Neymar e os perigos de um líder inventado

Créditos da imagem: Aurelien Meunier/Getty Images

Quantas vezes você viu um jogador fazer quatro gols e sair vaiado de campo? Pois ontem contra o desconhecido Dijon, Neymar Jr, o menino birrento, logrou mais este êxito para sua mimada carreira.

Não bastasse a polêmica no início da temporada com o uruguaio Edinson Cavani pelas cobranças de pênaltis e faltas, Neymar, após fazer três gols, negou-se a permitir que o companheiro de ataque batesse o pênalti, sofrido pelo camisa 9, que garantiria o oitavo gol da equipe francesa e, de quebra, daria ao centroavante a marca de maior artilheiro da história do Paris Saint-Germain.

Uma birra desnecessária, que tem sido constante na carreira do camisa 10 desde seus tempos de Santos, resultado de uma invenção de líder que Neymar, claramente, nunca esteve pronto para ser.

Líderes natos são transformados ao longo da carreira. Neymar Jr. foi elevado ao patamar sem sequer ter passado pela obrigação de servir. Pensa que é o dono da bola, do campo, do clube, da torcida e dos companheiros de time.

A culpa, obviamente, é muito mais nossa do que dele, pois Neymar nunca quis liderar. Recusou expressamente a faixa de capitão da Seleção Brasileira ao término das Olímpiadas, mas mesmo assim recebeu-a durante os jogos das Elminatórias, como se o enfiassem goela abaixo a obrigação de estar à frente de seu time.

Está cada vez mais claro que Neymar não nasceu para ser um líder e nem o faz questão de sê-lo. Não é como Messi que o liderou em suas temporadas em Barcelona, nem como Cristiano, fundamental para o título europeu de Portugal mesmo em condições físicas degradantes.

Na verdade, a liderança de Neymar é inventada pela mídia e por seus treinadores, o que acaba por se tornar uma obrigação que nunca lhe coube e que não está em suas características. É possível, inclusive, ter dúvidas se Neymar tem realmente o sonho de ser um líder virtuoso, cabecinha de vento como o é.

O que não é possível é imaginar Neymar unindo um grupo como um líder deveria fazer. A não permissão a Cavani para que batesse o pênalti em jogo que estava 7 a 0, repito, SETE a zero, demonstra que, por um gol a mais em sua carreira, o brasileiro é capaz de desconsiderar todo o andamento da temporada e o bom relacionamento de um grupo de jogadores.

O perigo disso tudo é que, na hora em que mais se precisar de um líder, Neymar pode se calar, mimar-se ou chorar, como tem feito em sua carreira, e que, quando mais precisarmos dele, como na disputa pelo Hexa, não o veremos com firmeza.

Aparentemente ainda na pré-adolescência, Neymar nos faz lembrar o dono das bolas de futebol na época dos campinhos, em que tudo só aconteceria se fosse de acordo com ele.

De um absurdo pra Galvão nenhum botar defeito.

14 comentários em: “Neymar e os perigos de um líder inventado

  1. Olha, Jorge Freitas, discordo de você. Acho que você coloca todo o ônus no Neymar, como se o Cavani também não fosse agente ativo nessa polêmica dos pênaltis.

    O Maradona, que foi técnico do Messi na Copa de 2010, disse para o Pelé que o problema do Messi é que “não tem personalidade de líder”, e a verdade é que o Neymar nunca costumou tem problemas com seus colegas. Inclusive sempre mostrava trabalhar pelo Messi no Barcelona.

    Outro dia mesmo o Gabriel Jesus deu uma entrevista na qual creditava boa parte do título olímpica à liderança do Neymar…

    1. Então Gabriel, são declarações, mas que na minha concepção fogem da realidade do que vimos.

      Claramente, Messi e Maradona tem personalidades diferentes. Talvez, para Maradona, Messi não seja líder, mas isto é um questão de ponto de vista.
      Messi se mostrou um líder nesta temporada ao coordenar a reconstrução do Barça, quando tudo parecia perdido, e também ao fazer chover para levar a Argentina na Copa. Entendeu perfeitamente sua grandeza nas duas equipes.

