Sobre a temerária supremacia do internauta, para além do caso Sidão

Patrão internauta Como magistrado, sou pago para tomar decisões. Posso cometer erros. Posso ter posicionamentos diversos de quem julgar os recursos. Posso proferir sentenças que não contenham erros, nem sejam modificadas em recurso, mas não agradem uma grande quantidade de Leia mais… »