De atleta respeitado a treinador “caça-problema”, Rogério Ceni não se ajuda

Créditos da imagem: Sportv/Reprodução

Rogério Ceni sempre pareceu um jogador muito inteligente. Comunicativo e com uma rara bagagem cultural no meio do futebol, sempre se sobressaiu naturalmente e era um líder absoluto do clube. Mas mais do que isso, ele era respeitado, visto como um atleta, um cidadão e uma pessoa exemplar, daquele tipo que se concorresse a algum cargo político, receberia uma penca de votos.

Pois o que fez o atual treinador são-paulino no programa “Bem, Amigos”, do SporTV, ao lado de  seu comandado Rodrigo Caio, foi absolutamente chocante. E o que é pior: em vários aspectos.

Para começar, a postura do ex-goleiro foi muito constrangedora para o Rodrigo Caio. O zagueiro já vem carregando um grande peso nos ombros por seu belo gesto de assumir sua participação no lance e assim evitar um injusto e inaceitável cartão amarelo que suspenderia Jô, seu colega de profissão, da partida seguinte. A resposta do zagueiro nesse mesmo programa foi apenas procurando minimizar o assunto e colocá-lo no passado. Pois bem, o que faz seu comandante em relação a isso? Volta à questão em detalhes e ainda fala em ter “o objetivo sempre da vitória”, como se isso faltasse ao seu atleta (que já vem sofrendo uma certa perseguição por isso).

Não bastasse isso, ainda coloca Tite na história. Unanimidade nacional, seja pela competência, seja por sua conduta (sempre irretocável, ao que parece), o atual técnico da Seleção sempre procurou apoiar e dar amparo ao jovem zagueiro, justamente o oposto do que faz  Rogério (que ajudou a colocar gasolina no fogo). Além disso, o treinador canarinho também procurou transformar a atitude de Rodrigo Caio em um modelo, para que seja replicada Brasil afora, enquanto o ex-goleiro procura destacar que isso não tem a ver com honestidade.

Cada vez mais pressionado no comando técnico do São Paulo, Rogério escolheu antagonizar simplesmente com Tite, hoje uma das maiores paixões nacionais (a tal ponto que chega a ser lembrado por muita gente para as próximas eleições presidenciais). Se acha que é pequena a pressão que carrega pelos meus resultados até aqui obtidos no comando do Tricolor do Morumbi, o atrevido treinador novato resolveu adotar  gratuitamente um gigante como contraponto.

Não quero nem entrar em julgamentos morais por Rogério procurar a todo momento “destruir” a atitude de Rodrigo Caio e, tal qual os detratores da Operação Lava-Jato, querer enfraquecer algo que sempre desejamos e que enfrenta fortes  resistências por buscar quebrar paradigmas.

Mas choca como além de fazer tudo isso, Ceni ainda o fez usando de ironia e arrogância, assim angariando cada vez mais antipatia.

Enfim, toda aquela maturidade que o mito Rogério Ceni parecia carregar nos tempos de atleta evapora a cada entrevista do novato treinador, incapaz de fazer meas-culpas, demonstrar dúvidas ou de abrir o coração e restaurar a empatia que sempre teve com os torcedores. Parece faltar inteligência emocional ao técnico que procura problemas voluntariamente, vai gastando seu “capital político” dos tempos de atleta e, definitivamente, não vem se ajudando.

6 comentários em: “De atleta respeitado a treinador “caça-problema”, Rogério Ceni não se ajuda

  1. No dia em que eu ver alguém triste porque seu time ganhou com ajuda da arbitragem.. no dia em que quando um time não comemorar títulos conquistados graças a erros de arbitragem.. daí eu vou achar que Rogério Ceni tá errado, mas fora isso só vejo hipocrisia.. todo jogo vemos cera, simulações e todo tipo de jeitinho de levar vantagem, mas tudo isso é visto como normal, agora bastou alguém mais influente dar sua opinião sobre algo e já fazem esse alarde todo.. lamentável…

    Fora isso, acho que faz um trabalho fraco no SPFC.. mas ainda tem pouco tempo de trabalho pra ser tão massacarado pela mídia.

Deixe sua opinião e colabore na discussão