O dia em que acabou a empatia no mundo do futebol

Créditos da imagem: Reprodução / Independent.ie

Todos nós conhecemos a histórica rivalidade entre Rangers e Celtic, na Escócia, a famosa “Old Firm”.

Em 2016 o clássico voltava a ser disputado após quatro anos -em virtude da falência decretada pelos Rangers, que por isso precisou recomeçar a partir da Terceira Divisão- e teve vitória do Celtic pelo placar de 5 a 1.

Porém o jogo não ficou marcado pela atuação do time que veste verde e, sim por sua torcida.

A torcida atuou grandiosamente no estádio?

Não! Mas proporcionou uma das cenas mais horrendas da história do futebol.

Em 7 de setembro de 2016, Scott Boyd, irmão de Kris Boyd, ídolo do Rangers, havia cometido suicídio após anos sofrendo de depressão. Kris relatava em entrevistas estar com o coração partido.

Três dias depois do ocorrido, a partida seria entre Rangers x Celtic e a torcida do Rangers prometeu fazer uma homenagem a Kris.

Ao entrarem no estádio do Celtic, depararam com uma das cenas mais horripilantes da história do esporte: torcedores colocaram nas arquibancadas bonecos se enforcando, fazendo alusão a um suicídio, e puseram cachecóis azuis, cor do time do Rangers.

Em represália, torcedores do Rangers cometeram atos de vandalismo no estádio do Celtic.

Como se não bastasse, o jogo foi disputado no dia 10 de setembro, que é o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio.

É bom lembrar que grande parte da torcida do Celtic repudiou o ato. Esse foi um dos piores dias para ser fã de futebol.

Este texto procura mais do que relembrar uma triste página do futebol mundial e de uma rivalidade histórica, mas também reforçar a consciência dos torcedores de que depressão não é brincadeira.

Deixe sua opinião e colabore na discussão