Parcerias milionárias: quanto vale a pena se subverter ao dinheiro?

Créditos da imagem: Fabio Menotti/Ag Palmeiras/Divulgação

A Sociedade Esportiva Palmeiras vive uma época de vacas gordas. Com grana de sobra, faz e desfaz no mercado brasileiro e sul-americano, capaz de montar dois ótimos times ao mesmo tempo, um para jogos mais importantes, outro apenas pra cumprir tabela.

Munido pela grande capacidade financeira de sua nova parceira, a Crefisa, o alviverde paulista destoa da realidade dos grandes clubes brasileiros e parece nadar em um mar de ouro, enquanto a grande maioria conta migalhas para formar um time capaz de disputar ao menos um título estadual neste ano.

Mas nós sabemos que quando a esmola é demais, o santo desconfia. Assim como sabemos que ninguém é bonzinho o suficiente pra injetar dinheiro à toa, sem esperar nem querer nada em troca, apenas por ânsia de ver seu time em primeiro lugar nas competições nacionais e internacionais.

Nestes últimos dias, o casal Crefisa, Leila Pereira e seu marido, José Roberto Lamacchia, tiveram votação suficiente para enfim tornarem-se conselheiros do clube, em uma manobra que rasga e joga no lixo o próprio estatuto palestrino, que prevê a necessidade de ser sócio há pelo menos dez anos antes de se tornar conselheiro pela primeira vez (Leila passou a ser sócia apenas em 2015, e assumiu em entrevista ao Diário de São Paulo que não poderia se tornar sequer conselheira – entrevista que pode ser lida aqui). É um despotismo escancarado, que se esconde através da força e da deslealdade que emprega o dinheiro.

Para piorar, o movimento que esmaga o estatuto palmeirense é liderado nada mais, nada menos, pelo Sr. Mustafá Contursi, o mesmo que pôs o Palmeiras no buraco e que deixou o time fadado a vexames históricos por mais de uma década.

Pode parecer maluquice falar disso agora quando tudo é festa e a injeção financeira faz do time o mais poderoso do Brasil. Mas a gente sabe de cor o fim das parcerias entre MSI e Corinthians e Fluminense e Unimed, por exemplo. O próprio Palmeiras entrou em um enorme calvário após ser usado pela Parmalat para fins ilícitos.

Enquanto dentro do campo tudo é festa, nas alas diretoras alviverdes o clima esquenta e não se respeita nem a história, nem o futuro do clube. O palmeirense sabe melhor do que ninguém onde tudo isso pode acabar.

6 comentários em: “Parcerias milionárias: quanto vale a pena se subverter ao dinheiro?

  1. Só discordo que acho que a Parmalat foi benéfica, o Palmeiras é que não soube se preparar para ficar sem ela. Mas essa situação com a Crefisa é realmente perigosa!

  2. Basta o palmeiras se preparar para o fim dos investimentos no futuro… totalmente normal tais investimentos no futebol atual… senti uma invejinha nessa matéria

Deixe sua opinião e colabore na discussão