W3vina.COM Free Wordpress Themes Joomla Templates Best Wordpress Themes Premium Wordpress Themes Top Best Wordpress Themes 2012

Vai começar a Libertadores 2016. E o favorito ao título é…

carlos-tevez-boca-juniors-union-primera-division-02082015_lccwg2e2fb8j1x5p9y626vsoa

Créditos da imagem: goal.com

Vai começar mais uma Copa Libertadores!

Na edição de 2016, se considerarmos a Pré-Libertadores (que não deixa de ser o torneio propriamente dito), teremos cinco representantes brasileiros, cada qual com suas peculiaridades e chances de título.

Além, é claro, de outras equipes latinas.

Analisemos agora aquelas que considero as principais “forças” da competição:

ATLÉTICO-MG

Melhor representante brasileiro, o Atlético-MG perdeu algumas peças (Giovanni Augusto e Jemerson foram as principais), mas continua com a espinha dorsal forte. Além disso, será comandado por Diego Aguirre, que já provou ser muito capaz na competição (foi vice com o Peñarol, em 2011). O Galo de “São Victor”, Rafael Carioca, Dátolo, Luan e Lucas Pratto é um dos principais candidatos ao título. Adversários na fase de grupos: Colo-Colo (CHI), Melgar (PER) e vencedor de Independiente doel Vale (EQU) x Guaraní (PAR).

CORINTHIANS

O Corinthians campeão brasileiro talvez seja a maior incógnita . Uma equipe que jogou um futebol encantador ano passado, mas que acabou perdendo seis de seus titulares (Gil, Ralf, Jadson, Renato Augusto, Malcom e Vágner Love). Fez, em tese, algumas boas contratações mas que, ao menos por enquanto, não podem ser equiparadas aos jogadores que saíram. Entretanto, não é difícil imaginar que Tite, o melhor técnico do Brasil, consiga fazer o time render com as caras novas Guilherme, André, Marlone e Giovanni Augusto. Além disso, o Corinthians conta com um grupo relativamente fácil, o que dá mais tranquilidade na tentativa de formar um bom time para o mata-mata. Adversários na fase de grupos: Cerro Porteño (PAR), Cobresal (CHI) e vencedor de Oriente Petrolero (BOL) x Independiente de Santa Fé (COL).

GRÊMIO

Comandado pelo excelente Roger, o Grêmio jogou um futebol muito bonito em 2015. Uma equipe taticamente moderna e atualizada, que manteve a sua base e tem tudo para fazer uma bela Libertadores. No entanto, todo cuidado é necessário. A equipe gaúcha está no grupo mais difícil da competição. Todas os clubes de sua chave – LDU, San Lorenzo e Toluca – têm boas equipes e alguma tradição no torneio. Além disso, a comissão técnica terá de lidar com longas e cansativas viagens. O torcedor deve se preocupar com a fase inicial, mas, em se classificando (e acredito que o faça), o Grêmio pode ir muito longe.

PALMEIRAS

Campeão da Copa do Brasil, o Palmeiras vem muito forte. O técnico Marcelo Oliveira dessa vez fez a pré-temporada com a equipe, e muito provavelmente realizou bons ajustes táticos no time que tem, em 2016, um elenco ainda mais qualificado após as chegadas de Edu Dracena, Erik e outros. Pela primeira vez em muitos anos, o torcedor palmeirense pode entrar na temporada com altas expectativas. Apesar de encarar um grupo difícil (com Rosario Central, Nacional do Uruguai e o vencedor do duelo entre Universidad de Chile e River do Uruguai), é perfeitamente possível fazer boa campanha na fase de grupos e ganhar confiança para o mata-mata.

SÃO PAULO

A grande surpresa (quem poderia imaginar o Santos fora da Libertadores?), o São Paulo é um time melhor comparado àquele que entrou em campo contra o Goiás na última rodada do brasileiro. Com a chegada de reforços (Lugano e Calleri os principais) e um técnico bicampeão do torneio (por LDU e San Lorenzo), o Tricolor não deve ter dificuldades na fase preliminar – contra o peruano Universidad César Vallejo –,  e assim se garantir no grupo A, que, fora o River, não deve dar muito trabalho (os outros adversários são o The Strongest-BOL e Trujillanos-VEN). No entanto, o clube do Morumbi precisará de muita raça na fase de mata-mata, reconhecendo que muitas vezes será necessário jogar defensivamente e com “as facas nos dentes” para avançar. Com o inteligente e experiente Bauza, isso deve acontecer.

