Que Fred e Levir Culpi demonstrem grandeza de espírito na véspera da final da Primeira Liga

Créditos da imagem: UOL

Aprendi ao longo da vida que, geralmente, quando dois brigam, cada lado tem a sua parcela de culpa.

No atrito entre Fred, ídolo do Fluminense, com o técnico Levir Culpi, penso que não há, necessariamente, um vilão. Tampouco algum santo.

Segundo consta, a insatisfação do atacante com o treinador teria surgido após as seguidas substituições e até mesmo a discussão no vestiário durante o intervalo da vitória sobre o Madureira, momento em que Fred chegou a declarar que não jogaria mais sob o comando de Levir.

Ao que parece, Fred, em razão dos desmandos que marcaram o Tricolor Carioca nos últimos anos, perdeu a noção de hierarquia e dos limites de sua liderança (que, se exercida de maneira razoável, pode sim ser benéfica. Como foi, por exemplo, na campanha do Brasileirão de 2009, aquela do “quase rebaixamento”). Que recue (como parece já estar recuando, após a repercussão negativa do caso), deixe de ser mimado e se coloque no seu devido lugar.

Já em relação ao competente Levir Culpi, penso que ele deve sim ter pulso firme (ainda mais em um ambiente contaminado pelo egocentrismo como é o futebol, cheio de jogadores com o “Rei na barriga”), mas sem perder a sensibilidade, sem ser intransigente com um ídolo que inegavelmente tem uma história de conquistas no clube. Que o treinador dê o recado ao atleta como está dando, mas que também saiba recuar e não utilize o episódio para “passar um recado” aos demais jogadores do elenco. Capaz e experiente que é, Levir não precisa disso. Muito menos a essa altura da carreira.

Em resumo, o mais sensato é que ambos conversem e superem o entrevero o quanto antes. E que o transformem em combustível para a final da Primeira Liga, a ser disputada contra o Atlético Paranaense, no próximo dia 20, no Estádio Radialista Mário Helênio, em Juiz de Fora.

Aliás, Flu e Furacão se enfrentaram na primeira rodada da competição e o jogo terminou com vitória paranaense por 1 x 0, em duelo marcado pelas expulsões do atacante Fred (!) e do lateral Léo (com direito a “troca de gentilezas”). Ambos foram suspensos por cinco jogos e estão fora da grande final.

De qualquer forma, pensando na temporada, com Fred e Levir Culpi juntos, o Fluminense definitivamente é mais forte.

E segue o jogo.

Veja também: Os times precisam de ídolos ou de “donos”?

6 comentários em: “Que Fred e Levir Culpi demonstrem grandeza de espírito na véspera da final da Primeira Liga

  1. Assino embaixo! Torço mesmo para que essa história seja superada, porque o Fred é, simplesmente, um dos maiores ídolos da história do clube, e o Levir é um excelente técnico e uma pessoa que faz bem ao nosso futebol.

    Mas não quero de modo algum que o Fred saia do Fluminense! Acho que seria mais uma grande derrota do nosso futebol…

  2. I loved it. Best movie I’ve seen in ages. Made Krzysztof Ki&kl›owsÅie#8217;s Dekalog (1989) look shallow. “Lawrence of my labia” – lolololololol. How I laughed.Ignore James’s review, people, SATC2 is a masterpiece.

Deixe sua opinião e colabore na discussão