Viva o G6: quando as chances de vitória aumentam a possibilidade de fracasso

Créditos da imagem: globoesporte.com

Neste final de semana, enquanto ocorriam as eleições municipais por todo o Brasil, a Conmebol oficializou sua esperada reforma na Libertadores e, de quebra, cedeu duas novas vagas para o futebol brasileiro. O aumento das vagas na competição continental apimenta a briga por um lugar na competição, que parecia já ter seus integrantes definidos com Palmeiras, Flamengo, Atlético-MG e Santos.

Embora o novo G6 gere, incontestavelmente, maior ganho ao futebol brasileiro, deve acabar também proporcionando gostinhos de fracasso naqueles times que, ainda assim, não conseguirem se classificar. Imagina a crise!

Enquanto G4, era fácil ficar fora da Libertadores e justificar que, infelizmente, só há lugar para um terço dos chamados clubes grandes. Mas agora, a muleta ficou menor. Ou a torcida de times expressivos como São Paulo, Corinthians, Grêmio, Inter, Cruzeiro vão aceitar que o time fique fora da competição, mesmo havendo sete vagas (tem a Copa do Brasil)? Para não se classificar, agora, só sendo time de meio de tabela pra baixo. Isso mesmo, não é mais necessário ser time de topo, basta fazer um campeonato equilibrado com razoabilidade e emplacar alguns resultados mais importantes.

Apenas por comparação, o superdisputado campeonato inglês, com seus inúmeros times grandes (sem falar em pequenos como o Leicester, que possam aprontar), tem apenas quatro vagas para a Champions. A Espanha e a Alemanha, idem. Os tetracampeões da Itália, nem isso, três.

Aqui, serão SEIS. Mais a da Copa do Brasil!

Será difícil imaginar passividade nas torcida que terminarem o campeonato fora da zona de classificação. Para um time grande, ficar entre os primeiros sempre foi obrigação, mas agora essa responsabilidade ficou ainda mais pesada.

Enfim, de forma curta e grossa, as chances de vitória ficaram bem maiores. Tão grandes como as de fracasso.

4 comentários em: “Viva o G6: quando as chances de vitória aumentam a possibilidade de fracasso

  1. Quanto menor o numero de vagas para libertadores , melhor seria para o campeonato brasileiro. Os dirigentes teriam que se planejar melhor , para uma disputa mais acirrada . Nosso nível de futebol é sofrivel é só verificar a média de passes errados que temos em uma partida . Com a maior competição das Américas ampliada o nível do futebol irá cair bastante , vamos aguardar se antes era pancadaria vamos subir um pouco para o MMA rs.

  2. Muito bom, Jorge Freitas! E a coisa ainda piora considerando que agora o campeão da Libertadores e da Sulamericana vão ter vaga exclusiva, ou seja, poderiam ser até NOVE brasileiros!

    Se por um lado é bom porque ajuda a elevar o nível da competição sul-americana, por outro vulgariza o peso de uma classificação. Enfim, vamos ver com o tempo… mas que será cada vez mais “inaceitável” não disputá-la, sem dúvidas! 😉

Deixe sua opinião e colabore na discussão