Diretoria nova, mas sem identidade: aposta arriscada no Santos

Créditos da imagem: Super Esportes

Uma das críticas recorrentes às administrações do Santos nos últimos anos faz referência à mentalidade retrógrada de seus dirigentes.

Recém-eleito presidente do clube, José Carlos Peres parece disposto a mudar essa imagem e as primeiras apostas, em uma rápida olhada, são arriscadas.

O dirigente preteriu velhos ídolos da torcida, como os campeões brasileiros Elano e Léo, para abrir as portas da Vila a dois profissionais sem qualquer identificação com o clube.

O primeiro é Gustavo Vieira, sobrinho do ídolo são-paulino Raí e que já exerceu a função de diretor de futebol, sem brilho, no clube do Morumbi.

O segundo membro da renovada direção é o ex-capitão corintiano William Machado, que também exerceu função diretiva no clube pelo qual se destacou como jogador, mas por pouco tempo.

A aposta do presidente é na mudança de mentalidade dos ex-boleiros, mas o sucesso de ambos, e a sobrevivência no clube da Baixada, vai depender muito da aceitação da torcida e, claro, do êxito na montagem de um elenco vencedor.

Em um passado não muito distante, outro ex-jogador sem qualquer identificação com o Peixe passou pela Vila e não deixou saudades: Zinho, hoje comentarista de TV.

Se a nova dupla escreverá uma história diferente, só o tempo dirá…

Leia também:

Eleito, Peres não promete reforços de peso no Santos. Bom sinal!

21 comentários em: “Diretoria nova, mas sem identidade: aposta arriscada no Santos

  1. De certa forma seus comentarios são reais,mas entendo q algumas mudanças devem ser feitas ao logo do tempo,pq mudanças radicais,nunca tem bom resultados(me refiro ao afastamento do Elano,q a meu ver foi mal conduzida),mas de resto só o tempo dirá

    1. Sim, eu percebo esse desânimo. Mas veja, um time formado por Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Romário; Alison, Renato e Vitor Bueno; Bruno Henrique, Sasha e ALGUM CAMISA 9 não fica muito atrás de qualquer outro time brasileiro, concorda? Talvez de dois ou três. Mas dependendo do trabalho do Jair Ventura, acho até que dá pra beliscar alguma coisa enquanto a diretoria coloca a casa em ordem, principalmente nas competições “mata x mata”. Nosso futebol está muito nivelado e o Santos tem uma espinha dorsal boa e competitiva.

      1. Analisando um provável time titular, não devemos nada! Mas quando um jogador se machuca ou é suspenso, o substituto do elenco costuma ser muito inferior e a preocupação é essa! Um time pode ganhar jogos, mas um elenco ganha campeonatos!

    2. Corinthians venceu Paulista e Brasileiro só com refugo…
      Futebol brasileiro o nível é lastimável.
      Num cenário ideal precisamos de um meia armador eficiente e um 9 que esteja em boa fase…
      Só!

  2. Concordo parcialmente, Paulo Amaral. Ontem mesmo estava conversando com alguns amigos sobre isso. Acho importante a renovação e gostei especialmente da escolha do novo técnico (escrevi algumas vezes que o Jair Ventura era o homem certo na hora certa para o Santos). Quanto ao Gustavo Vieira e o William Machado, pessoalmente eu não os teria contratado para o comando do departamento de futebol, mas só o fato de o Elano (histórico jogador, mas uma pessoa totalmente despreparada para exercer qualquer função dentro do Santos que não jogar futebol, algo que infelizmente ele não faz mais) ter sido desligado do clube, é um sinal de tempos mais promissores. Por fim, a mencionada “falta de identificação” tem um peso pequeno para mim, o que “pega” mais são a falta de experiência (no caso do William, as passagens-relâmpago por Corinthians e Bahia nem contam, embora só o fato de ele ter brigado com o Andrés Sanchez seja um bom sinal) e o trabalho questionável do Gustavo no São Paulo (vá lá que tenha acertado em algumas contratações, mas, no geral, BEEEM ele não foi). De qualquer forma, como renovar sem arriscar, não é mesmo?De maneira que, numa primeira análise, penso que Jose Carlos Peres, Orlando Rollo, Odir Cunha & Cia estão indo bem até aqui. Tomara tenham personalidade e resistam às pressões por contratações financeiramente irresponsáveis. Oportunidades de mercado como o próprio Sasha são o caminho, já que a base do time do ano passado é forte.

  3. Se coloca Elano e Leo vira panelinha em 2 minutos. Com dois caras ‘sem identidade’ podemos cobrar isenção e profissionalismo. Fez besteira? Rua. Sem mimimi com idolos aposentados. Deixem o homem trabalhar.

  4. Qdo vai fazer uma matéria relatando que o modesto quebrou o Santos ?

    Das coisas ilícitas feitas no período modesto que fudeu o Santos ?

    De deixar o clube sem nenhum dinheiro em caixa tendo recebido recentemente a grana do Neymar na transação Barcelona/PSG ?

    1. Engraçado como O brasileiro não tem memória , o modesto pegou o santos em 2015 , com 4 meses salários atrasados as cota da TV do paulistão adiantada , jogadores saindo na justiça, ele pegou o clube com terra arrasada , entregou o clube melhor , quando ele pegou em 2015 , modesto errou muito , mas fez muita boa pelo clube .

    2. Tá …ae deixa clube quebrado, sem falar que a dívida é monstruosa …

      Com alguns jogadores tb com atraso nos direitos de imagem..

      Fora que recebeu grana do gabigol, Thiago maia, E da transação Neymar no PSG… cadê o dinheiro ?

      Fora a cagada de assinar um contrato péssimo com a umbro onde Santos recebe menosnque o Sport..

      Sem falar nos mais de 800 funcionários no clube onde vários sequer sem função..

      Vc não anda vendo as notícias do clube ?

  5. A diretoria está atuante é merece apoio! Errar pode errar, mas sem dolo! Esses contratados serão eternos enquanto durem no clube! Futebol depende de resultados e não se deve exigir o “curto prazo”! Vejo muito sobre Elano nos comentários, ele já entendeu que precisa estudar um pouco mais, outros que ali estão, também precisam! Não se trata só de entender de futebol, é preciso que se entenda de relacionamento e de pessoas também, se é que me entenderam!

  6. Eu realmente acho que o Santos está no caminho certo. O Grêmio provou ano passado que nenhum dinheiro substitui a continuidade de um trabalho e de uma filosofia consolidada, além disso acredito que o Jair é bastante inteligente e pode extrair muito do grupo que aí está.

  7. Profissionalismo é a palavra, mas os ídolos não podem ser esquecidos, devem ter um lugar, não necessariamente com a administração e sim com a imagem …. Veja o Santos nunca utilizou de forma coordenada a imagem do maior jogador de todos os tempos, Pelé. O Santos FC Precisa usar melhor a sua marca

Deixe sua opinião e colabore na discussão