W3vina.COM Free Wordpress Themes Joomla Templates Best Wordpress Themes Premium Wordpress Themes Top Best Wordpress Themes 2012

Torcida eufórica, jogadores confiantes: ninguém deixou, mas o Flamengo chegou no G4

alan1

Créditos da imagem: Esporte Interativo

O Flamengo emplacou a sexta vitória seguida ao vencer fora de casa a Chapecoense, por 3 a 1, fora o baile. O rubro-negro dominou a maior parte do jogo e poderia ter matado a partida, mas preferiu passar um susto na parte final, para relaxar somente nos acréscimos.

A arrancada desse começo de returno impressiona por alguns fatores. O mais destacado é a diferença entre o time treinado por Cristóvão, 13º colocado e o atual, de Oswaldo, 4º lugar. Taticamente há mudanças claras, como a melhora da marcação, mesmo jogando com dois volantes, enquanto o antecessor gostava escalava três. Pará tem feito jogos seguros e Samir, quando consegue se manter longe das lesões, é disparado o melhor zagueiro do elenco. Com a volta dele e a boa participação do time na parte defensiva, o time não fica tão exposto às falhas individuais. Paulo Victor está novamente com ritmo de jogo, passando a segurança que todo goleiro deve passar ao seu time. Acabaram os muitos gols sofridos, principalmente em bolas paradas. Se a defesa não é exatamente um exemplo de perfeição, pelo menos não é mais aquela aberração que era antes de Oswaldo.

Na parte ofensiva está o grande mérito do treinador recém-chegado. Além de mais rapidez e eficiência na saída de bola (a tal verticalização), o time rubro-negro ganhou em Kayke um substituto à altura de Guerrero. Se movimenta e participa do jogo intensamente, e ainda tem boa técnica para fazer gols, distribuir passes e assistências. Tal movimentação facilita demais o trabalho de jogadores como Éverton, Sheik e Paulinho, incisivos, rápidos e que trocam bastante de posição entre eles. Esse constante deslocamento na frente também ajuda Alan Patrick (foto), Ederson e Canteros a acharem passes e lançamentos nos espaços abertos.

Ou seja, taticamente o time é outro, com os mesmos jogadores, ainda que alguns deles também tenham apresentado um crescimento individual, como Márcio Araújo, Canteros e Éverton. Dentro de campo, está tudo dando certo para o Flamengo.

Mas o que realmente chama a atenção é o fator fora das quatro linhas: a confiança. Já explique por aqui que o Flamengo se alimenta de euforia. E é assim que o clube inventa e acredita na mística do “deixou chegar”. O time começou a ganhar, e a torcida, a acreditar na Libertadores. O resultado da equação é que o time permanece ganhando e com boas atuações. A confiança é tamanha que o Flamengo jogou sem o meio-campo titular (Canteros, Márcio Araújo e Éverton) e mesmo assim ganhou do Cruzeiro. E jogou sem o trio de ataque titular (Alan Patrick, Sheik e Guerrero) na vitória contra a Chapecoense.

Com a confiança em alta, o rubro-negro passou a arriscar jogadas, sem medo de ser feliz. Resultado: na quarta-feira, o contestado Luis Antônio acertou um chutaço de fora da área, de primeira, no ângulo. E no domingo, Paulinho, criticado por errar muitas finalizações, fez uma pintura, também de primeira. Canteros ainda acertou um bonito chute, logo ele, que não finaliza e prefere quase sempre o passe ou lançamento para um companheiro.

Eis, então, o ciclo do Flamengo: ganhar, acreditar, confiar e ganhar de novo. É dessa forma que o time está 100% no returno, no antes distante G4 e já a quatro pontos do terceiro colocado. O Corinthians não deixa o Flamengo (nem ninguém) sonhar com o título; o Galo e o Grêmio continuam somando seus pontos e se mantendo na zona para a Libertadores; e rivais como São Paulo, Santos e Palmeiras não devem dar sossego ao time de Oswaldo de Oliveira.

Mas para o Flamengo e seus torcedores, não importa o que os outros pensam ou fazem. O que vale mesmo é acreditar que o time pode qualquer coisa. E até agora, está dando certo. Na base da euforia da torcida e da confiança dos jogadores.

