Mesmo sem traumas, eliminação para a Bélgica também deixa lições

Créditos da imagem: André Mourão/MoWA Press

O Brasil que entrou para enfrentar a Bélgica, nesta sexta-feira, pelas quartas de final da Copa do Mundo da Rússia, não era o melhor Brasil na cabeça de Tite, que contava com desfalques na lateral-direita (o titular original e o reserva imediato) e na cabeça-de-área, sem um dos jogadores de maior regularidade nos últimos tempos.

Ainda assim, o time esbarrou em lances fortuitos, como um gol contra, um goleiro rival em boa noite e por pouco não levou o jogo, ao menos, para uma prorrogação – que daria tempo e ânimo à Seleção Brasileira.

Uma derrota de 2 a 1 triste, mas normal. Afinal, a Bélgica é mesmo um time forte, principalmente do meio para frente, e teve seus méritos em encaixar com muita competência o esquema de contra-ataque que propôs.

Mas a derrota sem traumas, com muita luta, desfalques importantes e uma dose de azar, não pode esconder alguns erros cometidos pelo treinador: o Brasil que entrou em campo não era o melhor na cabeça de Tite, mas também não foi o melhor possível.

É claro que, com a obra feita, um engenheiro-palpiteiro vai acertar a previsão do passado. Mas justiça seja feita, muitos já listavam alguns erros que o competente (e professoral) Tite já vinha cometendo.

O primeiro foi na convocação. Não há grandes jogadores capazes de mobilizarem a opinião pública, a mídia e os torcedores, mas, leite derramado, podemos reafirmar com clareza o que muitos já haviam dito antes: o técnico errou em manter Fred, machucado, e ao optar por Taison, que foi de espectador, deixando os craques da Libertadores do Grêmio, Arthur e Luan, de fora.

A convocação passou, os questionamentos arrefeciam à medida que o time ia se acertando, principalmente a partir do segundo tempo do segundo jogo.

Mas outros questionamentos, dessa vez quanto às escalações, permaneciam. O principal deles atendia pelo nome de Gabriel Jesus. O bom jovem do City fez tudo que se espera de um jogador em termos de entrega e comprometimento, mas nada do que se aguarda de um atacante de 100 milhões de reais. Pior: no banco, Roberto Firmino, em fase muito melhor há meses e um atleta com mais recursos técnicos, teve que se contentar com minutos finais de abafa e desespero.

Já o melhor lateral-esquerdo do mundo, o ala Marcelo, claudicava. Ao se machucar no 3º jogo, colocou a vaga no colo do regular Filipe Luís, que cumpriu as expectativas, elevou o nível do setor, mas…perdeu a titularidade assim que o cacique voltou. Mais uma vez, em mais uma Copa, o ala do Real Madrid não fez nem metade do que se esperava dele. Mesmo assim, terminou de titular.

Seria difícil deixar Marcelo no banco, mas afinal, para que está lá um treinador do porte de Tite, se não para escolher os melhores, e não os mais famosos?

Dois erros nítidos – e alertados por muita gente boa antes da eliminação – e que podem ter custado a vaga para as semis. Claro, houve pontos que fogem do alcance do treinador: Neymar e Coutinho jogaram suas piores partidas na Copa.

O técnico tem méritos na regularidade e no bom desempenho da equipe desde que assumiu o comando da seleção, quando pegou terra arrasada em tudo e construiu do zero. Tem também moral para continuar à frente do time, mais ainda agora que as desejadas propostas da Europa devem ficar apenas no campo do desejo.

Mas, sem ficar só no discurso bonito, terá que aprender com seus erros, alguns muitos parecidos com os de antecessores, como em criar uma “família” e praticamente fechar a convocação com um ano de antecedência, como Felipão, ou a falta de variação tática e ousadia na escolha dos reservas, como Dunga.

