O acaso está dando uma chance para o “Clube da Fé” mudar

Créditos da imagem: Rubens Chiri/saopaulofc.net

Nesta Libertadores o São Paulo tem feito jus ao antigo apelido de “Clube da Fé”. Os providenciais gols feitos pro Centurión nesta partida contra o Danubio (aos 46 do segundo tempo) e de Michel Bastos contra o San Lorenzo, no Morumbi (aos 44 da etapa final), garantiram quatro dos nove pontos conquistados até aqui.

Mas ao contrário da partida contra os argentinos – com os quais disputa diretamente uma vaga nas oitavas-de-final – quando o Tricolor teve boa atuação e merecia a vitória há mais tempo, contra os uruguaios o São Paulo fez uma partida muito fraca. Se não vencesse, não poderia reclamar de nada.

Foi uma partida apática do time brasileiro, que entrou com uma formação muito defensiva e se apoiou em Michel Bastos e Pato para criar perigo ao adversário. Ganso novamente esteve abaixo da crítica.

Durante o péssimo primeiro tempo das duas equipes, que não criavam basicamente nada, eu pensei “depois de o pessoal assistir PSG x Barcelona à tarde, ver esse jogo, nesse estádio vazio, é dose… assim fica incontrolável mesmo o crescimento do futebol europeu por aqui”. Felizmente o segundo tempo foi mais aceitável, com o Danúbio voltando melhor e marcando o gol logo de cara.

Daí em diante o São Paulo teve que tentar jogar mais, o que fez bem à partida. Não consigo ver sentido em manter Luis Fabiano e Centurión (que eu insisto que poderia mudar o sistema ofensivo da equipe) na reserva, para entrar com Rodrigo Caio e Hudson. Principalmente contra um rival fraco, quase eliminado, e numa situação em que a vitória era extremamente necessária.

O triunfo veio, e apesar do que a virada fora de casa e o gol nos acréscimos sugere, não foi fruto de uma atuação heroica ou vibrante da equipe paulista. Deve-se principalmente aos cruzamentos de Michel Bastos, aos bons nomes no ataque, e ao acaso, que é sempre um ótimo aliado.

E que sina desse Danúbio, que perdeu duas partidas em casa (contra “os santos” do Brasil e da Argentina) com gols nos acréscimos…

Com esse resultado, o São Paulo deve ficar com a segunda vaga do grupo. O San Lorenzo pode perfeitamente vencer o Corinthians na Arena Corinthians, pois é o atual campeão e, ao lado da Ponte Preta, foi a equipe que melhor se apresentou contra o alvinegro nesta temporada. Entretanto, é improvável, e o São Paulo tem grandes chances de jogar a última rodada por um empate em seu estádio, contra seu arquirrival, numa partida que deve parar a cidade. Apesar de o time do Parque São Jorge viver um momento muito melhor e ter vantagem no histórico recente, creio que a diferença de motivação pesaria a favor da equipe do Morumbi.

O difícil hoje é enxergar para que exatamente serviria a classificação do São Paulo. Com o futebol que vem jogando, o mais provável é que só passe para as quartas-de-final da competição se der sorte no chaveamento das oitavas.

Mas o futebol sempre pode surpreender. Um novo técnico será contratado: o mais cotado é o argentino Alejandro Sabella, que pra mim é certamente a melhor opção possível, pois “não deixa dúvidas de estar atualizado em relação ao futebol praticado atualmente” (por pouco não conquistou a Copa do Mundo do ano passado com a Argentina); já foi campeão da Libertadores (com o Estudiantes em 2009) e conhece o futebol brasileiro (trabalhou no Corinthians em 2005 como assistente do então técnico argentino Daniel Passarella). Dentro de campo, o dinâmico volante Wesley poderá jogar na eventual segunda-fase da Libertadores e acrescentar essa característica carente ao time atual; e até mesmo as lesões de Alan Kardec e Luis Fabiano podem colaborar para que Centurión vire titular e “injete vida e ânimo” no apático setor ofensivo da equipe.

Por mais que hoje seja difícil acreditar, pensando no futuro, dá pra ter fé.

22 comentários em: “O acaso está dando uma chance para o “Clube da Fé” mudar

  1. O pior q no ano retrasado foi assim tbm contra o atlético q passamos no sufoco e nas oitavas novamente contra o atlético quando tudo parecia favorável o Ademílson perde um gol sem goleiro o Lucio eh expulso de forma infantil e no fim o atlético viro o jogo naquele ano o time foi do inferno ao céu e depois volto ao inferno

    1. Obrigado, Lucas Nunes!

      A melhor maneira de acompanhar nossos posts é cadastrando o e-mail no campo “Assinatura”, no canto direito superior do site, pra ser avisado das novas publicações.

      Abraços

  2. Os gols de Centuriões e Michel Bastos, garantiram seis pontos e não quatro como vc escreveu no início do texto!

    1. Olá, obrigado pela observação! Mas, desculpe, garantiram quatro mesmo, afinal, os empates já estavam garantidos nas duas partidas, ou seja, cada gol acrescentou dois pontos à pontuação do São Paulo 😉

Deixe sua opinião e colabore na discussão