Quem segura o Palmeiras?

Créditos da imagem: esportesarena.com.br

Realmente, a “troca de Oliveiras” fez muito bem ao Palmeiras. Desde a saída de Oswaldo e a chegada de Marcelo, já foram nove jogos disputados, sendo sete vitórias, um empate e apenas uma derrota (na estreia do novo comandante, contra o Grêmio, em Porto Alegre, por 1 x 0).

No Campeonato Brasileiro, já são sete jogos sem perder. E o principal, atuando de maneira convincente, adiantando a marcação e sendo mais eficiente nas idas ao ataque. Enfim, um futebol de encantar os olhos do seu torcedor.

Dentro do clube, a palavra “cautela” é a mais utilizada. E com razão, afinal é apenas o início de um trabalho. Porém, não tem como negar (embora o ponderado e modesto Marcelo Oliveira assim o faça) que o novo treinador deu sim uma cara nova ao time, e que hoje o Palmeiras faz jogos taticamente muito bons, defendendo muito forte e saindo com bastante velocidade ao ataque. Desde que o técnico bicampeão brasileiro assumiu, a equipe levou apenas quatro gols e marcou dezenove vezes. Média de 2,11 gols marcados, contra apenas 0,44 gols sofridos, portanto.

Além dos números, o ambiente no clube também está muito bom, e não se ouve mais pelos lados da Academia qualquer insinuação sobre uma suposta “Valdívia dependência”. Um alívio! Claro que quando as coisas vão bem tudo tende a acalmar, mas, no Palmeiras, a constante briga pelo poder historicamente predominava e isso afetava demais o dia-a-dia nas dependências do clube e com consequências dentro do próprio time. É certo que opiniões e pensamentos divergentes sempre vão existir, em qualquer administração ou luta política, mas não se pode deixar afetar o andamento e trabalho do corpo de funcionários, no caso, o grupo de jogadores e comissão técnica.

Só que hoje, no futebol do Palmeiras, a briga é para ver quem vai jogar. As três substituições permitidas por regulamento acabam não sendo suficientes e deixam o torcedor dividido em opiniões. Na cabeça do treinador, o time base está formado, e vem fazendo um ótimo trabalho, mas ele deixa bem claro que não existem titulares absolutos. E não é pra menos. Dentro do elenco, vários atletas teriam condições de ser titulares do próprio Palmeiras e da maioria dos times da Primeira Divisão. Senão vejamos: Lucas Barrios (que deverá ser o titular assim que Leandro Pereira der uma brecha), Cleiton Xavier, Zé Roberto e Alecsandro, são jogadores que vieram com status de solução e que acabaram como reservas, mas podemos citar diversos outros de ótima qualidade como os meninos da base João Pedro e Gabriel Jesus, os bons meias Allione e Fellype Gabriel, além dos atacantes Kelvin, Cristaldo e Mouche.

A intenção de formar duas equipes “titulares” para suportar as duas competições – Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil – é evidente e tem se mostrado perfeitamente viável.

A fórmula de inchar o elenco foi utilizada no Cruzeiro dos dois últimos anos – então comandado pela dupla Alexandre Mattos e Marcelo Oliveira – e está dando mostras que também será vencedora agora no Palmeiras. E esta competição interna talvez seja o maior segredo do time, que acaba se destacando pelo conjunto, com os jogadores alternando o protagonismo nas partidas. Ora Rafael Marques é o destaque, ora Robinho, Egídio, Dudu… Nas últimas duas partidas, por exemplo, o até pouco tempo contestado Leandro Pereira decidiu a parada, demonstrando que a sombra de Barrios lhe fez muito bem.

É, o Brasileirão está ficando cada vez mais verde. O time já está na terceira colocação e a sua escalada parece ser ainda mais promissora. Afinal, quem segura o Palmeiras?

122 comentários em: “Quem segura o Palmeiras?

    1. Pergunta pra ele ai quem foi o primeiro time a eliminar eles no próprio estadio? Pergunta quantas vezes o palmeiras tiraram eles da libertadores? Quem esta falido kkkkk pedi empréstimo pra crefisa lá e tudo sem entrada e sem juros kkkkkkkkkkkk seu orgulho e meu entulhao gamba

  1. O Palmeiras realmente está entrando nos eixos. Gosto mto do estilo do Marcelo Oliveira, tanto profissional quanto pessoalmente. No futebol, é ofensivo, dinâmico, faz seu time marcar sob pressão e coloca pra jogar quem realmente está bem (não é fácil tirar do time um Zé Roberto, por exemplo). E, enquanto homem, parece sempre sóbrio, ponderado, humilde e um verdadeiro líder, que se impõe pelo respeito e não pelo medo. Definitivamente, a “troca de Oliveiras” mudou o pamatar do Palmeiras na competição!

      1. ñ sou corinthiano mais tambem odeio esse time de merda do palmeiras ñ tem torcida,bi da serie “b” time fulero. vc lave a boca pra falar do flamengo,pq ele é time gigante e esse porco imundo é um fulero q na historia ñ tem nem idolos chupa escuta so acabo o cao o guererro chegou

  2. Hoje curintia e Vasco no PTarena tem que ser no mínimo 8×0 porque vai jogar em casa e é “campeão mundial” porque se não ganha de goleada a zueira vai ser grande, vê vcs não somem. Kkkkkkkk Kkkkkkkkk kkkkkkkk Kkkkkkkkk kkkkkkkk

  3. ” quem segura o palmeiras ?”O Corinthians q não segura freguês a vida toda praticamente , bambys só estão levando couro feio , santos vixi, temos mais vitorias na vila do q os próprios donos , então aceitem a realidade !

Deixe sua opinião e colabore na discussão