“Rei, rei, rei, Reinaldo é nosso Rei”

Créditos da imagem: Portal Terra

Reinaldo: o Rei das Minas Gerais

Nascido na cidade mineira de Ponte Nova, em 11 de janeiro de 1957, José Reinaldo de Lima foi um dos maiores atacantes da história do futebol brasileiro, dono de pés que pareciam dominar todos os segredos da bola.

Reinaldo tornou-se o maior ídolo e artilheiro da história do Atlético Mineiro e se acostumou a ouvir a torcida cantar em coro: “Rei, rei, rei, Reinaldo é nosso Rei”.

O artilheiro começou cedo, aos 13 anos, quando chegou ao Atlético. Pelo Galo disputou 475 jogos e marcou 255 gols. Foi campeão mineiro em 1976/78/79/80/81/82/83. Sempre decisivo, foi o artilheiro do Campeonato Brasileiro de 1977 com 28 gols e vice-campeão da competição.

Além dos gols, inesquecíveis, Reinaldo foi um dos jogadores que mais sofreram com contusões e cirurgias mal-sucedidas durante a carreira. Logo em 1973, foi operado do tornozelo direito. No mesmo ano e em 74, duas cirurgias retirariam seus meniscos. Em 1976, foi a vez do joelho direito. Em uma só cirurgia, Reinaldo perdeu os meniscos da perna “boa”.

Sem meniscos, sua única participação em uma Copa do Mundo, de 1978, na Argentina, foi prejudicada. Ele tinha apenas 21 anos e um currículo enorme de contusões e cirurgias.

Depois de 78, o artilheiro entrou “na faca” pela última vez. Ainda jogaria pela Seleção Brasileira, mas nunca mais teria oportunidade em uma Copa. Atuou em 37 jogos e marcou 11 gols.

Apesar disso, enquanto pôde jogar, foi dos jogadores mais técnicos e oportunistas dentro de campo.

Reinaldo tinha uma maneira diferente de comemorar seus gols: de punho esquerdo erguido, fazia o gesto que lembrava os militares negros do movimento “Panteras Negras”, dos Estados Unidos.

Em fim de carreira, apesar de ainda novo, atuou no Palmeiras, por três meses, Rio Negro-AM (6 jogos e 2 gols) e Cruzeiro, o maior rival do Galo, por quem disputou apenas duas partidas pelo Campeonato Brasileiro de 1986 e não marcou nenhum gol.

Em 1988, aos 31 anos, encerrou a carreira defendendo o Telstar, um time da segunda divisão holandesa, após uma breve passagem pelo BK Hacken, da Suécia.

Reinaldo certamente um dos maiores atacantes que vi jogar…

5 comentários em: ““Rei, rei, rei, Reinaldo é nosso Rei”

  1. O Reinaldo também foi dos maiores atacantes que já vi!!!!!! O Marcelo Oliveira, técnico, que foi companheiro do Reinaldo quando novinho, falou com todas as letras que acha que ele poderia ter sido o mais próximo do Pelé se não fossem as cirurgias!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Deixe sua opinião e colabore na discussão