0 sobre o Botafogo.

Mas qual a razão?

Confesso não ter a resposta, mas farei algumas ponderações a seguir.

Sou de um tempo em que o Santos sofria, mas sofria mesmo. Ser santista era muito mais que uma questão de amor, era uma questão de personalidade, afinal, além do jejum de títulos, não havia muitas perspectivas e os rivais iam ganhando enquanto a gente só olhava. Minha lembrança de criança era de sempre ir à Vila Belmiro, da atmosfera que o estádio tinha, não sei, parecia que havia mais paixão do que acontece hoje em dia, a falta de títulos talvez fazia com que aqueles torcedores fossem mais apaixonados, iam ao estádio de teimosos.

Claro que havia públicos pequenos, lembro-me de ter ido a um Santos x Real Madrid, em 1996, oportunidade em que o Giovanni se despedia do clube, com menos de 2 mil pessoas na Vila (!). Isso mesmo, um jogo contra o poderoso Real Madrid, atual campeão da Champions League, na despedida de um ídolo santista, e não havia público praticamente.

Entendo que o torcedor santista aparentemente se acomodou e com o advento das redes sociais, passou a ser melhor e mais fácil ficar atrás de um computador comentando e falando sobre o jogo, do que realmente ir ao jogo, além de outros problemas.

É fato que a maior parte da torcida santista está fora de Santos. Para quem não conhece, Santos é uma cidade relativamente pequena, com pouco menos de 500 mil habitantes. Ou seja, muito menor do que a torcida do seu filho mais ilustre: o Santos Futebol Clube, que tem aproximadamente 6 milhões de torcedores espalhados pelo País (sendo que pesquisas apontam que cerca de 1 milhão desses torcedores vivem na Capital ou na Região Metropolitana).

Além do fato de ser uma cidade “pequena”, Santos possui hábitos de cidade pequena e muitas vezes provinciana – antes que me critiquem, sou nascido, criado e morador de Santos, amo a cidade e tenho muito orgulho de ser santista de nascimento e de arquibancada -, mas é algo a ser levado em conta.

Outros pontos: no último jogo, contra o Sport, estava 15 graus, o que para a cidade de Santos é quase uma nevasca. Além do mais, o horário do jogo, às 21 horas, em uma cidade de grande maioria população entre os 50 e 70 anos, faz grande diferença, já que Santos não é uma cidade com a noite pujante, é uma cidade claramente diurna.

Já os jovens da cidade parecem ter perdido o hábito de ir ao estádio. Lembro que na minha época de criança e adolescente, grande parte dos meninos da classe, ou da rua, ou das turmas de amigos, frequentava os estádios, talvez não em todos os jogos como eu fazia, mas muitos iam com uma boa frequência. Hoje, vejo que isso é muito mais raro.

Além disso, Santos é uma cidade que possui uma grande quantidade de bares, que são muito mais atrativos do que o estádio para essa nova geração, é muito mais “legal” assistir ao jogo no bar, vendo pela TV enquanto bebe uma cerveja do que ir ao estádio e assistir ao jogo às vezes sentado com a bunda na arquibancada gelada, ou sem cerveja.

O fato é que existem diversos motivos que fizeram o Santos se afastar de seu torcedor e o seu torcedor (principalmente o da Baixada) se afastar do Santos. Talvez seja a hora de o time bater asas, passar a jogar com mais regularidade em São Paulo, fazer do Pacaembu a sua casa de verdade, atrair e conquistar o mercado paulistano, aumentar a sua faixa de torcedores jovens em que ainda existe ainda um grande potencial de crescimento.

Quem sabe jogando fora de Santos o pessoal se dá conta de que tinha um grande espetáculo logo “ali na sua esquina” e passe a sentir falta. Para, quem sabe, em um eventual retorno, o clube possa voltar a atrair mais gente.

Afinal, não dizem que a gente só dá valor quando perde?

Pois bem, acho que é isso.

21 comentários em: “Onde está o torcedor santista?

    1. Hum, em números absolutos, sem dúvida. A questão é que há clubes – no Brasil e no exterior – que têm torcidas menores do que a do Santos, que representam cidades menores, e que conseguem uma presença mais maciça em seus estádios. Não precisa ir longe: a pequena e jovem Chapecoense é um exemplo. Contra o Grêmio, na última rodada do Brasileirão, quase 14 mil pagantes foram à Arena Condá. Lembro uma vez, acho que em 2007, quando o Grêmio desclassificou o Santos na Vila (da Libertadores!!!) e tinha menos de 10 mil pessoas no estádio. Por isso que gostei da coluna do Carlos Rigueiral, pois ele deu alguns elementos diferentes do fenômeno que acontece com o Santos não é de hoje. O que é uma pena, pois não há, no Brasil, um estádio mais gostoso e com uma atmosfera mais especial do que a Vila Belmiro. Pelo menos para mim. 😉

    2. Fernando Prado, este jogo da Libertadores (semifinal) contra o Grêmio tinha quase 20 mil pessoas (19.788 pagantes). Eu estava lá inclusive e nessa época a Vila, quando lotada, era um verdadeiro caldeirão. Não existia camarote atrás do gol oposto ao placar e na lateral (de frente para as câmeras de TV) não tinha cadeira. Apenas o alambrado dividia a torcida dos jogadores nesses dois setores. Concordo com vc quando diz que a Vila tem uma atmosfera especial e é muito loco assistir jogo lá. Se conseguíssemos lotar com frequência teríamos um aproveitamento melhor do que já temos.