      Já quanto às Olimpíadas, não há dúvida de que Neymar foi fundamental dentro de campo – fez, inclusive, o gol da final. Mas não demonstrou atitudes de líder, principalmente ao abrir mão da braçadeira quando conquistou o título (ato claro de quem estava esgotado com aquela situação). A declaração de Jesus me pareceu mais algo para tentar contemporizar as declarações do camisa 10 e demonstrar-lhe a sua importância dentro de campo. Inimaginável ver Gabriel Jesus dizendo que “não, Neymar deixou a desejar em sua liderança e deixou sentir a pressão”, pegaria muito mal.

    2. Fora que o neymar, com todo seu status, tinha obrigação de ser uma liderança técnica em um torneio de jogadores amadores. E msm assim, apesar do resultado final, os jogos da seleção foram sofríveis nas olimpíadas.

      O msm messi, ainda sub23, liderou a conquista olimpica da seleção argentina com muito mais facilidade.

      Com essa personalidade, vai ser difícil ganharmos algo além das olimpiadas. Pelo menos, quando ele ficou mais calminho e coletivo, deu pra levar uma copa das confederações.

    3. Neymar fez mais do que certo, ele é o “cara” e cara do time, é o melhor jogador, disparadamente superior tecnicamente a qualquer outro do futebol francês, segundo, Cavani terá quantos jogos para bater essa marca? Será mesmo que Cavani precisa de uma “esmola” dessas? Neymar é o batedor oficial de faltas e penalidades do time do PSG, fim de papo. Terceiro, não houve negação alguma, Cavani nem se aproximou ou deu a impressão para algo mais, deixando em dúvida quem iria bater o pênalti. Finalizando, afirmar que Neymar é birrento, chorão, infantil, é pura inveja do sucesso alheio, Neymar é um cara muito comportado, concentrado e vencedor, quem fala isso, se referindo ao Neymar, não lembra de Edmundo, Marcelinho Carioca, Romário, do que eles aprontavam dentro e fora de campo, comparando-o com Messi e CR7, ambos com mais de trinta anos, algumas copas do mundo nas costas, exemplos de líder e liderança dentro e fora de campo é covardia, o brasileiro é mais jovem que ambos, tem muitos campeonatos a disputar, inclusive podendo enfrentar um ou outro pelo caminho, com o passar do tempo poderíamos questionar essa evolução ou a falta dela.

    4. Jorge Freitas o que se faz, aqui se paga. Você esqueceu que Cavani negou pênalti e falta p/ Neymar? Você falar de personalidade com hipocrisia pois Cavani foi hipócrita com Neymar no começo da temporada ao nega que o garoto batesse um pênalti e falta, você achar mesmo que o PSG precisar que o Cavani faça os 100 gols ou que o Neymar leva o PSG ao pódio da Champions League? Cavani tem 5 anos de PSG o que ele ganhou lá fora o campeonato francês, nada né? Com o Neymar os holofotes focam o PSG dia e noite, a chance do PSG eliminar o Real Madrid é maior que a do ano passado quando o próprio Neymar eliminou o PSG nas oitavas. Neymar está certíssimo em chama a responsabilidade para ele, pois ele também quer ser artilheiro do PSG.

  2. A mensagem desse Jorge Freitas é tendenciosa com o brasileiro Neymar Jr. Ele da crédito para o Cavani e tira os méritos do Neymar quando ele chama Neymar de mimado, de birrento, será que isso é inveja do sucesso do brasileiro de apenas 25 anos?/ou é hipocrisia da sua parte Jorge? Você sabe que o Neymar é a única referência de peso do futebol brasileiro, no momento o Neymar está jogando até mais que o Messi, deixa de estupidez cara, análise o jogo e não o que a torcida faz ou deixe de fazer… qual o momento do pênalti que o Neymar negou a batida para o Cavani? Ao contrário o Cavani no começou da temporada 2017 negou pênalti e falta para o menino, que hoje na atualidade é o melhor jogador brasileiro em atividade. Sua mensagem é tendenciosa ou você está com inveja do sucesso do Neymar Jr.

  3. Quantos gols o Cavani fez com jogadas inteiras do Neymar? Essa imprensa francesa junto a torcida que vaio o Neymar são muito mal agradecidos isso sim.
    Cavani que faça esse gol outro jogo com jogada do Neymar como é de costume. Babujão Cavani.

Deixe sua opinião e colabore na discussão