Senhor Menezes? Não, é Mano mesmo

Créditos da imagem: Friedemann Vogel/Getty

Às vezes brinco sobre torcer contra esse ou aquele time. Pura brincadeira. Se torço, torço a favor. Ou nem ligo. Por pessoas, vida, torço sempre, muito, e a favor. Às vezes, muito raramente, volto àquele tempo de criança, quando alguém faz algo errado, se ferra e a gente diz: “bem feito, Deus castiga”. Deus não castiga nada. É seu livre arbítrio, esse sim, dado por Ele.

Já aconteceu duas vezes, e só no futebol, pelas atitudes mesquinhas de pessoas. A primeira foi há alguns anos, acho que mais de 12. Eu dava minha colaboração à notável campanha do Betinho “Quem tem fome tem pressa” que arrecadava alimentos para famílias carentes. Aqui em São Paulo, procuramos o São Paulo, que deu toda força, e um certo time da região, que vivia um grande momento no cenário nacional (até internacional, chegando à Libertadores). Por mais que tentasse, de todas as formas, fui esnobado por seus donos. Que me esnobassem, tudo bem. Mas a campanha do Betinho…. o time foi descendo a ladeira, descendo e até no regional está perto do fundo do poço. Bem-feito.

A segunda tem como personagem central o técnico Mano Menezes. Ele ouviu que “na vida se deve fazer de tudo para vencer”, mas claramente não entendeu o sentido das palavras. Esqueceu que é tudo, desde que honestamente. Em 2008, foi alvo de pesada acusação do zagueiro Carlinhos, do Guaratinguetá, que acusou o treinador de usar o envolvimento do jogador em um acidente fatal de trânsito para ferí-lo. Certa vez, treinando o Corinthians, tentou humilhar Milton Cruz, então interinamente no comando do São Paulo, adversário do dia, dizendo “Eu sou técnico! Você é interino. Seu técnico é o Muricy, me deixa falar com o árbitro!”.  Na partida contra a Chapecoense, dia 31/5, atrapalhou – e confessou, dizendo “tenho o direito” – o lateral Reinaldo, do time catarinense, tirando dele a chance de continuar na Copa do Brasil.

Três dias depois perdeu para a Chape, em pleno Mineirão, pelo Brasileiro – bem feito. E ontem viu o Cruzeiro ser derrotado pelo Bahia, 1 a 0, na Fonte Nova. Novamente digo: “bem feito”.

10 comentários em: “Senhor Menezes? Não, é Mano mesmo

  1. Contundente e verdadeiro como de costume, Mestre! Realmente esses casos vão muito além da questão de ser simplesmente prepotente ou arrogante. É o tipo de coisa que ultrapassa a questão do futebol e diz respeito ao ser humano mesmo.

  2. muito prepotente, e olha que estamos falando de um tecnico apenas meua boca horrível como pessoa, e por isso gente que eu defendo a continuidade do trabalho de pessoas sérias como carile e ze Ricardo que além de ótimos profissionais , são bom caráter

Deixe uma resposta para Gabriel Rostey Cancelar resposta