Palpites da 26ª rodada do Brasileirão 2015
Adoro os que chamam de “Professor Pardal”

Escrito por:

- possui 71 artigos no No Ângulo.

Carioca, graduado em Direito e universitário de Jornalismo. Mas antes de tudo, um opinólogo profissional, cronista do cotidiano, comentarista do dia a dia e palpiteiro da rotina.


Entre em contato com o Autor

9 respostas para “Torcida eufórica, jogadores confiantes: ninguém deixou, mas o Flamengo chegou no G4”

  1. Quero. Ver. A. Hora. Que. Encarar. O. Timão.

  2. Vai ser goleada kkkk

  3. Kkkkkkkkkkk tenho e do

  4. Beleza seus otarios , e série B.. Vocês manjam , né?! Não fode!

  5. William Souza disse:

    Timao e ooo caralho aqui e flamengo tenta fazer de td pra ser a maior torcida do brasil kkkkk ta fudido aqui e rubro negro porra

  6. Aki é corinthians porra lider da porra toda!!
    Se conforma ai bando de mulambos com a quarta posiçao, pois nos vamos ser hexa

  7. Robbie disse:

    Way to use the internet to help people solve prbmleos!

  1. […] técnico Oswaldo de Oliveira deu uma cara nova ao Flamengo. Já são seis vitórias seguidas da equipe carioca e uma meteórica ascensão à 4ª colocação. […]


Deixe um comentário

Enquete

Qual o maior técnico brasileiro dos últimos tempos?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Colunistas

Emerson FigueiredoEmerson Figueiredo

Formado em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. Redator, repórter, pauteiro e editor-assistente da editoria de Esportes da Folha. Trabalhou também na Folha da Tarde, Agora São Paulo, BOL, AOL e UOL. Paulistano, acompanha de perto o futebol desde a época em que os camisas 10 dos grandes times paulistas eram Pelé, Rivellino, Gérson/Pedro Rocha, Ademir da Guia e Dicá.

Gustavo FernandesGustavo Fernandes

Juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, não resiste a um bom debate sobre esportes, desde futebol até curling. São-paulino, é fundador e moderador do Fórum O Mais Querido (FOMQ). Não esperem ufanismos e clichês. Ele torce, mas não distorce.

Jorge FreitasJorge Freitas

“Prata da casa” oriundo da Coluna do Leitor, este internacionalista é tão louco por futebol que tratou do tema até em seu TCC. Mestrando em Análise e Planejamento em Políticas Públicas, neste espaço une o gosto por escrever com a paixão pelo esporte mais popular do mundo.

Fernando PradoFernando Prado

Natural de Brasília, mas residente em São Paulo desde que se conhece por gente, é um apaixonado por esportes e pela “sétima arte”. Jornalista e advogado, busca tratar o futebol com a descontração que lhe é peculiar, com o compromisso da boa informação e opinião consistente.

José Maria de AquinoJosé Maria de Aquino

Em seus mais de cinquenta anos de carreira, teve passagem marcante pelos principais veículos de comunicação do país, de todos os tipos de mídia, como Rede Globo, SporTV, Revista Placar, O Estado de São Paulo, Jornal da Tarde e Portal Terra. Além de um expoente do jornalismo esportivo brasileiro, também é advogado de formação.

Gabriel RosteyGabriel Rostey

Nascido dias após a seleção de Telê encantar o mundo e não levar o caneco na Copa da Espanha, esse paulistano é especialista em política urbana. Com formação em gestão do esporte, também encara apaixonadamente o futebol como fenômeno cultural.

Fernando GaviniFernando Gavini

Jornalista há 19 anos, já cobriu Copa do Mundo, NBA, Nascar, Pan, Mundial de vôlei, Copa do Mundo de ginástica, Libertadores e as principais competições do futebol nacional. Começou no A Gazeta Esportiva, passou pelo site do Milton Neves, Agência Estado, Agora São Paulo, Terra, ESPN e está na TV Gazeta. A trabalho, conheceu 8 países, 18 estados do Brasil e mais de 100 estádios.

Assinatura por e-mail

Arquivos

©2017 No Ângulo - Todos os direitos reservados