Quem tem bola de cristal para afirmar que Rogério Ceni será bom ou mau técnico? Se acertou ou errou em começar por cima?

Créditos da imagem: Igor Amorim / saopaulofc.net

Até a entrada em vigor da Lei 5.107, em janeiro de 1967, instituindo o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, o FGTS, valia no Brasil a Lei Trabalhista, assinada por Getúlio Vargas ainda em 1941. Por ela, o empregador podia demitir a seu bel prazer qualquer funcionário até que completasse dez anos de trabalho, quando passaria a ser estável. Isto é, não poderia mais ser demitido etc.

Para burlar a Lei, os patrões passaram a demitir quando o empregado estava prestes a completar os 10 anos de casa. Mas logo a Justiça, em recursos, passou a considerar que demissões feitas até seis meses antes dos dez anos, visavam evitar a estabilidade, dando ganho de causa ao empregado.

Com o FGTS acabou estabilidade e a burla. O empregado demitido sem justa causa recebe seus direitos, multa. E até, em muitos casos, o que chamam de “love letter“. Com as partes cumprindo direitinho suas obrigações, não há do que reclamar.

Assim devem ser vistos também os contratos entre clubes e técnicos. Havendo multa estabelecida e sendo ela paga, em caso de rescisão antes do tempo combinado, não há o que criticar. Muitos contratos são assinados sem constar multa, mas que os pagamentos dos salários serão feitos até o último dia. Com naturais e permitidas variantes. Nem é preciso lembrar que, no caso, o técnico também pode “se mandar” antes do prazo fatal, desde que cumpra o assinado, sem merecer críticas.

Por falar em críticas, ninguém está proibido – dentro dos limites legais – de expor suas opiniões. Só não deve reclamar se receber algumas, ou muitas, de volta. Direitos iguais. Sou até a favor de que os árbitros fossem liberados para dar entrevistas após os jogos. Seria interessante e justo vê-los criticando técnicos quanto à armação de seus times – quando, antes, por eles criticados. E a jogadores, quando estes tentarem jogar em suas costas os erros cometidos em campo.

E jornalistas, podem dar palpites – para ficar apenas no caso dos técnicos – sobre a contratação de um e outro? Pode. O que não pode é reclamar se a crítica virar bumerangue. Quem nunca viu ex-jogador que vira comentarista, criticar jornalistas, dizendo que não sabem nada, porque nunca calçaram chuteiras? E quem nunca percebeu que muitos deles não “enxergam” o que está acontecendo no campo? Alguns parecem “enxergar”, mas não sabem expor. Verdade ou mentira?

Particularmente, acho que observações – para criticar ou elogiar – devem ser feitas após o trabalho realizado. Antes, soam como meros palpites, que podem ou não ser consolidados. Achar que Rogério Ceni poderá mostrar-se bom técnico só porque foi grande goleiro, não passa de achismo. Assim como dizer que vai fracassar porque devia começar treinando a base. Nem vou falar de torcerem contra, só porque ele é “mascarado”, defendeu o time adversário etc. Bobagens.

Tenho visto grandes jogadores que não deram bons técnicos. Jogadores medianos que viraram bons professores. E quem “nunca calçou chuteiras” – dá para falar de Feola, Parreira e Coutinho…

10 comentários em: “Quem tem bola de cristal para afirmar que Rogério Ceni será bom ou mau técnico? Se acertou ou errou em começar por cima?

  1. Interesse ponto, José Maria de Aquino! Eu não sei bem o porquê, mas acho que vai dar certo! Penso que os são-paulinos devem ficar mesmo cheios de expectativa (o que pode ser ruim, até). Ele sempre foi líder e parece ter aquele “perfil obsessivo” que dizem ser fundamental para um treinador. E sem conhecer os profissionais, achei um acerto esses auxiliares “estudiosos” estrangeiros, que vão se unir a todo o conhecimento prático do Rogério 😉

    1. Se tiver respaldo, dará certo. Foi assim com Telê Santana. Se os cartolas tiverem medo, nem ele, nem nenhum outro. abss

  2. Ao mesmo tempo, acho que faz parte do jogo se arriscar em palpites e prognósticos. Eu mesmo acho que seria melhor o Rogério passar pelo menos um ano com experiência prática de técnico, mesmo se fosse da base. Acho que aumentaria as chances de sucesso, mesmo comigo acreditando que vai dar certo ainda de primeira.

    1. A vida é escrita de trás para frente, como em japonês. Deu certo, dirão ue fez tudo corretamente. Deu errado, dirào que fez tudo de forma equivocada – embora tenha feito exatamente a mesma coisa

    1. Pelo menos tomou uma decisão correta: treinar um time grande e não um timinho do interior. Mesmo do interior com areia….

Deixe sua opinião e colabore na discussão