Brasil x Equador: 1) Tite incoerente com o seu discurso; 2) Neymar e a bobagem de que chegará mais inteiro na Copa; 3) Qual é o verdadeiro Gabriel Jesus e 4) O “vai-não-vai” de Philippe Coutinho

Créditos da imagem: goal.com

1) Embora decepcionado com a última convocação de Tite (as presenças de Alisson e Rodrigo Caio na lista são verdadeiras aberrações contra as quais temos a obrigação jornalística de protestar. Ser condescendente e tratá-las com indiferença ou falsa naturalidade pelo simples fato de o treinador ser hoje disparado o melhor do País e um dos melhores do mundo apenas ajuda na criação de um “monstro”. Tite foi incoerente com o seu discurso de “meritocracia”), a verdade é que a Seleção Brasileira reencontrou o caminho das vitórias e, o que é ainda mais louvável, sendo organizada e conseguindo jogar bem;

2) Contra o Equador, difícil imaginar algo diferente de uma grande vitória, especialmente com Neymar a fim de jogo e querendo provar, agora no PSG, que é “o cara” (aliás, aproveitando o gancho, trata-se de uma bobagem esse papo de que o nosso maior craque chegará bem fisicamente na Copa da Rússia pelo fato de atuar em uma liga mais fraca e todo aquele “blá-blá-blá”. Poxa, o Neymar está carregando uma responsabilidade gigantesca de fazer a sua nova equipe atingir um protagonismo inédito na sua história. Não vai querer se ausentar de jogo algum, vai ser “fominha” e estará mais do que nunca no centro dos holofotes. De maneira que não será poupado nem física e muito menos psicologicamente);

3) Curioso também para acompanhar o desempenho de Gabriel Jesus na partida. Sou dos que olham com cautela para o nosso mais novo candidato a Golden Boy. Explico: embora com alguns grandes e inegáveis feitos em sua curta carreira (não sentir o peso da Amarelinha e cair nas graças de ninguém menos do que Pep Guardiola, sendo titular logo no seu primeiro ano no Manchester City, não é para qualquer um), Gabriel Jesus, em que pese a temporada inglesa estar apenas no seu início, dá sinais de que não está bem como gostaríamos. Temo que ainda seja prematuro defini-lo como titular absoluto da Seleção. Em 2015, por exemplo, Dudu foi mais jogador do que ele no Palmeiras. Sem falar na seca de gols que viveu pelo Alviverde um pouco antes de sua saída. De todo modo, Jesus também seria a minha aposta natural e a sua evolução técnica e tática desde que surgiu dá esperança. Apenas não dá certeza;

4) Por fim, temos que prudentemente Philippe Coutinho ficará na reserva de Willian na partida válida pelas Eliminatórias. Não por mérito do último, um jogador que considero opaco, sem brilho (que teve algum destaque na Seleção quando ela ainda estava capenga), mas em razão da novela Philippe Coutinho e Barcelona, que deve terminar com a ida do jogador do Liverpool para o mimado clube espanhol, que ainda não digeriu a saída de Neymar. Aliás, é bom Paulinho – este sim já confirmado e insanamente já contestado, pelo menos na proporção em que foi – e Coutinho colocarem as barbas de molho, pois a temporada promete ser de muita pressão pelos lados da Catalunha. Enquanto isso, o Real Madrid está voaaando…

E segue o jogo.

Leia também:

– Opinião: convocação de São Vanderlei para a Seleção Brasileira de Tite é imperativa

7 comentários em: “Brasil x Equador: 1) Tite incoerente com o seu discurso; 2) Neymar e a bobagem de que chegará mais inteiro na Copa; 3) Qual é o verdadeiro Gabriel Jesus e 4) O “vai-não-vai” de Philippe Coutinho

  1. TITE TÁ CAINDO NO MESMO ERRO DOS TREINEIROS ANTERIORES. TÁ FORMANDO A PANELINHA DELE E INDO ATÉ O FIM.

    UMA PENA.

    TOMARA QUE NÃO MORRAM ABRAÇADOS.

  2. Tite chegou, impressionou e se rendeu a mesmice. Taison, Fagner, Wiliam e os cutafis por ti são bons para seus clubes e jamais serão protagonistas em seleção. Acordos com agentes continuam.

  3. Não entendo o william
    tem habilidade mas as vezes me parece burocrático e sem sangue no olho
    fraco nas finalizações e muito toque lateral e pra trás
    quando surgiu no corinthians era mais objetivo,partia pra cima,em direção do gol

  4. Po, o Jesus tava no primeiro ano de profissional em 2015, quando o Dudu foi melhor que ele!!!!!!! É querer demais que ele já comece sendo o cara!!!!! O Neymar em 2008 chegou a ser reserva do Santos com o profexô e virou o que virou!!!!!!!!!!!!!!!

Deixe uma resposta para Anônimo Cancelar resposta