W3vina.COM Free Wordpress Themes Joomla Templates Best Wordpress Themes Premium Wordpress Themes Top Best Wordpress Themes 2012

Rogério Ceni deve começar por baixo no São Paulo

00816049-1000x600

Créditos da imagem: spfconline.com.br

Rogério Ceni foi um grande ídolo dos são-paulinos. Talvez, o maior. Encerrou a carreira de goleiro e faz agora um aprendizado como técnico na Europa. Está no caminho certo. Aliás, não sei se saberá ser um bom técnico, mas soube como poucos derrubar treinadores. Tem agora a chance de ser novamente um chefão no Tricolor. Mas do outro lado do balcão.

Porém, será que é o momento de alçar o goleiro-herói ao posto principal do time? Será uma decisão certeira? O São Paulo está em uma fase de muitas dificuldades. Colocar Rogério como salvador da pátria é um risco dos maiores.

Alguns técnicos deram certo na transformação de jogador para treinador. Carpegiani no Flamengo, o velho Dudu no Palmeiras, Leão no Sport e… quem mais? Provavelmente, os torcedores lembrarão de outros. Mas a maior parte se deu mal.

O São Paulo não precisa que Rogério Ceni seja o salvador da pátria. Precisa que ele seja uma nova fase de sucesso a partir de outras instâncias. A mesma situação do Barcelona quando pediu que Guardiola começasse pelas categorias de base.

É aí que está a chance. Começar por baixo e fazer um trabalho de construção de uma nova ideia. Ceni não chegará e resolverá os problemas do time atual. Mas pode ser uma solução interna, vindo de baixo, com bagagem para modificar a filosofia de equipe. Precisa de tempo de trabalho e confiança da torcida. Isso você não tem na direção do time principal. A cobrança por resultados acaba com suas possibilidades.

Acho que os times grandes não devem depender apenas de treinadores milagreiros, que chegam e resolvem. Precisam de quem chega e constrói um trabalho, como o Tite, ainda que mesmo no profissional e seguindo Mano, fez no Corinthians. Com a possibilidade única de fazer isso em uma equipe principal – mais por carências do Corinthians na época. Situação semelhante à de Dorival no Santos. Mas são momentos raros.

Ceni não aguentará fazer valer sua fama sem resultados. Falcão não fez isso no Inter. Zico se recusou a arriscar no Flamengo.

Por que Rogério Ceni deveria queimar etapas e ter problemas no São Paulo?

Minha tréplica sobre a polêmica do "Santos mimado"
Palpites da 35ª rodada do Brasileirão

Escrito por:

- possui 102 artigos no No Ângulo.

Formado em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. Redator, repórter, pauteiro e editor-assistente da editoria de Esportes da Folha. Trabalhou também na Folha da Tarde, Agora São Paulo, BOL, AOL e UOL. Paulistano, acompanha de perto o futebol desde a época em que os camisas 10 dos grandes times paulistas eram Pelé, Rivellino, Gérson/Pedro Rocha, Ademir da Guia e Dicá.


Entre em contato com o Autor

7 respostas para “Rogério Ceni deve começar por baixo no São Paulo”

  1. Bruno Silva disse:

    Não gosto de jogadores serem treinadores dos clubes onde são ídolos (no Brasil). acabam se queinando. Acho que esse deve ser o motivo pelo qual o Zico nunca treinou o Flamengo.

  2. Já eu gosto da ideia do Rogério Ceni treinando o São Paulo, mas concordo inteiramente que não agora. Acho que precisa de alguma experiência prática, mesmo que em categoria inferior.

    À distância, acho que ele tem um temperamento meio obsessivo (no bom sentido) que cai muito bem em técnicos!

  3. yussef damian disse:

    Não sou favorável que “grandes ídolos” treinem seus ex-clubes. Ídolo é ídolo. Técnico num determinado momento acabará sendo “burro”, até mesmo como diretores ou presidentes correm esse risco, exemplos Zico e Roberto.

  4. Por baixo kkkkkkkk Gay

  5. Acredito que para ser um bom técnico é preciso delegar funções a uma boa equipe ,preparador físíco , fisiologista , auxiliares de campo , analistas de sistemas táticos dos adversários , analistas de performace individuais dos jogadores local de atuação km percorrido , e o treinador precisa estar atualizado com as variações táticas de hoje. Hoje é necessário ser um gestor de vaidades , que é evidente no futebol , paciência , inteligência , humildade , , ausência de égo e expreriência com seres humanos , Rogério Ceni está preparado pra isso . E quando ele se tornar treinador , o ídolo se tornará um simples mortal.

  1. […] Ceni, porém, era um desejo unânime no São Paulo. Escrevi aqui em No Ângulo, há alguns meses, que o Mito tricolor deveria começar por baixo, nos times de base. Mas ele e a diretoria acharam que já era hora de encarar o desafio maior. E as […]


Deixe um comentário

Enquete

Qual o maior técnico brasileiro dos últimos tempos?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Colunistas

Emerson FigueiredoEmerson Figueiredo

Formado em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. Redator, repórter, pauteiro e editor-assistente da editoria de Esportes da Folha. Trabalhou também na Folha da Tarde, Agora São Paulo, BOL, AOL e UOL. Paulistano, acompanha de perto o futebol desde a época em que os camisas 10 dos grandes times paulistas eram Pelé, Rivellino, Gérson/Pedro Rocha, Ademir da Guia e Dicá.

Gustavo FernandesGustavo Fernandes

Juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, não resiste a um bom debate sobre esportes, desde futebol até curling. São-paulino, é fundador e moderador do Fórum O Mais Querido (FOMQ). Não esperem ufanismos e clichês. Ele torce, mas não distorce.

Jorge FreitasJorge Freitas

“Prata da casa” oriundo da Coluna do Leitor, este internacionalista é tão louco por futebol que tratou do tema até em seu TCC. Mestrando em Análise e Planejamento em Políticas Públicas, neste espaço une o gosto por escrever com a paixão pelo esporte mais popular do mundo.

Fernando PradoFernando Prado

Natural de Brasília, mas residente em São Paulo desde que se conhece por gente, é um apaixonado por esportes e pela “sétima arte”. Jornalista e advogado, busca tratar o futebol com a descontração que lhe é peculiar, com o compromisso da boa informação e opinião consistente.

José Maria de AquinoJosé Maria de Aquino

Em seus mais de cinquenta anos de carreira, teve passagem marcante pelos principais veículos de comunicação do país, de todos os tipos de mídia, como Rede Globo, SporTV, Revista Placar, O Estado de São Paulo, Jornal da Tarde e Portal Terra. Além de um expoente do jornalismo esportivo brasileiro, também é advogado de formação.

Gabriel RosteyGabriel Rostey

Nascido dias após a seleção de Telê encantar o mundo e não levar o caneco na Copa da Espanha, esse paulistano é especialista em política urbana. Com formação em gestão do esporte, também encara apaixonadamente o futebol como fenômeno cultural.

Fernando GaviniFernando Gavini

Jornalista há 19 anos, já cobriu Copa do Mundo, NBA, Nascar, Pan, Mundial de vôlei, Copa do Mundo de ginástica, Libertadores e as principais competições do futebol nacional. Começou no A Gazeta Esportiva, passou pelo site do Milton Neves, Agência Estado, Agora São Paulo, Terra, ESPN e está na TV Gazeta. A trabalho, conheceu 8 países, 18 estados do Brasil e mais de 100 estádios.

Assinatura por e-mail

Arquivos

©2017 No Ângulo - Todos os direitos reservados