Enfim, o discurso de aprendizado após a eliminação tem se tornado comum no Brasil, mas verdade seja dita, nunca antes pareceu estarmos no caminho. Resta esperar mais quatro anos.

13 comentários em: “Mesmo sem traumas, eliminação para a Bélgica também deixa lições

  1. A gente ficou a Copa inteira esperando os craques aparecerem!!!!!!!! Não dá pra ficar assim, tem que mexer no time!!!!!!!!!!! O Gabriel Jesus foi ridículo, por exemplo, e o Tite preferiu morrer abraçado com ele!!!!!!!!!!!!!!

  2. Não temos centroavante destde 2006 a última copa de Ronaldo fenômeno!!citem um nove melhor que os do Tite!!?em 94 tinhamos Romário em 2002 fenômeno e agora quem!!????

    1. Gabriel Jesus mereceu a convocação, foi incrível durante as eliminatórias e amistosos, mas deveria ter perdido a vaga no time titular, já contra o México. O momento fo Firmino era melhor.

  3. Quanta asneira .. Felipão barrou Romário e levou a Copa .. se tivesse perdido , ahhh pq não levou Romário bla bla bla ..
    Jesus carregou a seleção nas Eliminatórias nas costas junto com Neymar .. tinha crédito .. e esse Firmino é horrível mas tem sorte e melhor momento nada mais ..
    As duas porcarias do Inter ( Taison e Fred ) não tinham respaldo popular, só do técnico .. deveria ter privilegiado quem joga no Brasil .. outra , Marcelo é inquestionável ponto.
    O maior erro do Tite foi enxergar no Fernandinho capacidade de marcação , coisa que ele não tem ..faltou um volante marcardor . E um centroavante alto, mas o Jô preferiu ganhar dinheiro do outro lado do mundo.

    1. Cara o único 9 estilo 9 e matador q agente tinha pra copa é o Felipe Vizeu, ele deveria ter ido, mas o baicho rendimento do Gabriel ñ foi por ele jogar ruim é sim pela burrice do Tite d escalar o Paulinho pra fzr infiltrações e pedir pro Gabriel sair da aria, perdeu na tática ñ no talento

  4. Difícil falar quando o erro já nos trouxe de volta. Alertei sobre William e Fernandinho ,, não estou jogando sobre eles a responsabilidade do jogo, mas ao treinador sim . William não tinha ambição , estava cómodo em servir, e isso é muito pouco a um atleta de auto nível de uma seleção e incluo Gabriel Jesus nesse quesito. Gabriel foi um operário, tiraram dele o que tem de melhor , o faro de gol vinha marcar o volante. algo inadmissível a um centroavante. Talvez pela falta de condição física de Neymar , o garoto Gabriel foi sacrificado. Quanto a Fernandinho , nunca o achei bom jogador , nesse setor sempre disse que minha preferência era dar uma oportunidade a Felipe Melo , quase me mataram por esse comentário, é um líder e esse time precisava de um cara cascudo como ele. Sou corintiano mas fala sério Fágner na seleção o cara deitou e rolou nele. O que me impressiona é que imprensa disse que ele havia tomado conta da posição , nunca havia sido exigido , quando foi viram no que deu. Tire errou pela inexperiência em copa, 7 jogos é preciso se aspar a cada adversário, as mudanças precisam ser tomadas de imediato não há tempo para que o jogador se recupere . Quem entrou e foi bem que permaneça , mas ele não teve peito para manter Felipe Luís , que foi infinitamente melhor que Marcelo . Deveria ter sido cauteloso pois havia perdido o ponto de referência do meio campo , Caseiro. Se tivesse congestionado esee setor entendo com Renato Augusto no lugar de Willian estaríamos na semi final. Me desculpe as pessoas que endeusam Tite , mas nesse jogo ele fez a opção errada. Vou ser sincero Carile e melhor que ele , no corinthians vez omelete praticamente se ovo. Bom dia

Deixe sua opinião e colabore na discussão