  1. A VILA BELMIRO É O ESTÁDIO MAIS CHARMOSO E COM MAIS HISTÓRIA DO PAÍS…

    DE SE LAMENTAR QUE A TORCIDA DO SANTOS NÃO A APROVEITE COMO DEVERIA…

    NEM COM DIEGO/ROBINHO, GANSO/NEYMAR O POVO IA…

    A DIRETORIA TEM QUE FAZER UM ESTUDO E UM PLANEJAMENTO PARA ALTERAR ESSE CENÁRIO! E “PRA ONTEM”…

  2. Acho que isso é uma vergonha para o Santos, uma humilhação jogar no Pacaembu da 20 mil fácil aí vem me dizer que os jogos não tem que ser lá

  3. Moro em Santos e gostei do que o Carlos escreveu. Embaixo do meu prédio tem um bar que tem como atrativo o chope e os jogos de futebol .

  4. Importante que o comentário seja de um santista de quatro costados, como é o caso do Carlos Rigueiral, porque assim fica claro que não são os “forasteiros” que querem jogos em São Paulo, mas sim todos os santistas que colocam os interesses do clube acima dos seus. Parabéns!

  5. Eu já havia falado isso a muito tempo. A cidade de santos abandonou seu time a muito tempo. A diretoria tem que mandar jogos no Pacaembu ou interior de SAMPA e alguns jogos no parana .a torcida santista no parana e imensa como diz o velho ditado
    Se não for bem vindo em algum lugar simplesmente me afasto

  6. o clube deve fazer de seus jogos espetáculos, escolher dias e horários antecipadamente dois no interior, um no norte do Paraná os demais divididos entre Pacaembu e Vila Belmiro,em SP capital jogos de maior apelação, na Vila jogos de sábado 19 hs ou durante a semana a tarde(ja houve e lotou) ou também 19 hs, sendo que na Vila o ideal seria que o Santos adquirisse todas as casas em torno da Vila e que as ruas fossem fechadas e so entrassem naquele setor com ingressos onde haveria shows musicais em outras atrações emtodo comércio de comes e bebes bem como comas e bandeiras seriam comercializados pelo clube. deveríamos ter um grupo de torcedores que ensaiassem cantos e gritos e coreografias, tais músicas deveriam serem gravadas e divulgadas a toda a torcida para que fizessem de todos os jogos uma festa.

  7. Falou tudo, moro aqui na Praia Grande e quase sempre estou na Vila e estava neste fatídico dia em que perdeu para o Inter, o time não demonstrou um pingo de vontade de jogar e eu já previa que o próximo jogo aqui seria sem publico, e concordo contigo quando diz que o Santos deve jogar mais no Pacaembu do que aqui, acorda Modesto

  8. Parabéns pelo texto, isso é o retrato da realidade nua e crua, quem sabe um afastamento, reaquessa esse amor e paixão do SANTISTA de Santos só.

  9. Parabéns pelo texto, isso é o retrato da realidade nua e crua, quem sabe um afastamento, reaquessa esse amor e paixão do SANTISTA de Santos só. Eu acredito nisso.

  10. Olá sou de são Bernardo, sócio e vou em média 10 jogos na vila por ano e quase todos no Pacaembu mas prefiro muito mais a vila e vou dar alguns pontos pq não enche a vila

    Gasto uma média por jogo de 160 são 50 de combustível, 23 de pedágio , 30 estacionamento, 20 de entrada mas 40 de comes e bebes, valor alto sim mas ainda bem que tenho condições para alguns jogo.

    Lembrando que faço uma viagem para ir assistir, isso tudo contribui para a não ida da maioria dos torcedores para a baixada, ver por exemplo que no Pacaembu muitos torcedores pegam o metrô 4 reais e mais o ingresso e conseguem assistir por muito menos

    Torcedor mais velho entre 50 e 80 não tem a mesma vontade de ir ao estádio, vejo meu pai ( 64 anos) muitas vezes nos últimos anos ele prefere ficar no conforto de casa …. isso acontece em Santos a maioria está nesta idade … os mais novos estao em SP média de 15 a 50 que vão aos estádios mas não tem condição financeira para descer..

    Enfim infelizmente o Santos tem que jogar aonde a torcida está e é presente em maior número que é o Pacaembu …. amo a vila mas ….

  11. 7% da cidade de sp eh santista, na baixada somos quase 50 % … Ou seja lá só tem mais santista pq eh mais populosos …

Deixe sua opinião e colabore na discussão