OUTRAS FORÇAS E “O FAVORITO”

Quanto aos candidatos ao título de outros países, pode-se destacar a boa equipe colombiana do Santa-Fé, recentemente campeã da Sul-Americana, o River Plate, que quer defender seu título conquistado em 2015, as equipes mexicanas, a LDU, o Colo-Colo e a “La U”, do Chile, e o grande favorito ao título, o Boca Juniors, que com Tévez, Osvaldo e sua fanática torcida, promete infernizar os brasileiros em seu caldeirão, a temida “La Bombonera”.

Como costuma ser na Libertadores, emoção não vai faltar!

Se é da base do Santos, é bom?
O jogo do vale tudo na Libertadores

Escrito por:

- possui 3 artigos no No Ângulo.

Rodrigo Bormio Sanchez, estudante do Ensino Médio e fanático por futebol. Sonho: ser jornalista esportivo ou treinador.


Entre em contato com o Autor

15 respostas para “Vai começar a Libertadores 2016. E o favorito ao título é…”

  1. Boa! Por menos empáfia no futebol brasileiro! 😉

  2. Sociedade Esportiva Palmeiras Campeão invicto

    • nao imita o timao nao em

    • Jorge Henrique disse:

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…

  3. concerteza não é o grêmio…

  4. Sergio Belini disse:

    cucocoyyc

  5. Também concordo que o Boca é o favorito! E entre os brasileiros, o meu favorito é o Grêmio 😉

  6. Bom.., meu favorito é o são paulo, ñ sei pq?, Kkk.., vejo o time com um bom desempenho


Deixe um comentário

Enquete

Qual o maior técnico brasileiro dos últimos tempos?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Colunistas

Emerson FigueiredoEmerson Figueiredo

Formado em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. Redator, repórter, pauteiro e editor-assistente da editoria de Esportes da Folha. Trabalhou também na Folha da Tarde, Agora São Paulo, BOL, AOL e UOL. Paulistano, acompanha de perto o futebol desde a época em que os camisas 10 dos grandes times paulistas eram Pelé, Rivellino, Gérson/Pedro Rocha, Ademir da Guia e Dicá.

Gustavo FernandesGustavo Fernandes

Juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, não resiste a um bom debate sobre esportes, desde futebol até curling. São-paulino, é fundador e moderador do Fórum O Mais Querido (FOMQ). Não esperem ufanismos e clichês. Ele torce, mas não distorce.

Jorge FreitasJorge Freitas

“Prata da casa” oriundo da Coluna do Leitor, este internacionalista é tão louco por futebol que tratou do tema até em seu TCC. Mestrando em Análise e Planejamento em Políticas Públicas, neste espaço une o gosto por escrever com a paixão pelo esporte mais popular do mundo.

Fernando PradoFernando Prado

Natural de Brasília, mas residente em São Paulo desde que se conhece por gente, é um apaixonado por esportes e pela “sétima arte”. Jornalista e advogado, busca tratar o futebol com a descontração que lhe é peculiar, com o compromisso da boa informação e opinião consistente.

José Maria de AquinoJosé Maria de Aquino

Em seus mais de cinquenta anos de carreira, teve passagem marcante pelos principais veículos de comunicação do país, de todos os tipos de mídia, como Rede Globo, SporTV, Revista Placar, O Estado de São Paulo, Jornal da Tarde e Portal Terra. Além de um expoente do jornalismo esportivo brasileiro, também é advogado de formação.

Gabriel RosteyGabriel Rostey

Nascido dias após a seleção de Telê encantar o mundo e não levar o caneco na Copa da Espanha, esse paulistano é especialista em política urbana. Com formação em gestão do esporte, também encara apaixonadamente o futebol como fenômeno cultural.

Fernando GaviniFernando Gavini

Jornalista há 19 anos, já cobriu Copa do Mundo, NBA, Nascar, Pan, Mundial de vôlei, Copa do Mundo de ginástica, Libertadores e as principais competições do futebol nacional. Começou no A Gazeta Esportiva, passou pelo site do Milton Neves, Agência Estado, Agora São Paulo, Terra, ESPN e está na TV Gazeta. A trabalho, conheceu 8 países, 18 estados do Brasil e mais de 100 estádios.

Últimas do colunista

Assinatura por e-mail

Arquivos

©2017 No Ângulo - Todos os direitos reservados