Surreal, imoral e ilógico: Emerson Sheik está de volta ao Corinthians

Créditos da imagem: Reprodução / Torcedores.com

O genial escritor Nelson Rodrigues disse, certa vez, que o Fla-Flu nasceu 40 minutos antes do nada.

Pois eu digo que a volta de Emerson Sheik ao Corinthians aconteceu 40 minutos antes da incompetência e do absurdo.

Incompetência que tonificou a gestão Roberto de Andrade, com más contratações, desmanches completos, erro na escolha de treinadores, má atuação no mercado da bola, dívida com empresas de marmita e um “Valeu, Drogba” de encher de vergonha qualquer corintiano.

Enquanto todos esperavam um verdadeiro reforço ao clube Campeão Brasileiro de 2017, para uma temporada árdua que virá pela frente, eis que uma matéria, que no início mais parecia pegadinha do João Kleber, eclodiu na internet, mais especificamente no UOL.

“Para, para, para, para”, foi exatamente o que eu pensei, como o pitoresco apresentador.

Mas é exatamente quando penso em tudo o que ocorreu na gestão Andrade que me surpreendo por estar surpreso com a volta de Emerson.

Sheik saiu em 2015, já com Roberto, aos 36 anos, porque, além de um grande salário, não servia mais para jogar no clube. Agora, como num passe de mágica, volta a servir, aos 39 anos, e será opção no já contestado tecnicamente elenco do Corinthians.

Sheik tem, em seus últimos quatro trabalhos, dois rebaixamentos (com Botafogo e Ponte Preta), um afastamento (com o Flamengo) e um vermelho tolo, em 2015, ao dar uma rasteira em Rafael Tolói e comprometer o Corinthians nas oitavas de final da Libertadores daquele ano.

Ao mesmo tempo em que o maior rival contrata Gustavo Scarpa, vimos Andrade simplesmente desistir, como quem desiste de descascar uma laranja, da aquisição do último artilheiro do Brasileirão, mesmo com declarações explícitas de sua vontade em jogar no Corinthians.

A incoerência é tanta, que Andrade abriu mão da contratação de Dourado para trazer Gilberto de graça, mas, por outro lado, aceita pagar salários de um jogador que virá no máximo para preencher o treino, coisa que um menino da base faria com potencial muito maior ao clube.

Neste momento, só consigo acreditar que Sheik pensa como Capitão Nascimento, ao dizer que caiu pra cima, não para baixo como todos podiam supor.

Não há nada, além da idolatria nutrida pelos gols de 2012, que faça o corintiano mais fanático aceitar o seu novo velho atacante, o que torna surreal e ilógica a contratação, já que o Sheik daquele ano já se foi faz tempo.

E, aliás, compará-lo a Danilo, como já há várias pessoas dizendo, é imoral.

Faz-se fundamental que Roberto de Andrade venha a público para justificar tal acordo.

E em tempo: é impossível, mas gostaria de saber exatamente o que pensa Fabio Carille sobre essa contratação, e se a aprovou, em off.

9 comentários em: “Surreal, imoral e ilógico: Emerson Sheik está de volta ao Corinthians

  1. Também achei surreal essa contratação! Nada mais no sentido contrário do que foi o Corinthians de 2017, de trabalho sério e sem “pensamento mágico”, do que essa volta do Sheik!

  2. Pra VC vê, um presidente horrível ,talvez o pior q o clube já TVE e msm assim ganhou 2. Brasileiros e 1 paulista ,imagina se tivéssemos pessoas honestas no clube e com comprometimento ajudar a instituição, certeza absoluta q seriamos o maior clube da america, camisa do timão já provou q é pesada!

  3. Sou Corintiano mas não existe torcida mais chata e incoerente que a nossa. Ano passado desacreditado ganhamos tudo que disputamos. Os caras estão sem grana, se faz besteira vocês acham ruim, se contrata dentro da realidade acham ruim, se ganha acham ruim, se perde também….. eita torcida chata e hipocrita

Deixe sua opinião e colabore na discussão