Pato ou não Pato

Créditos da imagem: correio.rac.com.br

O atacante Pato pode ser hoje o problema e a solução dentro do Corinthians. Cabe somente a ele tomar a decisão que pode reverter o rumo, até aqui melancólico, de sua carreira. A opção é entre ser o maior mico da história do time ou se tornar exemplo de recuperação, e quem sabe de herói.

Com bastante razão, a torcida corintiana tem pouquíssima simpatia por Pato. A patética cobrança de pênalti contra o Grêmio, que eliminou o time na Copa do Brasil, ainda dói na memória corintiana. Sua reação tão patética quanto o erro, aparentemente dando de ombros para o absurdo cometido, só tratou de piorar tudo.

Depois de uma boa fase no São Paulo, que em contrapartida rendeu Jadson ao Corinthians, Pato voltou a ser errático. Passou despercebido no Chelsea, voltou para o Corinthians por falta de propostas de peso e amarga a situação de ter que treinar onde não inspira simpatia ou confiança.

Situação absurda para quem tem o talento que ele possui. Por isso, por incrível que pareça, se não houver nenhuma nova proposta neste meio de ano, a solução de Pato pode ser o Corinthians e a do Corinthians pode ser Pato.

Se for realmente aproveitado, o atacante ganha uma possibilidade de se reabilitar com os corintianos. Se jogar o que sabe, e para o time, tem chances de construir uma saída honrosa e reabrir mercados de qualidade para seu talento. Se fracassar, pode se tornar mais um errante de times médios, aqui ou no exterior.

Basta que Pato se torne mais uma opção de qualidade para o trio de meias/atacantes que Cristóvão tem tentado implantar. Ele tem talento suficiente para formar uma linha como Marquinhos Gabriel e Giovanni Augusto, deixando André mais avançado. Ou ainda de ir mais para frente, fazendo revezamento com Guilherme.

As opções são boas justamente porque Pato pode dar o toque diferenciado.

Com Tite, dificilmente ele seria reintegrado à equipe. Cristóvão, por outro lado, anunciou que quer colocá-lo em campo, por pelo menos alguns minutos, já no próximo jogo, contra o Figueirense, na Arena de Itaquera. Acho que sua reestreia deveria acontecer fora de São Paulo. Sem a pressão de Itaquera lotado de torcedores, ele teria a calma necessária para tentar causar boa impressão, com gols e boas jogadas. Assim, prepararia o terreno para ser recebido de forma menos hostil em um jogo na casa dos corintianos.

Neste momento árido de craques no futebol brasileiro, e diante das necessidades do Corinthians, Pato pode ser uma boa notícia. Se fizer algo positivo para o time e sua torcida, terá efeitos muito bons em seu futuro próximo. Se todos se esforçarem para que este momento seja de reencontro feliz, as chances de sucesso ficarão bem maiores.

9 comentários em: “Pato ou não Pato

  1. Como de costume, muito bem colocado, Emerson Figueiredo. No entanto, embora eu concorde que o Pato tenha agora (mais uma) grande chance de mostrar o seu valor no Corinthians, a verdade é que eu não acredito nisso. Tampouco acho que ele tenha toda essa qualidade que muitos de nós vendemos por aí. O Pato me lembra o Rodrigo Fabri (lembra dele? Começou na Lusa e foi parar no Real Madrid?)… O São Paulo foi para o Pato aquilo que o Grêmio um dia representou para o Rodrigo Fabri (um bom momento, com muitos gols anotados, mas nada além disso). Enfim, uma carreira muito menor do que se supunha. A ver. E segue o jogo. 😉

    1. Ótima comparação! Eu lembro que passei anos sendo enganado pelo Rodrigo Fabri, depois da ótima impressão que ele deixou na Portuguesa.

      Já pelo Pato eu fui enganado muito menos tempo, rs! Concordo totalmente sobre ele não ter essa “qualidade toda” que se pinta por aí. Basicamente, acho que ele é um bom finalizar e tem velocidade. Não sabe cruzar bem, não tem inteligência para boas enfiadas de bola (e nem é a característica dele), não sabe cruzar, etc. Acho que é, basicamente, um finalizar muito bom (que, ainda assim, perde muitos gols fáceis), tem velocidade e muita estrela em estreias.

  2. Concordo totalmente sobre ser melhor ele reestrear pelo Corinthians em alguma partida fora de casa! Assim, se consegue marcar um gol, ou mesmo uma atuação destacada, já melhora a recepção para a partida diante da torcida. Já assim, acho que tem boas chances de receber vaias, ainda mais com a torcida já pegando birra das substituições feitas pelo Cristóvão Borges.

Deixe sua opinião e colabore na discussão